Giro do Vale / Destaque / Estado / Geral

Governo do RS arrecada R$ 484,9 milhões com leilão de ações do Banrisul

Papéis sem direito a voto foram comercializados, após cancelamento da venda de ações ordinárias.

Foto: Palácio Piratini / Divulgação

O leilão de ações do Banrisul, realizado nesta terça-feira, rendeu R$ 484,9 milhões ao governo com a venda de 26 milhões de ações preferenciais, sem direito a voto, no valor de R$ 18,65 cada. O preço mínimo de cada ação era de R$ 18. Os papéis vendidos representam 12,75% das ações preferenciais e 6,35% do total do capital, conforme informações do mercado repassadas por José Júnior de Oliveira, presidente da Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais (Apimec-Sul).

O leilão ocorreu após o governo ter decidido cancelar a venda de 48,57% das ações ordinárias, com direito a voto. A operação anunciada na segunda-feira foi conduzida pelo BTG Pactual. Em nota oficial o governo detalhou a venda do lote excedente das ações: “É mais uma etapa do esforço para buscar, através de medidas financeiras emergenciais, o equilíbrio fiscal e atender, desta maneira, aos seus compromissos mais essenciais para a sociedade”.

“É importante salientar que esta operação em nada altera a condição do Estado como acionista controlador do banco. O Banrisul, portanto, seguirá agora mais fortalecido em sua gestão profissional e que vem registrando resultados importantes em favor da própria instituição, seus acionistas e colaboradores, assim como para a economia gaúcha”, acrescentou. “Do ponto de vista da arrecadação o Estado conseguiria um preço maior pelo banco todo, o que talvez fosse mais adequado, mas a situação financeira está complicada, então a venda foi feita dentro do possível”, disse Oliveira, ressaltando que com a venda “fatiada” é possível que o RS ganhe menos. Sobre o leilão, acredita que os reflexos da venda, positivos ou negativos, serão conhecidos “mais adiante”.

A diretoria do Banrisul não se manifestou sobre a venda. O Sindicato dos Bancários do RS (SindBancários) promoveu um ato em frente à agência central do Banrisul. Segundo avaliou o presidente da entidade, Everton Gimenis, o leilão foi “praticamente secreto”. “Vamos entrar com ação judicial para impugnar a venda”, afirmou.

 

Correio do Povo

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Material estava em tonéis, e foi levado em ação que durou cerca de 5 minutos.

O suspeito, que já foi três vezes preso por furto em pouco mais de um mês, estava no interior do carro.

Veículo estava abandonado em uma rua do Bairro Pinheiros.

Decisões no mês de agosto fazem comissão técnica pensar em preservar jogadores importantes.