Giro do Vale / Destaque / Estado / Política

Eduardo Leite pede união ao tomar posse como governador do RS

Para o primeiro dia de governo, Leite anunciou uma série de medidas para reduzir despesas

Foto: Daniela Barcellos / Divulgação

O governador eleito do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), e o vice, Ranolfo Vieira Júnior (PTB), tomaram posse na tarde da última terça-feira, dia 1º, em cerimônia na Assembleia Legislativa, em Porto Alegre.

Ele entrou no plenário da casa sob aplausos e, depois de assinar o termo de compromisso e posse, iniciou seu primeiro discurso como governador, por volta das 16h20. Leite discursou em tom conciliador, destacando a superação de diferenças e prometeu esforços para lidar a crise financeira do estado.

“É hora de romper de vez com a polarização inútil, com o confronto vazio, com a ideologização das pautas. Como se cultura fosse de esquerda e eficiência fosse de direita. Não são”, disse.

Leite também mencionou os esforços necessários para superar a crise financeira do estado, que acumula dívidas e atrasa salários. “De fato a real transformação da situação fiscal do nosso estado só vai se dar por meio de reformas estruturantes que nós vamos consolidar nos primeiros 100 dias, e que serão objetos de profundo diálogo com os demais poderes, o governo federal, a sociedade gaúcha como um todo, o inadiável e insustentável ajuste fiscal somente vai ser possível com o engajamento e o compartilhamento de todos”, disse.

Para o primeiro dia de governo, nesta quinta-feira, dia 2, Leite anunciou uma série de medidas. “Amanhã mesmo, pela manhã, na primeira reunião, vamos assinar uma série de decretos para controlar e reduzir despesas. Um choque inicial de contenção e eficiência”, informou.

Transmissão do cargo

Eduardo Leite chegou ao Plenário da Assembleia Legislativa com os pais, Rosa Eliana Figueiredo e José Luiz Mourisco Leite. Logo após, ele foi para o Palácio Piratini, onde recebeu o cargo de José Ivo Sartori (MDB).

“Como cidadão, desejo a vossa excelência que resista as pressões pelo bem comum”, disse o ex-governador a seu sucessor. “Nossas eventuais diferenças não me impedem de reconhecer seu caráter e sua postura como homem público”, retribuiu Eduardo Leite.

Logo após a transmissão do cargo, Leite acompanhou Sartori e a esposa, Maria Helena, até a saída do Palácio Piratini. Ainda na cerimônia, os secretários do governo foram empossados.

Leite foi prefeito de Pelotas, no Sul do estado, e se torna governador aos 33 anos. Ele foi eleito no segundo turno das eleições, por 53,62% dos votos válidos, contra 46,38% do ex-governador José Ivo Sartori (MDB). Os deputados tomam posse em 31 de janeiro.

G1-RS

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Nas próximas semanas, devem ser abertos, no mínimo, mais 40 leitos de UTI Covid no Estado

Governador havia antecipado que alta ocupação de leitos acionaria salvaguarda responsável por nível mais alto de restrição

Esse é o terceiro caso desse tipo registrado no Estado de São Paulo em menos de um mês

Indivíduo furtou dinheiro do caixa pela manhã e à tarde voltou para tentar novo furto