Giro do Vale / Esporte / Inter

Com gol no fim, Inter vence o Caxias e assume a vice-liderança do Gauchão

Pottker e Patrick marcaram os gols colorados no Beira-Rio

Foto: Ricardo Duarte / Inter / Divulgação

No ano passado, já tinha sido assim. Agora, em 2019, o Inter voltou a vencer nos minutos finais. Um gol de Patrick transformou um empate certo em vitória de 2 a 1 sobre o Caxias, resultado que deu a vice-liderança à equipe após sete rodadas do Gauchão. Pottker fez o outro, enquanto Rafael Gava descontou para a equipe da Serra.

Odair apresentou três novidades que há muito eram pedidas pela torcida: o lateral-esquerdo Uendel, o volante Nonato e o atacante Pedro Lucas foram titulares. Foram para o banco Iago, D’Alessandro e Tréllez. 

O início do Inter teve Pedro Lucas como protagonista. Como já havia feito nos jogos anteriores, o centroavante achou seu lugar entre a defesa adversária e levou vantagem em quase todos os lances contra os zagueiros. Na primeira oportunidade que teve, faltou-lhe ser um pouco fominha para chutar a gol. Tentou passar a Neilton, mas a defesa cortou. No Caxias, Bruno Alves era o desafogo. Pelo lado direito, levou vantagem duas vezes sobre Cuesta e Uendel. Em ambas as jogadas, faltou alguém para concluir seus perigosos cruzamentos rasteiros. 

A aparição inicial de Nonato foi decisiva para o Inter abrir o placar. Aos 12 minutos, a equipe buscou um ataque com Pedro Lucas, a defesa afastou, mas Nonato se antecipou e forçou a falha do Caxias. Dourado aproveitou o rebote e entregou para Pottker, que se livrou da marcação e bateu forte. A bola ainda tocou na trave e entrou: 1 a 0.

O gol bem que poderia deixar o jogo mais à feição do Inter, mas não foi o que se viu no Beira-Rio. O Caxias em nada se abalou com a desvantagem e seguiu com seu estilo: bola no chão, troca de passes, posse de bola e velocidade com Bruno Alves. O atacante, inclusive, incomodou a defesa mais uma vez pelo lado direito. Em velocidade, superou Uendel e ajeitou para trás, onde chegava o lateral Muriel, mas sua conclusão foi longe do gol. Aos 34, Bruno Alves encontrou espaço pelo meio e encarou Cuesta. Desta vez, porém, evitou o drible e tentou de longe. Lomba, atento, espalmou para longe e afastou o perigo. 

Só aos 39, o Inter voltou a assustar. Em cobrança de escanteio da direita, Dourado subiu mais do que todo mundo e cabeceou, mas a bola passou ao lado da trave de Lee. 

O segundo tempo começou da mesma forma que havia sido o primeiro. O Caxias seguiu sem se abalar com o resultado negativo. Bola no chão, troca de passes, marcação em quem estivesse com a bola: toda a cartilha vinha sendo cumprida fielmente. Aos 10 minutos, o prêmio chegou o prêmio. 

Era um escanteio para o Inter. A bola foi afastada pela defesa do Caxias, que armou o contra-ataque. Pela direita, Bruno Alves fez um cruzamento à meia altura, a bola cruzou a área, ninguém cortou e Rafael Gava acertou um belíssimo chute de pé esquerdo, no alto, sem chances para Marcelo Lomba.

O Inter tentava reagir e sofreu um duro golpe. Edenilson perdeu a bola no meio-campo e, para evitar novo contragolpe, fez falta por trás no adversário. Como já tinha cartão amarelo, foi expulso. O Inter, agora, teria um jogador a menos para buscar a vitória.

Para piorar ainda mais a situação do Inter, boa parte do Beira-Rio passou a vaiar o time e pressionar os atletas e a comissão técnica. Nem mesmo a entrada de D’Alessandro melhorou o ambiente. Aos 30, então, o murmurinho se transformou em vaias e até gritos de “Burro, burro” para Odair, por ter colocado Patrick no lugar de Nonato, àquela altura, exausto.

Apesar de tudo conspirar a favor, o curioso foi que o Caxias arrefeceu. Deixou de pressionar o Inter e passou a administrar o jogo. Isso foi bom para a equipe colorada, que voltou a merecer apoio depois da entrada de Rafael Sobis. O atacante, inclusive, teve a melhor chance de dar a vitória para o Inter. Em cobrança de falta, a bola passou pela barreira, desviou em Patrick e foi para fora, por pouco. 

E não é que Odair teve estrela? Aos 45, suas duas substituições deram resultado: Sobis cobrou uma falta do lado para a área. Patrick levou vantagem sobre a defesa e marcou o gol da vitória.

O futebol, então, mostrou sua versão mais cruel para os torcedores: os mesmos que vaiaram tanto comemoraram o gol do criticado jogador.

GAUCHÃO — 7ª RODADA — 17/2/2019

INTER (2)
Marcelo Lomba; Zeca, Rodrigo Moledo, Víctor Cuesta e Uendel; Rodrigo Dourado, Edenilson, Nonato (Patrick, 30’/2ºT), Neilton (D’Alessandro, 23’/2ºT) e Pottker; Pedro Lucas (Rafael Sobis, 37’/2ºT)
Técnico: Odair Hellmann

CAXIAS (1)
Lee; Muriel (Alex William, 30’/2ºT), Junior Alves, Thiago Sales e Samuel Balbino; Juliano (Junior Juazeiro, 46’/2ºT), Foguinho (Edu Grasson, 33’/2ºT), Diego Miranda e Rafael Gava; Bruno Alves e Ruan
Técnico: Pingo

Gols: Pottker (I), aos 12 minutos do primeiro tempo. Rafael Gava (C) aos 10 e Patrick (I) aos 45 minutos do segundo tempo
Cartões amarelos: Edenilson, D’Alessandro (I), Muriel, Thiago Sales, Edu Grasson, Bruno Alves (C)
Cartão vermelho: Edenilson (I)

Público: 20.079 (16.512 pagantes)
Renda: R$ 494.095
Local: Estádio Beira-Rio
Arbitragem: Douglas Silva, auxiliado por Rafael Alves e Michael Stanislau

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Também foram encontradas aproximadamente 20 buchas de crack, bem como dinheiro trocado, característico do tráfico de drogas

Estrutura tem condição de grave e iminente risco à saúde e à integridade física dos 353 trabalhadores

Criminosos, um homem e quatro mulheres, são de Porto Alegre