Giro do Vale / Esporte / Grêmio

Grêmio é dominado pelo Athletico-PR e eliminado nos pênaltis

Depois de levar 2 a 0 no tempo regulamentar, Tricolor perdeu nas penalidades por 5 a 4

Foto: Divulgação

Na noite fria de Curitiba, nada deu certo para o Grêmio, que levou uma virada improvável nesta quarta-feira. O time jogou mal, perdeu por 2 a 0 para o Athletico-PR no tempo regulamentar e foi eliminado nos pênaltis da Copa do Brasil. Depois de ser dominado por quase 90 minutos dentro de campo na Arena da Baixada, o Tricolor arrastou as penalidades até a última cobrança, mas foi derrotado por 5 a 4. Pepê, que substituiu Everton, suspenso da partida, foi o último homem a cobrar. Seu chute à meia altura na esquerda parou no goleiro Santos, que espalmou para fora e saiu em comemoração. Fim de confronto e do sonho do hexa em 2019.

Com a torcida cantando forte durante as cobranças, os donos casa deram início com Bruno Guimarães, que bateu firme no meio da goleira para converter. Galhardo convertou a primeira batida do Tricolor. O volante Lucho González cobrou à meia altura, na direita, mesmo lado escolhido pelo arqueiro gremista, e estufou a rede. David Braz também converteu sua penalidade, deslocando Silva.

Na sequência Nikão fez o mesmo com Paulo Victor. Alisson também convertou, batendo alto, no meio do gol. Cirino colocou o Furacão em vantagem. Matheu Henrique chutou firme e deixou tudo igual novamente. Marco Rubio foi para a quinta cobrança e converteu. Foi então que Pepê errou.

Primeiro tempo de alta tensão

Com as duas equipes apostando na velocidade, aos quatro minutos, uma das figuras mais polêmicas do futebol brasileiro já entrou em ação. O árbitro Wagner do Nascimento Magalhães acionou o VAR após suposto toque de no braço do meia Wellington após cobrança de escanteio. Após revisão no monitor, mandou a partida seguir. O Grêmio ensaiou uma pressão inicial com uma sequência de escanteios, mas foram os donos da casa que quase abriram o marcador após cobrança fechada de Rony. A bola caiu na rede, por cima da goleiro, garantindo o tiro de meta.

Os ânimos se acirraram quando Pepê foi derrubado no campo ofensivo. Jogadores se aglomeraram em uma discussão, especialmente André com Márcio Azevedo e Lucas Halter. Após intervenção da arbitragem, o jogo foi retomado. Aos 14, Leonardo foi ao chão após choque com Rony. Na queda, o lateral torceu o joelho e foi retirado do gramado. Oportunista, o Athletico se aproveitou da vantagem numérica para marcar o primeiro gol do confronto.

Rony avançou pelo lado esquerdo, levou para a linha de fundo e encontrou Bruno Guimarães em toque para atrás. O camisa 39 chutou forte no travessão. No rebote, a bola sobrou nos pés de Nikão, que empurrou para dentro sem muitas dificuldades, levando a torcida à loucura na Arena da Baixada. Com a vantagem no placar, mas ainda precisando reverter o saldo negativo, os mandantes mantiveram uma relação ataque-defesa sólida e controlaram a situação, sem dar muitos espaços para os visitantes usarem a velocidade de Pepê ou conseguirem orquestrar com Matheus Henrique e Jean Pyerre.

O Athletico dominou a posse durante boa parte da primeira parcial, contudo, não levou perigo para marcar o segundo. Os comandados de Tiago Nunes tentavam mais os cruzamentos longos pelo alto e arriscavam de média e longa distância. Na casa dos 40, foram duas tentativas de fora da área: primeiro, com Lucas Halter e, depois, com Bruno Guimarães. Em ambas oportunidades, chutaram por cima do gol de Paulo Victor.

