Giro do Vale / Geral

STF decide que redução de salário e jornada não precisam do aval de sindicatos

Liminar do ministro Ricardo Lewandowski foi analisada pelo plenário nesta sexta-feira

Foto: Divulgação

O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, nesta sexta-feira, dia 17, que não é necessário o aval de sindicatos para os acordos individuais de redução de jornada de trabalho e salários. 

Os ministros analisaram uma liminar concedida por Ricardo Lewandowski, no dia 6 de abril, que decidiu que essas medidas precisariam ser comunicadas às entidades dos trabalhadores em até 10 dias. A medida provisória (MP) permitia que essas reduções acontecessem através de acordos individuais.

Neste julgamento, os ministros examinaram apenas a medida cautelar deferida por Lewandowski, sem a análise dos demais dispositivos impugnados.

A maioria dos ministros entendeu que a MP é necessária em um momento excepcional, de crise, pois é compatível com os princípios da valorização do trabalho e das condições de subsistência. Votaram por esse entendimento os ministros Alexandre de Moraes, Roberto Barroso, Luiz Fux, Cármen Lúcia, Gilmar Mendes, Marco Aurélio e Dias Toffoli.

O ministro Edson Fachin votou contra, afirmando que a medida provisória era inconstitucional por não prever o aval dos sindicatos. Ele foi acompanhado pela ministra Rosa Weber, e o relator, Ricardo Lewandowski, afirmou que poderia alterar seu voto para acompanhar os colegas.

GaúchaZH

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Houve o tombamento de um caminhão, e a colisão de uma caminhonete em estrutura metálica ao lado da pista

Veículo caiu em um banhado ao lado da rodovia

Mudança deve abrir 70% dos mercados mundiais para produto gaúcho

Pasta fez questionamentos sobre as características de cada vacina, estimativas de preço para produção e apontou interesse em manter diálogo sobre o desenvolvimento das drogas