Giro do Vale / Estado / Polícia

Desarticulada quadrilha que roubou mais de 1,5 mil de veículos e atuava no RS e mais 9 Estados

Ao todo, 200 policiais civis cumpriram 53 mandados judiciais.

Foto: Divulgação / Polícia Civil

Foto: Divulgação / Polícia Civil

A Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV) do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) desarticulou nesta sexta-feira, dia 31, uma quadrilha da Região Metropolitana de Porto Alegre que agia no Rio Grande do Sul e em mais nove Estados. O grupo era altamente especializado, tanto é que foram identificados 29 integrantes com funções diversificadas e que estabeleciam até meta diária de roubar entre cinco e dez automóveis somente na Capital.

Ao todo, 200 policiais civis cumpriram 53 mandados judiciais, sendo 23 de prisão preventiva, seis de prisão temporária e 24 de busca e apreensão, em 14 diferentes cidades do RS, de Santa Catarina e do Paraná. Até agora, 24 pessoas foram presas.

Investigação

A chamada “Operação Macchina Nostra” investiga há um ano esta organização criminosa que, após os roubos e furtos, tinha agilidade em adulterar e negociar os veículos na Grande Porto Alegre e em outros nove estados. Os preços variavam entre R$ 5 mil e R$ 15 mil, dependendo do modelo.

O grupo se dividia em quatro células principais, com dois líderes. Os dois principais moravam em Viamão e em Caxias do Sul. Os outros dois residiam em Pato Branco, no Paraná, e Blumenau, em Santa Catarina.

“Houve perfeita determinação da divisão de tarefas entre os membros do grupo para efetivar o maior número possível de roubos de veículos por dia na Capital e demais cidades da Região Metropolitana”, informou um dos responsáveis pela ação, delegado Adriano Nonnenmacher.

Roubos

A organização criminosa era liderada por dois homens que já possuem diversos indiciamentos policiais. O grupo teve a participação direta e indireta no roubo de aproximadamente 1,5 mil veículos desde o mês de outubro de 2015, movimentado aproximadamente R$ 6 milhões neste período. O valor é resultado da execução dos roubos, confecção dos documentos de rodagem e propriedade, adulterações das numerações dos veículos (clonagem) e posterior venda para criminosos de diversas cidades do estado e do país.

“A meta de roubar até dez carros por dia também foi estabelecida por que os bandidos sabiam da média de 60% de recuperações dos veículos roubados por parte das polícias”, ressaltou o delegado Marco Guns, também responsável pela operação.

A quadrilha era tão organizada que, às vezes, roubava somente o mesmo modelo de veículo já que tinha a garantia de negociação futura. Com isso, a Polícia Civil concluiu que esta quadrilha era a principal responsável por roubos na Capital.

Ações

As ações policiais desta manhã ocorreram em 12 cidades gaúchas: Porto Alegre, Viamão, Caxias do Sul, Alvorada, Gravataí, Imbé, Balneário Pinhal, Santa Maria, Bagé e Igrejinha. Também ocorreram em Pato Branco e Blumenau.

A quadrilha efetuava os roubos em RS, SC e PR. Os veículos eram repassados também para São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e Bahia.

 

Rádio Gaúcha

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Passo do Sobrado, também no Vale do Rio Pardo, foi outra cidade com registro de destelhamento de casas.

Outra pessoa morreu de overdose, antes do desabamento da estrutura.

Time colorado joga pelo empate fora de casa nesta primeira fase.

Uma terceira vítima foi encaminhada ao hospital e não corre risco de morte.