Giro do Vale / Destaque / Geral

Funcionários dos Correios encerram greve no Rio Grande do Sul

Trabalhos foram retomados às 23h desta terça-feira, dia 17

Foto: Divulgação

Funcionários dos Correios decidiram encerrar a greve no Rio Grande do Sul. A decisão foi tomada em assembleia da categoria realizada nesta terça-feira, dia 17, em Porto Alegre.

De acordo com a direção da empresa, os serviços com horários marcados, como  Sedex 10, Sedex 12 e Sedex Hoje, foram afetados com a paralisação das atividades que já duram uma semana. Não há um balanço de quantas entregas estão atrasadas, nem a adesão. 

Conforme o secretário-geral do Sindicato dos Trabalhadores em Correios e Telégrafos do Rio Grande do Sul, Alexandre dos Santos Nunes, os trabalhos serão retomados às 23h desta terça-feira.

 — Suspendemos a greve, conforme orientação nacional da categoria. Mas seguiremos mobilizados. No dia 24 de setembro, vamos protestar contra a reforma da previdência e as privatizações. Estamos também marcando mobilização para 1º de outubro, um dia antes do julgamento do dissídio no TST (Tribunal Superior do Trabalho) — conta o dirigente sindical.

São 7,1 mil trabalhadores no Rio Grande do Sul

A direção dos Correios divulgou nota antes da conclusão de todas as assembleias estaduais. No documento, sustenta que as entidades tinham até as 22h para acabar com a greve, conforme condição para que empresa aceitasse a proposta do TST de manter as cláusulas do Acordo Coletivo de Trabalho 2018/2019 até o dia 2 de outubro, data do julgamento do dissídio coletivo.

Ainda de acordo com a empresa, “desde o início da paralisação parcial, os Correios colocaram em prática um plano de continuidade de negócios, estabelecendo ações de contingência para amenizar eventuais impactos à população”. 

Entre as medidas, destaca a empresa, estiveram o deslocamento de empregados administrativos para auxiliar na operação e a realização de mutirões nos fins de semana. As ações contingenciais continuarão, garantem os Correios, a ser adotadas até que as entregas sejam normalizadas.

A greve havia sido aprovada porque os trabalhadores não aceitaram a proposta de reajuste salarial oferecida pela empresa, de 0,8%. Também por causa da provável privatização dos Correios.

GaúchaZH

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Em um comunicado pelo Facebook Edmilson Busatto, que está de férias, anunciou que está internado na cidade de Sobral no Ceará

Instabilidade mais forte deve atingir a Metade Oeste do Estado

Medida será tomada após 57 meses de vencimentos parcelados

Modelo de Distanciamento Controlado apresenta o pior momento da pandemia no Estado