Giro do Vale / Esporte / Inter

Inter vence o Juventude, no Alfredo Jaconi

Nico López e Pedro Lucas anotaram os gols do triunfo por 2 a 1 sobre a equipe da Serra

Foto: Ricardo Duarte / Inter / Divulgação

O Inter derrotou o Juventude e conseguiu a segunda vitória seguida no Gauchão, neste domingo. Em um duelo equilibrado no estádio Alfredo Jaconi, a equipe colorada suportou pressão inicial dos donos da casa e alcançou o 2 a 1 com Nico López e Pedro Lucas – Dalberto descontou, nos acréscimos de uma partida marcada também por uma confusão quase que generalizada ao fim do primeiro tempo.

Com o triunfo, o Inter sobe para a quarta colocação, com dez pontos. O Juventude, com sete, caiu para o sétimo lugar. Na próxima rodada, os colorados voltam a enfrentar um adversário da Serra, o Caxias, no estádio Beira-Rio. O Juventude encara o Veranópolis, no Antônio David Farina. Ambas as partidas estão marcadas para domingo. 

O jogo

O time da casa entrou forte, em busca de sua primeira vitória como mandante. No primeiro minuto de jogo, a zaga colorada já afastava a bola cruzada para a área. Aos três minutos, o árbitro apitou a primeira falta. Após passe de Edenilson, Pottker arrancou pela direita e foi derrubado. Na cobrança, Nico López tentou colocar de pé esquerdo, mas mandou para fora. Aos seis, o ele ficou livre na entrada da área depois de uma saída errada dos mandantes e, na tentativa de uma bola encaixada, chutou pela linha de fundo.

O Juventude teve a primeira chance clara com Bruno Camilo, que recebeu passe de Braian Rodríguez pela direita e chutou rasteira. Lomba tocou, mandando para fora, mas o árbitro marco só tiro de meta. Pelo Inter, Enedilson mostrou consistência pelo meio campo e foi a base de jogo colorada. Afinado com Nico, o volante abusou dos lançamentos longos. Aos 12 minutos, o uruguaio chutou e Marcelo Carné defendeu. Essa insistência era um prenúncio do gol colorado pelos pés do próprio, pouco tempo depois.

Antes, contudo, deu para a zaga do time da Capital suar a camisa. Os donos da casa insistiam na bola aérea, buscando o homem de referência: Braian Rodríguez. Aproveitando a pressão e a desatenção dos defensores adversários após três escanteios seguidos, o camisa 17, dentro da pequena área, teve a oportunidade de abrir o marcador, mas isolou a pela linha de fundo. E, como diz a máxima do futebol, quem não faz leva.

No contra-ataque, Nico se livrou da marcação e aproveitou lançamento de Edenilson para chutar de pé direito e estufar a rede. Com o bom momento do ataque, o time apostou na força ofensiva para ampliar o placar, cruzando por ambos os lados. O Juventude até que tentava responder com força ofensiva, mas não conseguiu. Aos 22, Dalberto chutou de fora da área e Lomba pegou sem dificuldades. Na sequência, aos 25 a torcida reclamou pênalti não marcado em Braian Rodríguez, que caiu na área depois de um empurrão de Cuesta. Ao som das vaias, o árbitro mandou o jogo seguir.

Nico teve a chance de marcar mais após que obrigou o arqueiro Marcelo Carné a sair da área e afastar de cabeça. A glória do uruguaio, contudo, estava perto de acabar. Em um jogo pegado, o time de Caxias tentava empatar com transições aéreas, mas a dupla Cuesta e Moledo estava atenta. Aos 41, o clima esquentou com um desentendimento de Pottker com o treinador Luís Carlos Winck. A bola parou nos pés do técnico, que jogou para o lado quando o jogador colorado chegava. Ele, então, deu um encontrão no “professor” e o banco de reservas foi pra cima. Na confusão,  Nico e o zagueiro Victor Sallinas trocaram socos e foram expulsos. Nos minutos seguintes, uma partida protocolar e sem muitas chances até o árbitro indicar o fim do primeiro tempo.

Se na primeira metade o jogo foi acirrado, a segunda parcial foi marcada por maior domínio colorado. Iago, mais solto, apareceu pela esquerda criando oportunidades de ampliar o placar. A melhor chance veio com Neilton, aos nove minutos: pegou sobra do escanteio, mandou uma bomba de esquerda, mas foi pra fora. Aos 14, ele, de novo, chutou forte, e bola deu uma quicadinha antes do goleiro espalmar pela linha de fundo. Apesar da maior consistência técnica e física do Inter, o Juventude não vendia barata a derrota e tentava chegar. E até avançava à área, mas não conseguia finalizar.

Com força ofensiva pelos dois lados, Iago teve a oportunidade de marcar o seu, mas desperdiçou um gol feito dentro da área aos 17 minutos. Na hora de chutar, se atrapalhou e chutou no próprio pé. Os donos da casa quase empataram aos 22, com uma bela jogada de Dalberto pelo lado direto. O atacando recebeu, se livrou da marcação e chutou forte em direção à gaveta esquerda, mas Marcelo Lomba fez uma bela defesa.

A glória de Pedro

Depois de uma boa partida contra o Brasil de Pelotas, a torcida pediu o jovem atacante Pedro Lucas como titular. Ele não começou jogando, mas saiu da casamata para marcar o dele e ampliar o placar. Aos 31 minutos, o garoto de 20 anos, que substituiu um apagado Tréllez, fez seu primeiro gol como profissional. Depois de uma bela jogada de Neilton pela esquerda, rendendo o zagueiro e o goleiro, o camisa 41 colorado só colocou para dentro. Saiu todo sorridente e foi abraçado pelos colegas de elenco.

Nos minutos finais, o mandante tentava um gol de honra, apostando nos cruzamentos longos para a área, mas a mira não estava calibrada. Iago quase marcou contra aos 38 minutos: quando foi interceptar uma das enfiadas de bola, se atrapalhou todo e furou, mandando em direção à própria goleira. Lomba pegou no contrapé, quase caindo. O Juventude, que ainda não venceu no Jaconi, saiu conseguiu nos acréscimos diminuir a diferença, já na prorrogação. Dalberto marcou o dele se livrando da marcação de Dourado e aproveitando o cruzamento de Eltinho. Mas não havia mais nada a ser feito. Dois minutos depois, o apito final decretou o fim da partida.

Correio do Povo

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Indivíduo estava escondido na casa de parentes em Tramandaí

As alíquotas não foram divulgadas pelo banco

Ao retornar do banheiro o jovem não encontrou mais o aparelho

Volume de chuva deve ser menor, mas ainda há risco de pancadas isoladas mais fortes