Giro do Vale / Esporte / Inter

Com gol no fim, Inter vence o Caxias e assume a vice-liderança do Gauchão

Pottker e Patrick marcaram os gols colorados no Beira-Rio

Foto: Ricardo Duarte / Inter / Divulgação

No ano passado, já tinha sido assim. Agora, em 2019, o Inter voltou a vencer nos minutos finais. Um gol de Patrick transformou um empate certo em vitória de 2 a 1 sobre o Caxias, resultado que deu a vice-liderança à equipe após sete rodadas do Gauchão. Pottker fez o outro, enquanto Rafael Gava descontou para a equipe da Serra.

Odair apresentou três novidades que há muito eram pedidas pela torcida: o lateral-esquerdo Uendel, o volante Nonato e o atacante Pedro Lucas foram titulares. Foram para o banco Iago, D’Alessandro e Tréllez. 

O início do Inter teve Pedro Lucas como protagonista. Como já havia feito nos jogos anteriores, o centroavante achou seu lugar entre a defesa adversária e levou vantagem em quase todos os lances contra os zagueiros. Na primeira oportunidade que teve, faltou-lhe ser um pouco fominha para chutar a gol. Tentou passar a Neilton, mas a defesa cortou. No Caxias, Bruno Alves era o desafogo. Pelo lado direito, levou vantagem duas vezes sobre Cuesta e Uendel. Em ambas as jogadas, faltou alguém para concluir seus perigosos cruzamentos rasteiros. 

A aparição inicial de Nonato foi decisiva para o Inter abrir o placar. Aos 12 minutos, a equipe buscou um ataque com Pedro Lucas, a defesa afastou, mas Nonato se antecipou e forçou a falha do Caxias. Dourado aproveitou o rebote e entregou para Pottker, que se livrou da marcação e bateu forte. A bola ainda tocou na trave e entrou: 1 a 0.

O gol bem que poderia deixar o jogo mais à feição do Inter, mas não foi o que se viu no Beira-Rio. O Caxias em nada se abalou com a desvantagem e seguiu com seu estilo: bola no chão, troca de passes, posse de bola e velocidade com Bruno Alves. O atacante, inclusive, incomodou a defesa mais uma vez pelo lado direito. Em velocidade, superou Uendel e ajeitou para trás, onde chegava o lateral Muriel, mas sua conclusão foi longe do gol. Aos 34, Bruno Alves encontrou espaço pelo meio e encarou Cuesta. Desta vez, porém, evitou o drible e tentou de longe. Lomba, atento, espalmou para longe e afastou o perigo. 

Só aos 39, o Inter voltou a assustar. Em cobrança de escanteio da direita, Dourado subiu mais do que todo mundo e cabeceou, mas a bola passou ao lado da trave de Lee. 

O segundo tempo começou da mesma forma que havia sido o primeiro. O Caxias seguiu sem se abalar com o resultado negativo. Bola no chão, troca de passes, marcação em quem estivesse com a bola: toda a cartilha vinha sendo cumprida fielmente. Aos 10 minutos, o prêmio chegou o prêmio. 

Era um escanteio para o Inter. A bola foi afastada pela defesa do Caxias, que armou o contra-ataque. Pela direita, Bruno Alves fez um cruzamento à meia altura, a bola cruzou a área, ninguém cortou e Rafael Gava acertou um belíssimo chute de pé esquerdo, no alto, sem chances para Marcelo Lomba.

O Inter tentava reagir e sofreu um duro golpe. Edenilson perdeu a bola no meio-campo e, para evitar novo contragolpe, fez falta por trás no adversário. Como já tinha cartão amarelo, foi expulso. O Inter, agora, teria um jogador a menos para buscar a vitória.

Para piorar ainda mais a situação do Inter, boa parte do Beira-Rio passou a vaiar o time e pressionar os atletas e a comissão técnica. Nem mesmo a entrada de D’Alessandro melhorou o ambiente. Aos 30, então, o murmurinho se transformou em vaias e até gritos de “Burro, burro” para Odair, por ter colocado Patrick no lugar de Nonato, àquela altura, exausto.

Apesar de tudo conspirar a favor, o curioso foi que o Caxias arrefeceu. Deixou de pressionar o Inter e passou a administrar o jogo. Isso foi bom para a equipe colorada, que voltou a merecer apoio depois da entrada de Rafael Sobis. O atacante, inclusive, teve a melhor chance de dar a vitória para o Inter. Em cobrança de falta, a bola passou pela barreira, desviou em Patrick e foi para fora, por pouco. 

E não é que Odair teve estrela? Aos 45, suas duas substituições deram resultado: Sobis cobrou uma falta do lado para a área. Patrick levou vantagem sobre a defesa e marcou o gol da vitória.

O futebol, então, mostrou sua versão mais cruel para os torcedores: os mesmos que vaiaram tanto comemoraram o gol do criticado jogador.

GAUCHÃO — 7ª RODADA — 17/2/2019

INTER (2)
Marcelo Lomba; Zeca, Rodrigo Moledo, Víctor Cuesta e Uendel; Rodrigo Dourado, Edenilson, Nonato (Patrick, 30’/2ºT), Neilton (D’Alessandro, 23’/2ºT) e Pottker; Pedro Lucas (Rafael Sobis, 37’/2ºT)
Técnico: Odair Hellmann

CAXIAS (1)
Lee; Muriel (Alex William, 30’/2ºT), Junior Alves, Thiago Sales e Samuel Balbino; Juliano (Junior Juazeiro, 46’/2ºT), Foguinho (Edu Grasson, 33’/2ºT), Diego Miranda e Rafael Gava; Bruno Alves e Ruan
Técnico: Pingo

Gols: Pottker (I), aos 12 minutos do primeiro tempo. Rafael Gava (C) aos 10 e Patrick (I) aos 45 minutos do segundo tempo
Cartões amarelos: Edenilson, D’Alessandro (I), Muriel, Thiago Sales, Edu Grasson, Bruno Alves (C)
Cartão vermelho: Edenilson (I)

Público: 20.079 (16.512 pagantes)
Renda: R$ 494.095
Local: Estádio Beira-Rio
Arbitragem: Douglas Silva, auxiliado por Rafael Alves e Michael Stanislau

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Três veículos se envolveram no acidente na altura do Km 344, próximo ao Guinhos Sansão

A vítima foi espancada, torturada, jogada em um terreno baldio e queimada

Com a colisão, a carreta ficou atravessada na rodovia. O trânsito chegou a ficar interrompido em ambos os sentidos

Uma van do transporte universitário de Boqueirão do Leão, com destino a Lajeado, e uma Saveiro e uma Saveiro se envolveram no acidente