Giro do Vale / Estado / Geral

PF monitorava quadrilha na região onde carros furaram barreira em Cristal

Grupo de Lajeado realizou diversos ataques com uso de explosivos antes de confronto

Foto: Polícia Federal / Divulgação

A Polícia Federal (PF) estava monitorando uma quadrilha com base em Lajeado desde o início de julho na região Sul do Rio Grande do Sul. Os criminosos vinham utilizando explosivos em ataques a bancos de diversas cidades do interior do Estado. Na noite d última terça-feira, dia 16, policiais entraram em confronto com suspeitos sem uma barreira montada em Cristal, resultando na morte de duas mulheres e um menino ferido, que mais tarde foi encaminhado ao hospital de Pronto Socorro, de Porto Alegre, em estado grave.

Mais de cem policiais estavam na região e avisaram os prefeitos de Dom Feliciano, Cristal e Amaral Ferrador sobre ação nessa noite. Os trabalhos de inteligência davam conta de que membros da quadrilha viriam tentar resgate de assaltantes que estariam escondidos desde o assalto a um banco de Dom Feliciano no dia 6 de julho. 

O prefeito do município, Clenio Boeira da Silva, ressaltou que outra tentativa de resgate já havia acontecido recentemente. “A partir do confronto anterior, começou toda a investigação. Ontem havia mais de cem policiais e helicóptero monitorava também. Recebi visita do comandante da Brigada Militar de Camaquã, informando sobre a tentativa de resgate com Honda Civic. E foi exatamente o que aconteceu. Pelo que sei, Dom Feliciano é apenas uma ponta dessa investigação”.

Conforme nota da PF, policias federais do Grupo de Pronta Intervenção (GPI), após receberem informações da possibilidade de resgate, montaram barreiras na rodovia no município de Cristal. Dois veículos furaram a primeira barreira e, na segunda abordagem, houve confronto com troca de tiros. Duas mulheres morreram, um homem, condenado por homicídio e que estava em prisão domiciliar, e seu filho, ficaram feridos. Foi encontrado e apreendido armamento em um dos veículos.

As mulheres mortas foram identificadas como Aline Schmidt Pirola e Daniela Weinsmann. Segundo o delegado regional de Cristal, Edson Ramalho, ainda não há informações mais completas sobre as vítimas fatais, nem a respeito do menino de quatro anos baleado na cabeça e nos braços. Segundo a assessoria de imprensa da PF, será instaurado um inquérito policial para apurar as circunstâncias das mortes. 

Aline Schmidt Pirola (25) e Daniela Weizemann (35) ocupavam dois veículos que teriam tentado furar o bloqueio policial – Foto: Arquivo pessoal / reprodução

A Polícia Federal investigava o envolvimento do grupo criminoso por assaltos à Caixa Econômica Federal e a outros bancos. Uma agência do banco Bradesco foi alvo de ataque com explosivos em Dom Feliciano, no sul do estado. Os criminosos, fortemente armados, explodiram o banco para acessar os caixas eletrônicos. O carro utilizado no crime foi encontrado abandonado logo depois nas proximidades do município de Amaral Ferrador.

Correio do Povo

Veja mais imagens

Clique para ampliar

Clique para ampliar

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Agentes perceberam os presos tentando resgatar objetos no telhado do banheiro localizado no pátio

Caminhão atingiu a traseira do carro durante a ação

Mínimas devem ficar perto de 0°C em algumas regiões do Estado

Condutor foi arremessado para fora de veículo, após perder o controle do carro e colidir em uma árvore