Giro do Vale / Polícia

Criminosos explodem três agências bancárias e fazem reféns no Vale do Rio Pardo

Grupo de cerca de 15 bandidos rendeu moradores e levou duas pessoas como reféns.

Foto: Divulgação / BM

Foto: Divulgação / BM

Criminosos explodiram três agências bancárias, na madrugada desta sexta-feira, dia 16, em Encruzilhada do Sul, no Vale do Rio Pardo. Os ataques ocorreram por volta da meia-noite. As agências do Banrisul, Sicredi e Banco do Brasil foram explodidas.

Segundo a Brigada Militar, havia muitas pessoas na rua, que foram obrigadas a formar um cordão humano no momento dos ataques. O assalto foi cometido por um grupo de cerca de 15 homens. Eles estavam armados com fuzis e pistolas.

Testemunhas disseram à polícia que a quadrilha efetuou vários tiros para o alto, com o objetivo de intimidar a Brigada Militar. Três veículos foram vistos na região, sendo um I30 e um Sandero identificados, mas a polícia não descarta que a quadrilha possa ter usado outros carros.

No momento da fuga, um homem e uma mulher foram levados como reféns. Eles foram soltos minutos depois, em uma estrada do interior do município. Os reféns não ficaram feridos. Não houve confronto com a Brigada Militar. Ainda não há informações sobre a quantia em dinheiro levada pelos criminosos.

De acordo com informações da Brigada Militar de Rio Pardo, a suspeita é que uma banana de dinamite deixada na agência do Sicredi não tenha sido detonada. Por isso, o local foi isolado e uma equipe do Grupo de Ações Táticas Especiais da Brigada Militar foi acionada.

Somente após a verificação pelo Gate é que a perícia será realizada. A Brigada Militar reforçou o policiamento e faz buscas na região.

 

Rádio Gaúcha

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Foto: Divulgação

Vítima teria se perdido na curva e frente a empresa Fruki e caído.

Foto: Divulgação

Às 10h, o acidente estava em atendimento, sendo aguardada a realização de perícia.

Foto: Divulgação / Brigada Militar

Eles foram autuados em flagrante por tráfico de drogas e posse irregular de arma de fogo.

Foto: Divulgação

Irmãs voltavam da missa, quando perceberam que o carro tinha desaparecido.