Giro do Vale / País / Política

Ministro Barroso autoriza quebra de sigilo bancário de Michel Temer

É a primeira vez que um presidente em exercício tem acesso aos dados financeiros liberados.

Foto: Divulgação

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, determinou a quebra de sigilo bancário do presidente Michel Temer. A medida é um desdobramento da investigação sobre o decreto dos Portos. É a primeira vez que um presidente em exercício tem afastado o bloqueio dos seus dados.

A quebra de sigilo era pedido dos investigadores da Polícia Federal, na apuração se decreto editado por Temer beneficiou a companhia Rodrimar, implicada em delação da J&F. Durante as investigações, o ex-deputado Rocha Loures foi flagrado correndo com uma mala de dinheiro.

Enquanto a PF avaliava como essencial para apurar os fatos a quebra de sigilo, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, contrariou essa interpretação. A PGR relatou que ainda não via elementos que demonstrassem necessidade da quebra de sigilo.

O Palácio do Planalto divulgou uma nota na noite desta segunda-feira sobre a decisão de Barroso. “O presidente Michel Temer solicitará ao Banco Central os extratos de suas contas bancárias referentes ao período mencionado hoje no despacho do iminente ministro Luís Roberto Barroso. E dará à imprensa total acesso a esses documentos. O presidente não tem nenhuma preocupação com as informações constantes suas contas bancárias”, diz o texto do comunicado.

 

Correio do Povo

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Dois carros incendiaram após a colisão

Porém, o pedido foi negado pela Justiça, mesmo com parecer favorável do Ministério Público (MP)

Previsão é que a Draco comece a operar em maio de 2019, a partir do ingresso de novos servidores na corporação

Ministério da Saúde ampliou prazo para até terça-feira, na tentativa de preencher vagas que faltam