Quando ficava com a bola, o Grêmio optava pelo seu tradicional jogo de muitos toques e construção, contudo, sem objetividade: não tinha efetividade para criar chances reais de perigo. A melhor chance dos gaúchos foi aos 30,  numa cabeçada de Alisson após lançamento de lateral. Quem mais apareceu foi o goleiro. Apear de pouco exigido, roubou minutos de jogo com a tradicional cera e levou fortes vais da torcida da casa. Por conta disso e das lesões de Leo Gomes e do VAR, foram seis minutos de acréscimo.

Grêmio é dominado na segunda etapa

Sem alterações na escalação, as duas equipes voltaram a campo com a mesma tônica: donos da casa impondo o jogo. Sem dar tempo para o Grêmio pensar, aos 3, o Athletico ampliou o marcador com Marco Ruben, que não balançava as redes há 12 jogos. o camisa 9 se antecipou a Geromel no cuzamento de Rony pela esquerda e desviou de cabeça para o fundo do gol. Forçando os lances para cima de Galhardo e pressionando a saída de bola, o Furacão não deu chances para o meio campo gremista. A situação ficou ainda mais dramática quando Léo Cittadini sofreu entrada violenta de Kannemann em um contra-ataque. O zagueiro argentino levantou o meia em um carrinho e foi expulso, desfalcando o time numericamente.

Irritado na casamata, Renato sacou o apagado André para colocar David Braz no jogo. Aos 21, em rebote, o zagueiro conseguiu desviar de cabeça para o fundo das redes, mas estava em posição de impedimento e o gol foi anulado. Com mais espaços para criar, os mandantes não se abalaram e seguiram colocando pressão. Thaciano foi lançado no lugar de Jean Pyerre aos 34 para tentar organizar o meio campo e reforçar a marcação.

Dois minutos depois, em um contra-ataque, ele arrancou sozinho, marcado por três e conseguiu a lateral. Na sequência, falta em Galhardo e, no rebote, o Grêmio teve uma grande chance: Cortez ergeu para a área do meio-campo e a bola ficou com David Braz, que girou e tentou o cruzamento por baixo. A bola desviou em Marco Ruben, e quase traiu Santos, que fez a defesa para impedir o gol.

A pressão do Furacão foi forte nos cinco minutos acrescidos pelo árbitro no jogo regulamentar. No fim da partida, Khellven foi à linha de fundo pela direira e cruzou na cabeça de Marcelo Cirino, que desviou à esquerda do gol de Paulo Victor, próximo à trave! Os 90 minutos tiveram igualdade de placares, as penalidades acabaram sendo fatais para as pretensões gremistas.

Copa do Brasil 2019 – Semifinal

Athletico-PR 2 (5)
Santos; Khellven, Robson Bambu, Lucas Halter e Marcio Azevedo; Wellington (Marcelo Cirino), Bruno Guimarães, Léo Cittadini, Nikão e Rony (Vitinho); Marco Rúben
Técnico: Tiago Nunes
Grêmio 0 (4)
Paulo Victor; Leo Gomes, Geromel, Kannemann e Cortez; Matheus Henrique, Rômulo, Jean Pyerre, Alisson e Pepê, André.
Técnico: Renato Portaluppi

Cartões amarelos: Marcelo Cirino, Marco Ruben, Bruno Guimarães, Lucas Halter (Athletico-PR)
Cartão vermelho: Kannemann (Grêmio)
Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)

Correio do Povo

Comentários

  1. Anônimo disse:

    Rindo do grêmio até 2030 kkkkkkkkkkkkkkkk

Envie-nos o seu comentário

Publicidade

Últimas Notícias

No primeiro enfrentamento entre as equipes bom-retirenses, o Largados levou a mehor

Equipe bom-retirense vai até Mato Leitão onde disputa última partida da fase classificatória

Acampamento Farroupilha e atrações culturais marcam atividades que vão até dia 22 de setembro

Quina foi marcada por 154 jogos que poderão sacar mais de R$ 47 mil