Giro do Vale / Destaque / Educação

Volta às aulas: governo do RS já tem versão preliminar de protocolos

Documento interno traz orientações generalizadas e não encerra dúvidas

Foto: Felipe Dalla Valle / Palácio Piratini

O governo do Estado tem pronta a versão preliminar dos modelos orientadores de protocolos para a reabertura das escolas no RS, mas eles trazem orientações genéricas sobre vários pontos, que não esclarecem muitas das dúvidas comuns a alunos, pais, professores, gestores e funcionários. O Executivo ainda debate internamente e com as entidades representativas das instituições de ensino, e não anunciou protocolos oficiais. Por isso, por enquanto, a versão preliminar não tem qualquer validade. Ela é dividida em nove protocolos: Gestão; Higienização Pessoal; Entrada/Saída de Alunos; Distanciamento; Instalações; Desinfecção; Alimentação/Cantinas; Ensino e Transporte. 

Caso seja mantido o formato preliminar, serão instituídos comitês regionais, municipais e locais que responderão pela organização dos espaços escolares, entre elas a “capacitação da equipe diretiva, professores, servidores, responsáveis pelos alunos e alunos com noções básicas sanitárias: entrada passando pelo espaço de desinfecção (tapete na frente das salas de aula), uso do álcool gel, utilização da máscara, colocação de proteção nos professores e servidores (EPIs), procedimento para lavagem de mãos.” Conforme havia adiantado o governador Eduardo Leite (PSDB), o documento prevê que as formas de ensino ofertadas serão presenciais e não presenciais, mas não dá detalhes, informando que as diretrizes serão estabelecidas e normatizadas.

O documento também estabelece que os alunos sejam “incentivados a todo momento a manter o distanciamento controlado”, sem detalhamentos. E cita que poderá ser necessário dividir os alunos em grupos e em “várias salas de aula para garantir o distanciamento necessário, conforme modalidade de Ensino (Educação Infantil 2m/ Educação Básica (EFIeII/EM/EP) e Ensino Superior 1,5m).”

No documento ainda em gestação não há maiores instruções sobre como se dará o uso de máscaras em crianças e adolescentes, previsto no protocolo Gestão. Nem menções específicas a situações que são parte da vida escolar fora da sala de aula, como o uso de espaços comuns durante intervalos e recreios e a circulação e permanência em escadas e corredores. Há determinação para a manutenção de portas e janelas abertas nos ambientes de ensino, sem especificações sobre como manter isso nos meses de inverno. E, ao mesmo tempo, há orientação para que os aparelhos de ar condicionado sejam higienizados semanalmente se utilizados.

Todas as medidas básicas como lavar as mãos com água e sabão e a disponibilidade de álcool em gel estão previstas, mas o item Desinfecção já gera questionamentos. A versão preliminar prevê, por exemplo, a limpeza das salas de aula somente a cada troca de turno. A de banheiros, pelo menos duas vezes a cada turno. E a de pontos de contato, como maçanetas e corrimãos, ao menos duas vezes ao dia. E, por enquanto, nos pisos, o chamado ‘espaço de desinfecção’ consiste na disposição de tapete com a solução água/cloro ativo na frente das salas de aula.

Comentários

  1. Ademar Claro Fernandes disse:

    E este Senhor vai dar condições às Escolas Estaduais, já sucateadas, de cumprir os protocolos? Kkkkkkkkkkkkkkk, vamos aguardar.

    • Salet disse:

      E os Colégio que tem só uma funcionária no caso o meu eu tenho que limpar e fazer merenda como manter protocolos

  2. Juliane Guadagnin Dos Santos Vinciguera disse:

    Não concordo com o retorno as aulas, para dar tudo certo e fazer com que as crianças voltem agora no inverno a situação da pandemia COVID-19 pode se agravar, eles não vão conseguir ficar 4 horas na escola usando máscaras até porque os professores não vão conseguir controlar todos os alunos na questão da higienização, sem contar nas crianças que são do grupo de risco.

  3. Izabel disse:

    Gostaria de saber como se faz, para manter 2m de distanciamento citado acima em Educação Infantil.

  4. Daiene m koehler disse:

    Imagina volta aula uma criança q se n tá em cima td dia mascara suja n usam imagina uma escola onde tem milhares d alunos como vai fazer concordo as crianças de7 a 15 fica casa adultos q sabem cuida melhor volta prefiro meu filho perde ano d que a vida pois ele é d faze d risco eu minha sogra tbm como vó dxa i p aula o mandam trabalhos e a gente leva uma vez por semana e os professores corrigem são nota

  5. Roselaine disse:

    Bem no invernão. Quem ficou até agora fica mais um pouco. A saúde da minha filha primeiro lugar, basta eu que tenho que trabalhar com o público… 🤔

  6. Roselaine disse:

    Bem no invernão. Quem ficou até agora fica mais um pouco. A saúde da minha filha primeiro lugar, basta eu que tenho que trabalhar com o público… 🤔Não concordo com o retorno as aulas, para dar tudo certo e fazer com que as crianças voltem agora no inverno a situação da pandemia COVID-19. Rio Grande do Sul, agora que chegou inverno.

  7. Hellboy disse:

    O que adianta voltar às aulas agora no pico, crianças e adolescentes podem pegar o vírus e passar para seus familiares e assim em diante…
    Sempre tem uns que não respeitam

  8. Meri Helen Zanette disse:

    Acho difícil a implantação destes protocolos nas escolas estaduais. Sendo que as escolas já são sucateadas.

  9. carlos disse:

    Uma pessoa contaminada vai disseminar para centenas,as crianças podem ser mais resistente mas as professoras e os pais das crianças vão morrer,escolas tem que ser a ultima coisa a retornar só depois que tiver vacina pra isso.

  10. Alesandra Lucas Rodrigues disse:

    Preferem não perder o ano mas arriscar perder crianças acho que está muito cedo ainda p voltar às aulas não dá para exigir protocolos desses inocentes que muitas vezes não tem nem o que comer ou vestir direito 😷😤

Publicidade

Últimas Notícias

Mapa preliminar aponta 75% do RS em bandeira vermelha

De acordo com a MetSul Meteorologia, deve chover mais nas áreas afetadas pelas enchentes, como os Vales e a Grande Porto Alegre

Prefeitos, secretários e assessores de cidades atingidas estiveram reunidos nesta manhã

Bombeiros não conseguiram chegar ao local em função da cheia do Rio Taquari