Giro do Vale / Geral

STF decide que redução de salário e jornada não precisam do aval de sindicatos

Liminar do ministro Ricardo Lewandowski foi analisada pelo plenário nesta sexta-feira

Foto: Divulgação

O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, nesta sexta-feira, dia 17, que não é necessário o aval de sindicatos para os acordos individuais de redução de jornada de trabalho e salários. 

Os ministros analisaram uma liminar concedida por Ricardo Lewandowski, no dia 6 de abril, que decidiu que essas medidas precisariam ser comunicadas às entidades dos trabalhadores em até 10 dias. A medida provisória (MP) permitia que essas reduções acontecessem através de acordos individuais.

Neste julgamento, os ministros examinaram apenas a medida cautelar deferida por Lewandowski, sem a análise dos demais dispositivos impugnados.

A maioria dos ministros entendeu que a MP é necessária em um momento excepcional, de crise, pois é compatível com os princípios da valorização do trabalho e das condições de subsistência. Votaram por esse entendimento os ministros Alexandre de Moraes, Roberto Barroso, Luiz Fux, Cármen Lúcia, Gilmar Mendes, Marco Aurélio e Dias Toffoli.

O ministro Edson Fachin votou contra, afirmando que a medida provisória era inconstitucional por não prever o aval dos sindicatos. Ele foi acompanhado pela ministra Rosa Weber, e o relator, Ricardo Lewandowski, afirmou que poderia alterar seu voto para acompanhar os colegas.

GaúchaZH

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

A USGS registrou, ainda, réplicas de 4 a 5 graus de magnitude na mesma região durante a noite

Ato simbólico no Hospital de Clínicas de Porto Alegre na noite desta segunda, dia 18, marcou início da campanha de imunização no RS

Voo com 341 mil doses da Coronavac aterrissou por volta das 22h10min em Porto Alegre nesta segunda-feira, dia 18

Fato ocorreu no Km 249 da rodovia, em Soledade