Giro do Vale / Destaque / Lajeado / Polícia / Teutônia

MP cumpre mandados em Lajeado e Teutônia dentro da “Operação Metro a Metro”

Ação investiga fraudes em papel higiênico e papel toalha vendidos a órgãos públicos.

Foto: Divulgação / MP

Foto: Divulgação / MP

A Promotoria de Justiça Especializada de Defesa do Consumidor e o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado – Gaeco – Núcleo Litoral e Região Metropolitana cumprem, na manhã desta terça-feira, dia 30, três mandados de prisão preventiva e 16 de busca e apreensão em sete cidades (Três Forquilhas, Terra de Areia, Arroio do Sal, Gravataí Porto Alegre, além de Lajeado e Teutônia, no Vale do Taquari). A Operação ‘Metro a Metro’ investiga uma série de irregularidades cometidas por um grupo que fabrica produtos de higiene, inclusive fraudes no comprimento, largura e quantidade de papel higiênico e papel toalha vendidos a órgãos públicos através de licitações e diretamente aos consumidores nos mercados.

Conforme as investigações, as marcas de papel higiênico Luxor, Azaléia e Alphes foram reprovadas tanto no quesito comprimento quanto no quesito largura. Os três produtos, vendidos para vários municípios – como Torres e Fazenda Vilanova, por exemplo – por meio de licitações, apresentaram até 40% menos do que o apontado nas embalagens.

São investigadas dez empresas. Algumas delas não existem nos endereços apontados nos registros empresariais e outras estão extintas legalmente, mas ainda constam como as responsáveis pela produção e participam de licitações.

Duas empresas têm objeto social com finalidade diferente da realizada e uma delas consta como falida desde outubro de 2003.

As investigações apontaram que os papeis higiênicos, além de fraldas e absorventes íntimos, são produzidos em uma fábrica clandestina em Três Forquilhas, onde há, também, um depósito sem autorização. A atividade sem licenciamento ambiental ou qualquer tipo de alvará é alvo de uma ação civil pública com trâmite na 1ª Vara Cível da Comarca.

Além disso, no dia seguinte após uma vistoria realizada pela Vigilância Sanitária Estadual, quando a fábrica foi interditada, houve um incêndio na fábrica em Três Forquilhas, que queimou todos os materiais que haviam sido apreendidos e estavam sob a responsabilidade da empresa, na condição de fiel depositária. Os produtos serviriam de provas em processos administrativos e judiciais, já que seriam medidos para o confronto das informações.

 

MP/RS

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Foto: Divulgação

Evento está sendo promovido pela Aciab e Câmara de Vereadores.

Foto: Divulgação

Universitários quitaram as últimas dívidas que impossibilitavam o andamento da entidade.

Foto: Divulgação

A vítima foi socorrida pelo Samu e encaminhada ao hospital de Soledade, com lesões graves.

Foto: Divulgação

O assaltante tentou fugir, mas foi preso pelos agentes da PRF.