Giro do Vale / Destaque / Lajeado / Polícia / Teutônia

MP cumpre mandados em Lajeado e Teutônia dentro da “Operação Metro a Metro”

Ação investiga fraudes em papel higiênico e papel toalha vendidos a órgãos públicos.

Foto: Divulgação / MP

Foto: Divulgação / MP

A Promotoria de Justiça Especializada de Defesa do Consumidor e o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado – Gaeco – Núcleo Litoral e Região Metropolitana cumprem, na manhã desta terça-feira, dia 30, três mandados de prisão preventiva e 16 de busca e apreensão em sete cidades (Três Forquilhas, Terra de Areia, Arroio do Sal, Gravataí Porto Alegre, além de Lajeado e Teutônia, no Vale do Taquari). A Operação ‘Metro a Metro’ investiga uma série de irregularidades cometidas por um grupo que fabrica produtos de higiene, inclusive fraudes no comprimento, largura e quantidade de papel higiênico e papel toalha vendidos a órgãos públicos através de licitações e diretamente aos consumidores nos mercados.

Conforme as investigações, as marcas de papel higiênico Luxor, Azaléia e Alphes foram reprovadas tanto no quesito comprimento quanto no quesito largura. Os três produtos, vendidos para vários municípios – como Torres e Fazenda Vilanova, por exemplo – por meio de licitações, apresentaram até 40% menos do que o apontado nas embalagens.

São investigadas dez empresas. Algumas delas não existem nos endereços apontados nos registros empresariais e outras estão extintas legalmente, mas ainda constam como as responsáveis pela produção e participam de licitações.

Duas empresas têm objeto social com finalidade diferente da realizada e uma delas consta como falida desde outubro de 2003.

As investigações apontaram que os papeis higiênicos, além de fraldas e absorventes íntimos, são produzidos em uma fábrica clandestina em Três Forquilhas, onde há, também, um depósito sem autorização. A atividade sem licenciamento ambiental ou qualquer tipo de alvará é alvo de uma ação civil pública com trâmite na 1ª Vara Cível da Comarca.

Além disso, no dia seguinte após uma vistoria realizada pela Vigilância Sanitária Estadual, quando a fábrica foi interditada, houve um incêndio na fábrica em Três Forquilhas, que queimou todos os materiais que haviam sido apreendidos e estavam sob a responsabilidade da empresa, na condição de fiel depositária. Os produtos serviriam de provas em processos administrativos e judiciais, já que seriam medidos para o confronto das informações.

 

MP/RS

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Ainda há veículos furtados no município, que estão desaparecidos.

Ação policial iniciou após criminosos terem roubado uma moto nas imediações da Cervejaria Salva em Bom Retiro do Sul.

Homem é um dos sócios de outro envolvido e ambos teriam pago R$ 25 mil por ritual macabro.

Decisão foi feita após processo movido por um grupo de advogados trabalhistas.