Giro do Vale / Destaque / Geral / País

Conheça as principais alterações da Reforma Trabalhista

Mais ampla alteração na CLT, texto muda cerca de 200 dispositivos.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Cercada de polêmicas, mas aprovada no Senado por 50 votos a 26, a Reforma Trabalhista irá alterar mais de 200 pontos da Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT). O texto, depois de passar pelo Congresso, segue para a sanção do presidente Michel Temer antes de começar a valer. Um acordo entre senadores e o Palácio do Planalto prevê alguns vetos e mudanças por meio de medida provisória, para que o projeto não tenha que voltar à Câmara dos Deputados.

A reforma é a mais ampla alteração já realizada na CLT. Modifica cerca de 200 dispositivos e derruba súmulas do TST. Abaixo, os principais pontos sobre o que muda com a reforma:

– Permite que acordos sindicais tenham prevalência sobre a legislação;

– Amplia a terceirização, alcançando a atividade-fim (atividade principal do estabelecimento);

– Cria novos tipos de contratos de trabalho, entre eles o trabalho intermitente;

– Amplia a possibilidade de acordos individuais, entre eles a possibilidade de jornada de 12 horas por 36 horas de descanso e redução de intervalo intrajornada;

– Prevê banco de horas para compensação de horas extras, sem necessidade de acordo coletivo;

– Dificulta e encarece o acesso do trabalhador à Justiça do Trabalho;

– Acaba com o pagamento das horas de deslocamento;

– Exclui a obrigatoriedade de homologações de demissões por sindicatos. As demissões serão feitas diretamente entre a empresa e o empregado;

– Retira a obrigação de negociar com sindicatos demissões coletivas;

– Restringe as hipóteses e fixa limites de valores para indenizações por danos morais proferidas pela Justiça do Trabalho;

– Autoriza arbitragens trabalhistas para salários acima de R$ 11,1 mil;

– Acaba com o imposto sindical;

– Autoriza que gestantes e lactantes trabalhem em área insalubre, desde que tenham atestado médico;

– Revoga os 15 minutos de descanso antes das horas extras para as mulheres;

– Cria uma comissão de representantes de empregados para negociar diretamente com a empresa;

– Permite a rescisão de contrato de trabalho de comum acordo, com pagamento de metade da multa e do aviso prévio, sem direito a seguro desemprego.

 

Correio do Povo

Comentários

  1. Adriana disse:

    Só favorece os patrões e como fica os empregados? Isso é um absurdo! Quanto mais se trabalha menos direitos têm.

Envie-nos o seu comentário

Publicidade

Últimas Notícias

Foto: Divulgação

Evento está sendo promovido pela Aciab e Câmara de Vereadores.

Foto: Divulgação

Universitários quitaram as últimas dívidas que impossibilitavam o andamento da entidade.

Foto: Divulgação

A vítima foi socorrida pelo Samu e encaminhada ao hospital de Soledade, com lesões graves.

Foto: Divulgação

O assaltante tentou fugir, mas foi preso pelos agentes da PRF.