Giro do Vale / País / Política

Temer chama denúncia de Janot de “ficção”

Presidente afirmou que não há prova de que cometeu corrupção passiva.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

O presidente Michel Temer realizou um pronunciamento na tarde desta terça-feira após ser denunciado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao Supremo Tribunal Federal (STF) pelo crime de corrupção passiva. Temer partiu para o ataque, fez diversas críticas a Janot e chamou a denúncia de “ficção”.

“O sr. grampeador (Joesley Batista) foi movido pelo desespero de escapar da cadeia para ter a homologação de uma delação. Ainda não está claro o que moveu Janot, que homologou uma delação e distribuiu o prêmio da impunidade. Criaram uma trama de novela. A denúncia é uma ficção”, disse Temer em seu discurso.

De acordo com Temer, a denúncia de Janot não tem fundamentos jurídicos. “Eu sou da área jurídica. Não me impressiono muitas vezes com a falta de fundamentos jurídicos porque advoguei por mais de 40 anos. Sei quando uma matéria tem fundamentos jurídicos e quando não tem. Sobre o foco jurídico a minha preocupação é mínima”, disse Temer.

“Se fosse só o aspecto jurídico não estaria fazendo esse esclarecimento. Faço em função da questão política, do ataque à minha dignidade pessoal. Eu tive ao longo da vida, uma vida muito produtiva e limpa”, afirmou o presidente, que reforçou que a denúncia de Janot não apresente nenhuma prova contra ele.

“Fui denunciado por corrupção passiva sem jamais ter recebido valores. Nunca vi o dinheiro e não participei de acertos para cometer ilícitos. Onde estão as provas concretas de recebimento desses valores?”, questionou antes mesmo de responder. “Elas inexistem”, completou o presidente.

Críticas a ex-procurador

Durante seu pronunciamento, o presidente Michel Temer fez críticas ao ex-procurador da República Marcelo Miller. Ex-integrante da equipe do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, Miller pediu exoneração do cargo em março e agora trabalha em um escritório de advocacia que negociou um acordo de leniência com a JBS.

“Marcelo Miller, homem da mais estrita confiança do procurador-geral deixou seu emprego, que é um sonho de milhares de advogados, para trabalhar em empresa que negocia delações. Ganhou milhões em poucos meses, o que levaria décadas para poupar”, disse o presidente.

Ao questionar a postura de Miller, Temer disse então que não faria ligação com Rodrigo Janot, por isso seria ilação, o que ele diz ter sido feito pelo procurador-geral da República na sua denúncia.

“Eu terei responsabilidades e não farei ilações. Tenho convicção de que não posso denunciar sem provas. Não posso fazer, então, ilações. Não posso ser irresponsável”, declarou o presidente.

Frase que chama atenção

Já na parte final do seu pronunciamento, o presidente Michel Temer fez uma frase que chamou atenção. No cargo por conta do impeachment de Dilma Roussef, Temer disse ter orgulho de ser presidente e afirmou não saber como chegou ao posto. “Eu tenho orgulho de ser Presidente. Não sei como Deus me colocou aqui”, disse Temer no encerramento do discurso.

 

Correio do Povo

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

Governo alivia dívidas e multas, libera emendas e desiste de privatizações.

Foto: Divulgação

Integrantes do chamado “Centrão” também não devem fechar questão desta vez.

Foto: Divulgação

Metade Norte do Estado tem chance de chuva fraca.

Foto: Brigada Militar / Divulgação

Homem de 25 anos foi preso em flagrante