Giro do Vale / Esporte / Grêmio

Grêmio perde para a Universidad e se complica na Libertadores

Tricolor foi batido por 1 a 0 no estádio San Carlos de Apoquindo

Foto: Divulgação

Sem inspiração e completamente perdido coletivamente, o Grêmio foi derrotado na noite desta quinta-feira pela Universidad Católica no estádio San Carlos de Apoquindo. O revés de 1 a 0, com gol de Sebastian Saez, complicou o futuro do Tricolor na Libertadores e agora a classificação para a segunda fase depende de um milagre. 

Com o resultado, o Grêmio permanece com apenas um ponto. O time acabou sendo beneficiado pela vitória do Libertad (2 a 0) em cima do Rosario Central. Em razão do saldo, o Tricolor ocupa agora a terceira colocação. Para ter chances de chegar à etapa de eliminatória, o Tricolor precisará vencer seus três próximos compromissos e ainda torcer por tropeços dos adversários. Antes de retornar à Libertadores, o time de Renato Portaluppi terá que garantir a passagem para final do Gauchão diante do São Luiz no próximo domingo, na Arena. 

Grêmio começa mal e chilenos saem na frente 

Irreconhecível. Assim é possível definir a atuação gremista nos primeiros 45 minutos diante da Universidad Católica. Jogando por seu futuro na Libertadores, já que entrou na rodada como lanterna, o Tricolor fez uma primeira etapa abaixo da crítica para um time que esteve nas semifinais do torneio no ano passado. 

Escalado com o que tem de melhor, incluindo Montoya, o Grêmio bem que tentou fazer o seu jogo no estádio San Carlos de Apoquindo. A iniciativa, porém, não funcionou. Marcando muito, a Universidad Católica abriu mão de ter a posse de bola para explorar os contra-ataques nos primeiros minutos de partida. 

Ainda que tivesse o controle técnico, o Grêmio não conseguia se achar no ataque. Tardelli e Luan estavam mal individualmente e Everton era a figura mais lúcida do Tricolor do meio para frente. O confronto ficou muito disputado a partir dos 10 minutos, com muitas perdas de bola e poucas conclusões a gol. A partir dos 16, a história mudou e foi aí que o time gaúcho se perdeu no primeiro tempo. Após uma boa jogada de Magnasco pela direita, o centroavante Saez aproveitou um bom cruzamento e abriu o placar. Ele pegou a bola na frente da zaga e, de peito de pé, colocou no canto direito de Paulo Victor para fazer 1 a 0. 

O Grêmio, que já não vinha bem antes de sofrer o tento, sucumbiu em erros e na afobação. Mesmo com maior posse de bola, o meio-campo gremista fazia questão de entregar a bola para a Universidad Católica. Os erros de passe protagonizados por Michel, Montoya e Maicon colaboraram para a má atuação gremista. Como se não bastasse isso, o desacerto entre os homens de ataque facilitava o trabalho para a zaga chilena.

A dificuldade gremista chegou ao seu ápice a partir dos 30 minutos, quando a Universidad Católica armou um contra-ataque e quase chegou ao segundo gol. Edson Puch foi lançado dentro da área e bateu de sem pulo. Para a sorte do Grêmio, o chute saiu desviado. Aos 37, em um lampejo de bom futebol, Everton partiu para cima da marcação e conseguiu uma cobrança de falta perto da área. Talvez aí estivesse a oportunidade de reação, em uma bola parada. A execução da falta, porém, foi de acordo com a atuação do time gaúcho até então: terrível. Maicon decidiu cobrar e a bola ficou na barreira. 

O primeiro tempo chegou ao fim com um placar justo e com um Grêmio com muita coisa para consertar no vestiário. Uma mudança de postura se mostrava obrigatória para ganhar uma sobrevida na Libertadores. 

Esforço coletivo para jogar 

Grêmio e Universidad Católica retornaram para o segundo tempo sem alterações. Os primeiros minutos da etapa complementar foram marcados pela repetição de roteiro do tempo anterior. O Tricolor com mais posse de bola tentava se aproximar da área, enquanto a Universidad Católica esperava no seu campo de defesa. 

Os traços de afobação e falta de inspiração permaneceram no Grêmio na volta do vestiário. O estilo de jogo conhecido por todos foi abandonado e um lance que traduz isso ocorreu aos seis minutos, quando Kannemann, sozinho, saiu do campo de defesa e, a dribles, passou por três marcadores sem receber auxílio dos colegas. 

Everton era o único tentava alguma coisa pelo Grêmio e e foi ele quem deu um susto nos chilenos aos 11 minutos. Após uma cobrança de falta, o Tricolor aproveitou o contra-ataque com o atacante. Ele fintou dois marcadores e bateu forte. Para a infelicidade do camisa 11, a bola subiu demais e passou longe do gol defendido por Matías Dituro. 

A paciência de Renato Portaluppi com o time gremista se esgotou aos 17 minutos e uma troca dupla foi a tentativa do treinador para mudar a história do jogo. Luan e Tardelli deixaram o gramado para as entradas de Jean Pyerre e André. Logo após as mudanças, a primeira jogada bem trabalhada do Grêmio apareceu aos 19 minutos. Após um tabelamento na entrada da área, André girou rápido e encontrou Cortez sozinho dentro da área. O lateral bateu firme, mas Dituro evitou o empate gremista. 

A última cartada de Renato no confronto foi dada aos 27 minutos. Montoya deixou o gramado para a entrada de Alisson. Com a opção pelo meia-atacante, o Grêmio apostava em uma maior movimentação no campo de ataque. A substituição, no entanto, não teve um efeito prático num primeiro momento. Quem se aproveitou da fragilidade gremista foi a Universidad Católica, que quase chegou ao segundo gol aos 31 minutos. Saez recebeu um cruzamento da esquerda e, posicionado entre Geromel e Kanemann, cabeceou. A bola subiu e demais e assustou o goleiro Paulo Victor. 

Nos minutos finais, o Grêmio não conseguiu encontrar forças para reagir. Alisson, que entrou para dar mais vida ao ataque, sucumbiu à confusão coletiva da equipe e pouco produziu para mudar o placar. A derrota no Chile apontou um caminho espinhoso para a classificação para a segunda fase.

Libertadores 2019 – Grupo H 

Universidad Católica (1)
Matías Dituro; Magnasco, Lanaro, Kuscevic e Cornejo; Fuentes, Luciano Aued, Pinares e José Fuenzalida; Edson Puch (Lobos) e Sebastián Sáez.
Técnico: Gustavo Quinteros 

Grêmio (0)
Paulo Victor; Leonardo Gomes, Geromel, Kannemann e Bruno Cortez; Michel, Maicon, Montoya (Alisson), Luan (Jean Pyerre) e Everton; Diego Tardelli (André).
Técnico: Renato Portaluppi.

Gols: Saez, aos 16/1ºT
Cartões Amarelos: Magnasco (U); Geromel (G); Aued (U); Jean Pyerre (G); 
Árbitro: Wilmar Roldán. 
Local: estádio San Carlos de Apoquindo 

Correio do Povo

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Em um comunicado pelo Facebook Edmilson Busatto, que está de férias, anunciou que está internado na cidade de Sobral no Ceará

Instabilidade mais forte deve atingir a Metade Oeste do Estado

Medida será tomada após 57 meses de vencimentos parcelados

Modelo de Distanciamento Controlado apresenta o pior momento da pandemia no Estado