Giro do Vale / Estado / Política

Sartori lamenta “que população não seja ouvida” sobre privatizações

No Japão, governador avaliou que veto a plebiscito “se torna constrangedor”.

Foto: Luiz Chaves / Palácio Piratini / Divulgação

Foto: Luiz Chaves / Palácio Piratini / Divulgação

Em missão no Japão, o governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, comentou a inviabilização, nesta quarta-feira, da proposta de plebiscito sobre a privatização das empresas estatais. “Lamento que a população não seja ouvida”, relatou.

Ele falou sobre o tema pouco antes do líder do governo na Assembleia Legislativa, Gabriel Souza, reconhecer que o pleito não será possível. “Torna-se algo constrangedor, pois outros serão governo no futuro”, criticou Sartori.

O governador ainda lembrou que, com a alternância de poder, a oposição que barrou o plebiscito poderá ser cobrada no futuro. “Espero que não se arrependam de ter tomado essa atitude, de impedir a população de opinar sobre essas questões”, afirmou.

Sobre os procedimentos do Piratini na questão, ele descartou erros, mas ponderou que outra postura poderia ter funcionado. “Alguns disseram que a gente foi tolerante demais. Permitimos que essa discussão fosse feita, apresentamos todos os dados, a realidade. E fomos às audiências públicas.”

 

Correio do Povo

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Criminosos levaram dinheiro do caixa, e não foram mais localizados.

Os proprietários possuem três lojas, e todas foram alvo de furto ou roubo nos últimos meses. 

As vítimas registraram as ocorrências na delegacia. 

Soldados subiram as escadas e, após tratativas, conseguiram agarrar o cidadão, evitando a queda.