Giro do Vale / Esporte / Inter

Inter sucumbe ao Vitória, perde e está fora da Copa do Brasil

Time colorado levou 1 a 0 no tempo normal e foi derrotado nos pênaltis.

Foto: Ricardo Duarte / Inter / Divulgação

O Inter está eliminado da Copa do Brasil. Mesmo jogando contra um adversário tecnicamente inferior, a equipe colorada sucumbiu a um jogo truncado e à pressão do Vitória na noite desta quinta-feira, no Barradão, em Salvador. Os comandados de Odair Hellmann perderam por 1 a 0 no tempo normal, resultado que forçou a decisão por pênaltis, quando os donos da casa levaram a melhor por 4 a 3.

Sem ter outra competição pelo resto da temporada, o Inter volta campo no próximo domingo, pelo Brasileirão. Terá pela frente o Palmeiras, em São Paulo, pela segunda rodada.

Jogo truncado

Em um jogo muito truncado, o Inter deixou o tempo passar ao longo do primeiro tempo. Diante de um rival um tanto desorganizado e um clima adverso de gramado pesado devido à chuva, a equipe colorada tratou de não apressar o confronto, deixando o tempo passar, já que o 0 a 0 classificava.

Aguardando, surgiu a primeira chance. Depois de bobeada da defesa baiana, William Pottker roubou a bola na ponta esquerda. O goleiro Caíque deixou a meta e se esticou para evitar o que seria um gol de cobertura. No rebote, o camisa 1 voltou a aparecer e, desta vez defendendo com o pé, manteve o placar zerado depois do chute de Nico López.

Mas a defesa colorada não estava imune a falhas. Também num erro de base no campo defensivo, a defesa deu ao Vitória uma de suas melhores oportunidades, aos 34. Pela esquerda, Rhayner invadiu a área e, após bate-rebate, Denilson chutou em cima de Moledo e a bola foi para fora. Na sequência, os donos da casa conseguiram dois escanteios, no seu momento de maior pressão.

O Inter voltou a carga depois do susto. Aos 37, Cuesta lançou Pottker na ponta esquerda. Ele deixou o zagueiro na saudade, cortou para dentro e chutou. Mas pegou fraco na bola, fácil para Caíque segurar. A resposta do Vitória veio aos 41, quando Neilton recebeu no bico da grande área e tentou o ângulo. Mandou para fora. Os colorados adiantaram a marcação nos últimos minutos e, depois de troca de passes no campo ofensivo, Patrick rolou para Nico López, na entrada da área. O uruguaio mandou a centímetros da trave, no último lance do primeiro tempo.

Vitória cresce, tem pênalti e vence

Rodrigo Moledo nem voltou do vestiário. Sentindo um desconforto na coxa esquerda foi substituído por Klaus. E o zagueiro teve trabalho em seus primeiros minutos em campo, quando o Vitória tentou apertar o cinto. Sorte colorada que a pressão seguia pouco efetiva. Ainda assim, aos 6, Denilson conseguiu entrar na área por entre a defesa. Ele bateu forte, cruzado e rasteiro, mas Marcelo Lomba mostrou reflexo e caiu para espalmar.

Depois do susto, o Inter acordou e voltou a deixar o jogo truncado. No entanto, o Vitória cresceu de novo e quase chegou ao gol aos 19, depois de contra-ataque. Juninho cruzou fechado da esquerda, Lomba e Cuesta fizeram o corte e de luz e, Denilson conseguiu colocar o pé. Para a sorte da defesa, a bola apenas carimbou a trave.

Em meio à pressão rubro-negra, Odair trocou Pottker por Marcinho. Deu um respiro. Por meio de jogada dele que o Inter deu seu primeiro chute a gol no segundo tempo, aos 27. Na sequência, D’Alessandro teve falta para cobrar perto da área. Mandou para cima. Foi apenas um respiro. O Vitória aumentou a pressão em seguida, diante de uma defesa que se mostrava insegura. O pior aconteceu aos 34: o árbitro marcou pênalti de Iago em Denilson. No minuto seguinte, Neilton cobrou no canto oposto de Marcelo Lomba e o Vitória vencia por 1 a 0.

Após o gol, Odair sacou D’Alessandro e mandou Camilo a campo. E o meia quase marcou em seus primeiros minutos em campo. Cobrou falta de longe aos 40 e obrigou Caíque a uma grande defesa. Depois disso, os colorados até se mantiveram no campo de ataque, porém sem criar chances e a decisão foi mesmo para os pênaltis.

Caíque sorri por último

Nas cobranças dos pênaltis, o futebol redimiu Caíque – que falhara bisonhamente no primeiro jogo. O goleiro do Vitória cresceu e defendeu duas penalidades – de Nico López e Gabriel Dias. Marcelo Lomba pegou apenas uma e o Vitória eliminou o Inter ao vencer por 4 a 3.

Copa do Brasil – 4ª fase

Vitória 1 (4)

Caíque; Rodrigo Andrade (Zé Welison), Kanu, Ramon e Juninho; Willian Farias (Nickson), Uillian Correia, Yago (Guilherme) e Rhayner; Denilson e Neilton. Técnico: Vagner Mancini

Inter 0 (3)

Marcelo Lomba; Fabiano, Rodrigo Moledo (Klaus), Victor Cuesta e Iago; Rodrigo Dourado, Gabriel Dias, D’Alessandro (Camilo) e Patrick; Nico López e William Pottker (Marcinho). Técnico: Odair Hellmann

Gol: Neilton (35/2)

Cartões amarelos: Yago, Rhayner; Patrick, William Pottker, D’Alessandro, Iago

Arbitragem: Rafael Traci, auxiliado por Pedro Martinelli e Adriano Miczvski (trio paranaense)

Público: 5.986 torcedores

 

Correio do Povo

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

A vítima, de 28 anos, procurou ajuda em um propriedade rural, tendo sido acionado o policiamento.

Colisão frontal entre micro-ônibus e táxi ocorreu no km 6 da RSC 453

Chuva será volumosa na Região Oeste, Noroeste e Centro do Estado

Jacir Potrich sumiu na noite da terça-feira, e câmeras de segurança não flagraram homem deixando sua residência