Giro do Vale / País / Política

Maia abre terceira frente em busca de aprovação da reforma política

Comissão causou temor nas redes sociais de possível adiamento das eleições de 2018.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, abriu uma terceira frente para aprovação da reforma política ainda este ano. Ele autorizou, nesta quinta-feira, a instalação de uma nova comissão para analisar uma proposta que acaba com a reeleição, estabelece mandato de cinco anos para cargos eletivos e propõe a simultaneidade dos pleitos. A proposta de emenda à Constituição (PEC) foi apresentada em 2003 e será relatada pelo deputado Vicente Cândido (PT-SP), o mesmo relator da comissão em andamento na Casa, e será presidida pelo peemedebista Lúcio Vieira Lima (BA), também presidente do mesmo colegiado.

A ideia é utilizar o texto de autoria do deputado Marcelo Castro (PMDB-PI) e avançar na discussão de sistema eleitoral e financiamento de campanhas. Em nota, Cândido disse que a instalação da nova comissão foi sugerida por ele e por Vieira Lima e que a medida é “simbólica”. No substitutivo da PEC, o petista vai sugerir a descoincidência das eleições a partir de 2022, com anos separados para Executivo e Legislativo, fim da função de vice, mandato de 10 anos para representantes no Judiciário e sistema distrital misto nas eleições a partir de 2026.

Maia desmente adiamento do pleito de 2018

Originalmente, a PEC do deputado peemedebista propõe que deputados federais e estaduais, prefeitos, vereadores, governadores e presidente da República terão mandato de cinco anos, com exceção de senadores, que terão mandato de 10 anos. O projeto não faz menção a cancelamento de eleição para unificar os pleitos que hoje ocorrem em calendários diferentes. “Ninguém está tratando disso”, disse Maia. A notícia causou temor nas redes sociais de adiamento das eleições de 2018 para a presidência da República.

Na quarta-feira, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) aprovou a admissibilidade da PEC que, na prática, inviabiliza os partidos nanicos. A proposta estabelece cláusula de desempenho para as legendas que irão disputar as eleições de 2018 e põe fim às coligações proporcionais, mecanismo que permite que deputados sejam eleitos pelos votos da coligação. A proposta também tramitará em uma comissão especial.

Também nesta semana, a comissão presidida por Vieira Lima aprovou parecer de Cândido sobre dois projetos: um que dá rito especial a projetos de iniciativa popular no Legislativo e o outro que permite a sugestão de plebiscito ou referendo pelo Executivo ou por petição popular.

 

Correio do Povo

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Foto: Divulgação

Região pode ter máxima de 32°C

Foto: Divulgação / PRF

Ainda foram encontrados R$ 15 mil em dinheiro, sem comprovação de procedência.

Foto: Divulgação

Atleta de Lajeado afirma ter sido chamado de macaco pela mãe de um dos jogadores do time adversário.

Foto: Divulgação

Relógios devem ser adiantados em uma hora a partir do dia 15 de outubro nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste.