Giro do Vale / Destaque / Economia / Estado

Após paralisação dos caminhoneiros, preço do diesel cai, mas gasolina sobe no RS

Pesquisa da ANP mostra movimentos distintos no valor dos combustíveis desde a paralisação nas rodovias, ocorrida no final de maio.

Foto: Divulgação

Os consumidores têm encontrado movimentos distintos no preço de combustíveis desde a greve dos caminhoneiros, no final de maio. Enquanto o litro do diesel caiu como consequência da paralisação, a gasolina teve alta.

Entre a primeira semana da paralisação e a semana passada, o valor médio cobrado pelo litro do diesel nos postos gaúchos teve redução de R$ 0,401, aponta pesquisa da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Ou seja, o corte ainda não chegou ao nível calculado inicialmente pelo governo federal, de R$ 0,46, mas está em patamar previsto por entidades do setor (veja abaixo). Com o resultado, a baixa no período atingiu 10,77% – passou de R$ 3,721 para R$ 3,320.

Caminho inverso percorreu a gasolina. Do início da paralisação até a semana passada, o preço médio passou de R$ 4,601 para R$ 4,785, aumento de R$ 0,184 (3,99%). Segundo os sindicatos de distribuidores e de postos, a alta ocorre por conta da elevação do preço médio ponderado ao consumidor final, mais conhecido como preço de pauta e definido pelo governo do Estado para calcular incidência do ICMS no produto.

Para o presidente do Sulpetro, sindicato dos postos, João Carlos Dal’Aqua, o Piratini busca suprir a perda de arrecadação por conta do acordo entre a União e os caminhoneiros para reduzir o diesel:

— O governo pode estar fazendo esse movimento para se rentabilizar. Os postos são apenas repassadores das variações que recebem das distribuidoras.

O posto, para ganhar mercado, precisa repassar descontos e aumentos. Ninguém consegue ficar fora do preço de mercado.

O presidente do Sindisul, que representa as distribuidoras, Roberto Tonietto, afirma que o aumento da gasolina não aconteceu nas distribuidoras porque a categoria não teve perdas nem ganhos com as medidas adotadas pelo governo federal para recol ocar os caminhões nas estradas, já que o abatimento do diesel é consequência da redução de impostos:

— A gasolina aumentou significativamente porque o governo do Estado mudou a base do ICMS. E também pelo preço estar atrelado ao mercado internacional por conta da política da Petrobras.

Segundo a Secretaria Estadual da Fazenda, o aumento de R$ 0,3592 no preço de pauta da gasolina foi fixado após apuração do valor médio de venda do combustível efetivamente praticado no mercado. O preço é verificado a partir de pesquisas nas notas fiscais eletrônicas emitidas pelos postos.

O governo ressalta, em comunicado, que “os levantamentos da Receita Estadual apresentam valores semelhantes às pesquisas que são realizadas pela própria ANP”.

 

GaúchaZH

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Colisão fatal entre moto e caminhão vitimou jovem de 15 anos. Pai do garoto conduzia a motocicleta e saiu ileso do sinistro.

13 plantas foram apreendidas, e um homem e 42 anos preso pelo delito.

Homem bateu a cabeça e foi retirado da água por populares. Os bombeiros imobilizaram a vítima, que foi levada para atendimento hospitalar.