Giro do Vale / Destaque / Política

Ministério da Saúde confirma demissão do secretário Wanderson de Oliveira

Referência em Epidemiologia, profissional era de total confiança de Mandetta

Foto: Divulgação

O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Wanderson de Oliveira, pediu demissão na manhã desta quarta-feira,dia 15. A informação foi confirmada pelo Ministério da Saúde, após reportagens que mostravam que ele havia se despedido da equipe na iminência da demissão do ministro da Sáude, Luiz Henrique Mandetta. 

Wanderson Oliveira, da Secretaria de Vigilância em Saúde, enviou mensagem de despedida aos funcionários de sua área nesta manhã. No texto, ele diz  que “a gestão de Mandetta acabou e preciso me preparar para sair junto”. A carta foi compartilhada por meio do aplicativo Slack, de comunicação de equipes.

À repórter Christina Lemos, o secretário confirmou a autenticidade da mensagem e disse que sua saída não é novidade. Por ser servidor federal, Wanderson Oliveira voltará ao cargo que ocupava antes de se tornar secretário.

Referência em Epidemiologia, Wanderson Oliveira era de total confiança de Mandetta. Esteve à frente do combate à pandemia desde o início, defendendo medidas de isolamento proporcionais ao estágio da epidemia em cada região, e de higiene, chegando a fazer demonstrações de como lavar as mãos nas pias que foram instaladas no térreo do Ministério da Saúde em Brasília.

É também de autoria de Wanderson, como chefe da equipe de Epidemiologia, o Boletim Epidemiológico número 7, que flexibilizou normas de isolamento para municípios com 50% da capacidade de atendimento disponível. E fixou as categorias: Distanciamento Social Seletivo, Distanciamento Social Ampliado.

Traz no currículo o controle da epidemia do zika vírus, que se alastrou no País às vésperas da Olimpíada do Rio de Janeiro.

Correio do Povo

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Encontro entre Eduardo Leite e representantes da Famurs também acena com apoio da Brigada Militar na fiscalização contra aglomerações

Estado recebeu 11 pedidos de reconsideração, mas somente dois foram aceitos

Decisão está publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira

Eleitores que não comprovarem motivo da ausência no período determinado ficam com título irregular e deverão pagar multa