Giro do Vale / Geral

Lajeado e Passo Fundo terão novas leituras de “bandeiras de risco” do distanciamento controlado

Regiões tiveram agravamento do cenário epidemiológico de Covid-19

Foto: Palácio Piratini ivulgação

Com o agravamento do cenário epidemiológico de Covid-19, as regiões de Passo Fundo e Lajeado terão a revisão das bandeiras de risco nesta semana. Atualmente, as regiões possuem bandeiras vermelhas no mapa do distanciamento controlado. A determinação é excepcional, visto que o Rio Grande do Sul passa por uma fase transitória do distanciamento ampliado para o controlado. 

“Vamos fazer uma nova leitura das bandeiras para identificar o risco para que as duas regiões possam ser observadas a partir dos números mais recentes, para ver se a bandeira vermelha permanece”, anunciou o governador Eduardo Leite, nesta terça-feira. A releitura acontece após a região de Passo Fundo ganhar, na segunda-feira, dez novos leitos no Hospital São Vicente de Paulo e, também, por atingir o total de 17 mortes por coronavírus – o mesmo número registrado em Porto Alegre. 

Apesar do governo do Estado não ter autorizado novos leitos para a região de Lajeado, pois as instituições de saúde estão sob gestão plena municipal, a região também reportou um aumento considerável nos casos e nas mortes: 147 e sete, respectivamente.

Até o início da tarde de hoje, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) contabilizou seis óbitos em Lajeado. O mais recente foi reportado e divulgado hoje pela Prefeitura do município. Assim, o número total de mortes no Estado chega a pelo menos 82, até a publicação desta reportagem. Já o número total de casos confirmados da doença é de 1.945, distribuídos em 163 municípios gaúchos.

Com a nova leitura, as bandeiras de Passo Fundo e Lajeado podem alterar para laranja, indicando um nível mais controlado da pandemia, ou avançar para preto, que considera o agravamento máximo previsto no modelo de distanciamento. A bandeira preta prevê, inclusive, medidas de lockdown (fechamento total das atividades econômicas). 

O governador Eduardo Leite disse que esteve reunido, na segunda-feira, com os prefeitos de Passo Fundo e Lajeado por videoconferência para discutir novas ações e orientações para as regiões. “Temos uma situação no município de Passo Fundo que merece a nossa mais especial atenção. A situação é sensível, ela exige muito cuidado”, ressaltou Eduardo Leite nesta terça-feira.

Repasse dos duodécimos

Já as possíveis reduções em repasses de duodécimos aos poderes e órgãos de Estado com autonomia de orçamento só poderão ser previstas pelo governo do RS nos próximos dias. Segundo o governador Eduardo Leite, o Executivo deve realizar uma reunião ao longo da semana para discutir a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), que estabelece metas e orientações para o Orçamento. 

“Temos o aporte do socorro ao Estados, que esperamos que seja sancionado e que haja, em até 15 dias, o aporte da primeira parcela para que o governo do Estado tenha as condições de definir qual o nível de redução de repasses que o duodécimo terá que ter em relação aos outros Poderes”, apontou Eduardo Leite.

O pacote de R$ 60 bilhões direcionados a estados e municípios foi aprovado pelo Senado, no último sábado, e aguarda votação da Câmara dos Deputados, que ocorre na tarde desta terça-feira. Apesar de ajudar o Estado na recuperação da arrecadação, o governador Leite já havia afirmado, em diversas situações, que o cálculo utilizado na divisão dos recursos era “injusto” e, desta forma, “prejudicava” o Rio Grande do Sul.

Correio do Povo

Comentários

  1. anonimo disse:

    Baita serviço.kkkk que biada

Publicidade

Últimas Notícias

Autoridades cumprem ordens de busca e apreensão no Distrito Federal, Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso, Paraná e Santa Catarina

O secretário da Saúde, Augusto Pellegrini, e o procurador do município, Milton Coelho, também foram detidos

Sol predomina em todo o Estado, mas amanhecer será de muito frio em diversas regiões

Droga seria transportada até Novo Hamburgo