Giro do Vale / Destaque / País / Política

Odebrecht delata repasse R$ 30 mi via caixa 2 à chapa Dilma-Temer em 2014, diz jornal

Informações podem influenciar apuração no TSE relacionada à campanha vencedora das eleições de 2014 por abuso de poder.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Investigada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por suspeita de abuso de poder econômico e político, a campanha de Dilma Rousseff e Michel Temer à Presidência, em 2014, teria recebido recursos ilícitos da construtora Odebrecht. De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, pelo menos um delator ligado à empreiteira relatou à força-tarefa da Operação Lava Jato o pagamento de R$ 30 milhões na forma de caixa 2 para a chapa presidencial.

Conforme a publicação, as informações foram repassadas aos investigadores na semana passada e já estão documentadas por escrito e arquivadas em vídeo. O valor citado pelo delator representa cerca de 10% dos recursos declarados pela campanha Dilma-Temer.

Os relatos da Odebrecht podem influenciar no julgamento da campanha presidencial da petista e do atual presidente no TSE, já que o processo relativo à chapa ainda se encontra na fase de instrução. Desta forma, uma das partes ou o Ministério Público podem solicitar a anexação de novas informações prestadas por delatores para a Lava-Jato. O material, no entanto, só poderá ser incluído na investigação após a homologação das delações pelo ministro-relator da operação no Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki.

De acordo com O Estado de S. Paulo, nos depoimentos já prestados, nenhuma pessoa relatou o pagamento de caixa 2 pela Odebrecht à campanha Dilma-Temer.

 

Rádio Gaúcha

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Foto: Divulgação

Os corpos, que seriam de pai e filho, já estavam em avançado estado de decomposição

Foto: João Vilnei / Divulgação

Defesa Civil concentrou o atendimento aos moradores no ginásio do Corpo de Bombeiros em Santa Maria

Foto: Divulgação

Casa incendiou, mas os bombeiros conseguiram controlar as chamas

Foto: Brigada Militar / Divulgação

Indivíduo estava com crack, cocaína e maconha