Giro do Vale / País / Política

Ministro Barroso autoriza quebra de sigilo bancário de Michel Temer

É a primeira vez que um presidente em exercício tem acesso aos dados financeiros liberados.

Foto: Divulgação

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, determinou a quebra de sigilo bancário do presidente Michel Temer. A medida é um desdobramento da investigação sobre o decreto dos Portos. É a primeira vez que um presidente em exercício tem afastado o bloqueio dos seus dados.

A quebra de sigilo era pedido dos investigadores da Polícia Federal, na apuração se decreto editado por Temer beneficiou a companhia Rodrimar, implicada em delação da J&F. Durante as investigações, o ex-deputado Rocha Loures foi flagrado correndo com uma mala de dinheiro.

Enquanto a PF avaliava como essencial para apurar os fatos a quebra de sigilo, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, contrariou essa interpretação. A PGR relatou que ainda não via elementos que demonstrassem necessidade da quebra de sigilo.

O Palácio do Planalto divulgou uma nota na noite desta segunda-feira sobre a decisão de Barroso. “O presidente Michel Temer solicitará ao Banco Central os extratos de suas contas bancárias referentes ao período mencionado hoje no despacho do iminente ministro Luís Roberto Barroso. E dará à imprensa total acesso a esses documentos. O presidente não tem nenhuma preocupação com as informações constantes suas contas bancárias”, diz o texto do comunicado.

 

Correio do Povo

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Indivíduo, que ainda não teve a identidade confirmada, teria sido alvejado por quatro disparos de arma de fogo.

Veículo cortou a frente de ônibus que transportava cerca de 20 pessoas. Pelo menos 11 pessoas ficaram feridas, sendo que quatro permanecem no HBB, em estado regular.

Mulher havia registrado ocorrência de Maria da Penha contra o indivíduo.

Ele foi agredido com socos e teve sua carteira, com documentos e cerca de R$ 1 mil, levada.