Giro do Vale / Esporte / Inter

Inter fica no empate com o Athletico

Inferior no primeiro tempo, Colorado melhora na etapa final, vê VAR anular gol e fica no 1 a 1 em reencontro com algoz da final da Copa do Brasil

Foto: Ricardo Duarte / Inter / Divulgação

O Inter não fez bom primeiro tempo, mas conseguiu sair na frente do Athletico-PR, que igualou o placar ainda na etapa inicial. No entanto, reagiu e melhorou a produção ofensiva. Viu Guerrero errar pênalti e o VAR anular o gol que seria o da vitória. Assim, ficou no 1 a 1 no reencontro com o algoz da final da Copa do Brasil, na noite desta quinta-feira, no Beira-Rio.

Rodrigo Lindoso abriu o placar, em belo gol por cobertura, que também teve participação (demorada) do VAR para ser confirmado. O gol do Athletico-PR foi marcado por um velho conhecido da torcida colorada. Rony, que já havia feito na final da Copa do Brasil, empatou e decretou o placar.  

Com o resultado, o Inter fica na 6ª colocação, com 46 pontos, um a menos que o rival, Grêmio. Fica, ainda, três pontos distante do São Paulo, primeira equipe dentro do G4 do Brasileirão. Agora, tudo é Gre-Nal para o Colorado. No domingo, às 18h, a equipe de Zé Ricardo enfrenta o Grêmio, na Arena, no clássico 422. O jogo é válido pela 30ª rodada do Brasileirão.

Inter marca, mas cede o empate

O Inter iniciou mais uma vez com Guilherme Parede entre os titulares. Patrick, que também era dúvida no time de Zé Ricardo, começou entre os 11. Já o Athletico-PR começou com vários jogadores que estiveram em campo na final da Copa do Brasil. Caso dos atacantes Marco Rúben, Rony e do meia Nikão.

Quem abriu o placar foi o Inter. Aos 11 minutos, Paolo Guerrero enfiou boa bola para Rodrigo Lindoso. O volante saiu na cara de Santos, e teve categoria para encobrir o goleiro do Athletico-PR e fazer o 1 a 0. Após muita demora (mais de 6 minutos), momento em que o árbitro ouviu o VAR sobre uma possível posição irregular de Lindoso, o gol foi confirmado.

O time visitante, contudo, não sentiu o gol. Manteve a posse da bola e criou boas oportunidades pelos lados do campo. E foi justamente pela ala que a equipe de Tiago Nunes construiu seu gol de empate. Aos 22 minutos, Madson levou vantagem sobre Zeca, que ficou caído no lance. Ele cruzou para área e lá estava Rony que, de novo, marcou contra o Inter. Na comemoração, o atacante inclusive repetiu o gesto após marcar o gol da vitória na final da Copa do Brasil.

Melhor no jogo, o Athletico-PR teve pelo menos duas boas chances de virar. A melhor delas em uma bela enfiada de bola de Rony para Nikão. O jogador tirou do goleiro Marcelo Lomba, mas finalizou fraco, e deu tempo da zaga do Inter afastar antes de a bola chegar perto da linha. Depois, Madson ganhou de Patrick na corrida e achou Nikão, que bateu de fora da área para Lomba espalmar e garantir o 1 a 1 no primeiro tempo.

Os números demonstraram a superioridade do Athletico-PR no primeiro tempo. O Colorado até teve mais posse de bola, com 55% a 45%. No entanto, foram cinco finalizações dos paranaenses contra apenas três do Inter. Em todas, o Athletico levou mais perigo que o Inter em suas conclusões.

VAR entra em ação em fim de jogo movimentado

No segundo tempo, o Athletico-PR manteve a disciplina tática da etapa inicial. O Inter, por sua vez, pouco conseguia fazer para furar o bloqueio. Nos primeiros 15 minutos, esbarrou na defesa bem postada, o que gerou bronca da torcida. O time de Zé Ricardo não conseguia imprimir velocidade nem ocupar o campo adversário, tocando demais a bola no próprio setor defensivo.

Aos 16 minutos, Zé Ricardo apostou em Wellington Silva para tentar mudar o cenário do jogo. O Beira-Rio ficou dividido, entre vaias e apoio ao jogador que deixou o campo, Patrick. Três minutos depois, o Inter criou boa chance com D’Alessandro. Edenilson puxou contra-ataque e achou D’Alessandro pelo meio. De fora da área, o meia bateu por cobertura, e a bola tocou caprichosamente no travessão, quase marcando outro golaço na noite de quinta-feira no Beira-Rio.

A partir daí, o Inter melhorou no jogo. Criou boas chances de ampliar, primeiro com Guilherme Parede e depois com Rodrigo Lindoso, em belo chute de primeira após rebote que sobrou da entrada da área, afastado pela defesa do Athletico-PR. No lance, o Inter reclamou de um pênalti fora da jogada, não marcado pelo árbitro.

Aos 36 minutos, um dos lance-chave em um fim de jogo eletrizante. Após finalização dentro da área, a bola bateu no braço de Márcio Azevedo. Depois de consultar o VAR, com muita demora de novo, o árbitro confirmou o pênalti. O atacante Paolo Guerrero bateu, mas Santos defendeu e mandou para escanteio.

Na sequência do lance, após a cobrança, Guerrero marcou. No entanto, novamente o árbitro de vídeo entrou em ação. E flagrou a posição irregular de Nico López. Na origem da jogada, a bola sobra para o atacante, que finalizou em impedimento, bem adiantado. O árbitro anulou o lance, e o Inter pouco reclamou, já que o próprio uruguaio reconheceu a posição irregular. Mesmo com nove minutos de acréscimo após as paralisações, não houve tempo para tirar o 1 a 1 do placar.   

Campeonato Brasileiro – 29ª rodada

Inter 1
Marcelo Lomba; Heitor, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Zeca; Rodrigo Lindoso, Edenílson, D’Alessandro, Patrick (Wellington Silva) e Guilherme Parede; Guerrero. Técnico: Zé Ricardo

Athletico-PR 1
Santos; Khellven, Thiago Heleno, Léo Pereira e Adriano; Wellington, Bruno Guimaraães, Bruno Nazário, Nikão e Rony; Marco Rúben. Técnico: Tiago Nunes

Gols: Rodrigo Lindoso (11/1T); Rony (22/1T)
Cartões amarelos: D’Alessandro, Heitor e Cuesta (Inter); Nazário e Márcio Azevedo (Athletico-PR)
Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)
Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)

Correio do Povo

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Crédito cairá na conta indicada na declaração do IR 2020

Base de cálculo para o exercício de 2021 vai ser publicada até 30 de novembro

Fim de semana pode ter muito granizo pelo Estado

Cartão vermelho de Leandro Fernández comprometeu atuação da equipe de Eduardo Coudet, que ficou no 0 a 0 na Colômbia