Giro do Vale / País / Política

Meirelles afirma que perda com mudança na reforma da Previdência será maior do que o esperado

Ministro afirmou que alterações devem reduzir em 20% a 30% a economia esperada.

Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, admitiu nesta terça-feira, dia 18, que a perda com as mudanças que estão sendo feitas pelo Congresso Nacional no texto original da reforma da Previdência deve ser maior do que a prevista inicialmente pelo governo.

Em entrevista após café da manhã no Palácio da Alvorada com parlamentares e o presidente Michel Temer para discutir o tema, ele disse esperar que as alterações reduzam entre 20% e 30% a economia esperada com a reforma previdenciária. No início de abril, o ministro tinha previsto que essa redução seria menor, de 15% a 20%.

“O mercado já precificava uma reforma que seria cerca de 30% do benefício a menos, ou seja, 70% a menos do que o original. No entanto, acreditamos que será mais, bem mais do que 70%, principalmente no período inicial de dez anos, teremos algo que se aproxime mais de 80%”, afirmou Meirelles na entrevista desta terça-feira. “Como eu disse, esperamos que a proposta (aprovada pelos parlamentares) signifique algo que seja próximo de 80% da reforma original, o que significa algo, dependendo do prazo, que varia entre 70% e 80% da reforma original”, acrescentou o ministro em seguida.

Meirelles afirmou que o texto final da reforma ainda não está fechado e que algumas negociações ainda estão em andamento para “viabilizar a aprovação” da reforma. De acordo com o ministro, todas as mudanças que estão sendo negociadas pelo relator da matéria na Câmara, deputado Arthur Maia (PPS-BA), já estão “precificadas” pelo mercado.

O ministro declarou que todas as alterações estão “dentro dos parâmetros” definidos pelo governo para garantir que o equilíbrio fiscal do País seja restabelecido. “As negociações com o Legislativo fazem parte do processo em todo país do mundo”, disse.

Reforçando que o texto final ainda não estava fechado, o ministro da Fazenda confirmou que o relator deve fixar a idade mínima para mulheres em “algo ao redor de 62 anos”. De acordo com ele, mudanças em relação à aposentadoria de trabalhadores rurais ainda estão sendo discutidas. “Em resumo: o relatório ainda não está fechado.”

Meirelles disse que, apesar de a leitura do parecer na comissão especial ter sido adiada em um dia, para esta quarta feira o cronograma de votação “está mantido”. A previsão é de que o relatório seja votado no colegiado entre 26 e 27 de abril.

O ministro afirmou ainda que espera que o Senado não altere o texto da reforma que for aprovado pelos deputados. Ele ressaltou que é prerrogativa do Senado alterar o texto, mas que a expectativa do governo é de que as negociações que estão sendo feitas na Câmara atendam aos “interesses gerais”, inclusive dos senadores. “Portanto, nossa expectativa é de que o Senado não altere o texto”, afirmou.

Nesta terça-feira, o relator da reforma deve se encontrar com senadores para apresentar e debater o relatório da matéria.

 

Correio do Povo

Comentários

  1. anonimo disse:

    esse ministro de merda..banqueiro desgraçado…está acostumado a lidar com milhões..está com medo que os colegasnão vão receber????o país deve muito!!!!mas o dele ta garantido…o nosso paga esses grandões

Publicidade

Últimas Notícias

Foto: Divulgação

Os corpos, que seriam de pai e filho, já estavam em avançado estado de decomposição

Foto: João Vilnei / Divulgação

Defesa Civil concentrou o atendimento aos moradores no ginásio do Corpo de Bombeiros em Santa Maria

Foto: Divulgação

Casa incendiou, mas os bombeiros conseguiram controlar as chamas

Foto: Brigada Militar / Divulgação

Indivíduo estava com crack, cocaína e maconha