Giro do Vale / Estado / Geral

Valor de primeiro pagamento dos servidores deve ser definido hoje

Expectativa da Secretaria da Fazenda é quitar em dia vencimentos de até R$ 1,3 mil

O governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, confirmou na segunda-feira, dia 25, a alteração na forma de pagamento da folha dos servidores do Executivo neste mês. A Secretaria da Fazenda realizou ontem à tarde um teste das folhas de pagamento dos servidores do Executivo com a nova fórmula que será aplicada de forma inédita neste mês. Apesar de integrantes do governo afirmarem que os valores dos depósitos somente serão definidos na quinta-feira, penúltimo dia útil do mês, o valor do primeiro pagamento, que segundo estimativas prévias deve ficar entre R$ 1 mil e R$ 1,5 mil, já deve ser definido nesta terça-feira. A expectativa é a de que seja possível quitar em dia os vencimentos de servidores que recebem até 1,3 mil líquidos.

A decisão de priorizar a quitação em dia dos vencimentos mais baixos já era analisada internamente desde o ano passado, mas acabou sendo colocada em prática agora em função de novo entendimento jurídico da Procuradoria-Geral do Estado e, principalmente, devido ao agravamento da crise financeira. Estimativas realizadas pela secretaria da Fazenda apontavam que caso fosse mantido o parcelamento sucessivamente aplicado, que atingia todos os servidores de forma linear, a primeira faixa de depósito nas contas no dia 29 seria de cerca de apenas R$ 200. No mês passado, em que o valor foi o menor desde o início dos parcelamentos, foram integralizados R$ 350 no último dia útil.

Caso a decisão de priorizar os menores salários tivesse sido tomada no mês passado, o governo conseguiria pagar em dia servidores com vencimentos líquidos de até 1,5 mil, que representam cerca de 110 mil matrículas. Com a nova estratégia de pagamento, o governo acabará com a fórmula do parcelamento e atrasará o salário de muitos servidores, já que o ingresso mais expressivo de recursos no Tesouro do Estado, referente ao Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), ocorre entre os dias 9 e 12 de cada mês.

Assim, parte considerável do funcionalismo vinculado ao Executivo pode não receber nenhum centavo na primeira semana de outubro. Apesar de afirmarem que a iniciativa é justa e a única possível pois irá auxiliar os que ganham menos, integrantes da cúpula do governo e aliados reconhecem, nos bastidores, que o cenário não apenas pode garantir fôlego à greve do magistério, mas também levar à realização de paralisação geral no Rio Grande do Sul.

 

Correio do Povo

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Reservas de Odair Hellmann tiveram boa atuação diante do atual campeão gaúcho.

Ambos estavam armados durante o flagrante que ocorreu no Bairro Navegantes.

A identidade da vítima só deve ser confirmada através da análise de material genético coleado na necropsia.

OS veículos ainda não foram localizados.