Giro do Vale / Destaque / Economia

RS tem pelo menos 4,5 mil demissões no setor calçadista

Uma empresa, sozinha, comunicou o desligamento de 1,5 mil funcionários

Foto: Divulgação

Subiu para 4,5 mil o número de demissões contabilizadas em indústrias de calçados do Rio Grande do Sul. A atualização foi feita nesta segunda-feira, dia 20, pela Federação Democrática dos Sapateiros do Rio Grande do Sul. Segundo o presidente João Batista Xavier, as dispensas ocorreram nas últimas semanas, com destaque para o período da pandemia. 

O setor já vem há anos com problemas. Chegou a ensaiar uma melhora com o aumento das exportações para os Estados Unidos em 2019 e com a expectativa de aumento do consumo de calçados pelos brasileiros. Só que agora é mais um dos setores econômicos afetados pela pandemia da covid-19. 

O sindicalista destaca a demissão de cerca de 1,5 mil trabalhadores pela Calçados Beira Rio na semana passada. Inclusive, houve uma ação judicial da entidade de trabalhadores contra o pagamento parcial das verbas rescisórias pela empresa, com uma decisão favorável da Justiça dias depois. 

– A empresa estava pagando 20% em vez de 40% de multa e apenas 15 dos 30 dias de aviso prévio indenizado. Depois da decisão da Justiça do Trabalho, a empresa voltou atrás e garantiu que faria o pagamento integral. 

Ele acrescentou que a Calçados Beira Rio tem de 19 mil a 20 mil funcionários. 

– A empresa alegava que os artigos 501 e 502 da CLT determinam que, ocorrendo motivo de força maior que determine a extinção da empresa ou de um dos estabelecimentos, pode ser paga a metade da indenização. Mas não é o caso da Beira Rio, pois as unidades seguem em pleno funcionamento. 

A empresa informou que não irá se manifestar. Lembrando que a indústria já tinha feito uma grande dispensa em março. Após o incêndio na fábrica em Mato Leitão, mais de 600 funcionários foram demitidos.

GaúchaZH

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

O valor da taxa é de R$ 85 e deverá ser pago até 28 de maio

Documento interno traz orientações generalizadas e não encerra dúvidas

Não haverá cobrança de juros ou multa por atraso de pagamento sobre as parcelas suspensas do financiamento

No Estado são 71% de recuperados segundo as informações do Governo do Estado