Giro do Vale / Destaque / Geral

Governo do RS reverte para bandeira laranja as regiões de Santa Maria e Santo Ângelo

Caxias do Sul e Uruguaiana permanecem na cor vermelha

Foto: Gustavo Mansur / Palácio Piratini

O governador Eduardo Leite modificou nesta terça-feira a cor das bandeiras de duas das quatro regiões alteradas no último sábado no modelo de Distanciamento Controlado. Após analisar os dados apresentados pelos prefeitos, o Piratini recolocou Santa Maria e Santo Ângelo na cor laranja (risco médio de contaminação pelo coronavírus), enquanto as regiões de Caxias do Sul e Uruguaiana permanecem identificadas com a bandeira vermelha (risco alto). Os dados que embasaram o recálculo foram apresentados em videoconferência pelo governador.

Quando da bandeira vermelha, o comércio não-essencial dos municípios fica impedido de funcionar, assim como o expediente de restaurantes e shoppings é afetado – o que gerou boa parte da reclamação dos prefeitos. Eduardo Leite, que ouviu as considerações dos representantes municipais na segunda, destacou que o modelo de Distanciamento Controlado é um processo de “ponderação e diálogo” para alcançar a “conciliação da atividade econômica com a proteção à vida” e, nisso, fizeram a análise dos dados. “Não faz sentido nos apegarmos a um formalismo tamanho que vai gerar repercussão tão pesada na vida das pessoas. Por mero capricho técnico ficarmos presos aos dados errados”.

“É importante que haja uma instância de oportunidade de discussão dos dados na forma que estão inseridos. Municípios e Estado terem a certeza dos dados”, apontou Eduardo Leite sobre a “mudança na governança do modelo”, como classificou. Ele ainda reforçou que prefeituras e hospitais tenham cuidado na apresentação dos dados de coronavírus. Na videoconferência de segunda-feira, Leite já havia chamado a atenção de prefeitos e entidades para a “pressa” na leitura dos dados técnicos. 

Santa Maria

Os prefeitos da região que tem como referência a cidade Santa Maria contestaram que havia sete novos leitos que não foram contabilizados no cálculo. Com o recálculo, o aumento dos leitos livres foi suficiente para que a região passasse para a bandeira laranja: “Acolhemos o recurso pela mudança de um dado, de uma informação, que foi lançada no sábado. A inserção no sistema que não foi feita no tempo correto”, disse o governador, ao explicar o cálculo era feito pela equipe técnica sempre nas sextas-feiras de cada semana.

Entretanto, Leite alertou a macrorregião de que se tendência do aumento de internações por Covid-19 em leitos de terapia intensiva não for controlado, a bandeira poderá retornar a cor vermelha. 

Uruguaiana

No caso de Uruguaiana, o índice que mais impulsionava o cálculo era o número de hospitalizações associado à taxa elevada de casos ativos em relação aos recuperados. Na última semana, a região registrou 45 casos confirmados de coronavírus e 35 pacientes recuperados. Desta forma, a região de Uruguaiana segue com a cor vermelha. 

Santo Ângelo

Já a região de Santo Ângelo teve, nos últimos sete dias, uma grande variação de hospitalizações por coronavírus em leitos de UTI, passando de 4 para 15 leitos ocupados. A internação de pacientes com síndromes respiratórias agudas, no mesmo período, passou de 12 para 17, conforme os dados dos hospitais da região. Na última semana, a proporção por 100 mil/habitantes de hospitalizações era de 5.2. 

A contenção das prefeituras da região é de que havia 15 casos contabilizados como internações que correspondiam a semana anterior. A justificativa não foi acatada, visto que o cálculo do modelo leva em consideração sempre os dados retroativos da última semana.

No entanto, tendo em vista a “estabilidade nas internações embora haja o agravamento de alguns dados”, o governador Eduardo Leite reverter a bandeira da região para laranja. 

Caxias do Sul

A região de Caxias do Sul permaneceu na bandeira vermelha até a próxima leitura, visto que a região da Serra registrou um aumento de 164% no número de hospitalizações. O índice que era de 1.2 leito livre para cada ocupado caiu para 0,75 na última semana. “Não houve dados trazidos suficientes para que se alterasse a classificação do risco da serra gaúcha”, afirmou o governador. 

Ajustes no modelo de leitura das bandeiras 

O governador anunciou ainda ajustes nas datas para o cálculo e divulgação das bandeiras de riscos do Distanciamento Controlado. Antes, a divulgação das bandeiras ocorria no sábado para entrar em vigor na segunda-feira. Com a mudança, Leite anunciou a criação de uma nova etapa – um espaço para que os prefeitos e as entidades possam contestar os dados técnicos.

Desta forma, daqui duas semanas, a compilação dos dados passa a ocorrer na quinta-feira e o anúncio das bandeiras de riscos na sexta-feira. A partir da identificação das cores para as 20 regiões, os prefeitos poderão reivindicar as informações técnicas até a segunda-feira. A atualização da bandeira passa a vigorar sempre nas terças-feiras de cada semana. 

Correio do Povo

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Mapa preliminar aponta 75% do RS em bandeira vermelha

De acordo com a MetSul Meteorologia, deve chover mais nas áreas afetadas pelas enchentes, como os Vales e a Grande Porto Alegre

Prefeitos, secretários e assessores de cidades atingidas estiveram reunidos nesta manhã

Bombeiros não conseguiram chegar ao local em função da cheia do Rio Taquari