Giro do Vale / Esporte / Inter

Inter sofre, mas supera o Atlético-MG e dorme líder do Brasileirão

Colorado segurou pressão dos adversários no segundo tempo, mas ganhou com gol de Thiago Galhardo

Foto: Ricardo Duarte / Inter / Divulgação

Noite fria em Porto Alegre, jogo morno no Beira-Rio, mas três pontos importantes. Em um duelo de equipes com características ofensivas e técnicos argentinos, o Inter venceu o Atlético-MG em uma partida de apenas um gol, marcado por Thiago Galhardo no início da partida. Mesmo com menor posse de bola e uma partida abaixo do potencial apresentado na temporada, o Colorado conseguiu o resultado positivo e dorme na liderança do Campeonato Brasileiro.

O time de Eduardo Coudet começou melhor, criando mais e com mais mobilidade no setor ofensivo sem o homem de referência – Paolo Guerrero, que, lesionado, não atua mais neste ano. Em jogada de infiltração, abriu o placar rapidamente, mas depois recuou e deu espaço para os comandados de Jorge Sampaoli. Com a vantagem, deu mais espaço para o Atlético, que não conseguia criar.

No segundo tempo, os visitantes tiveram posse de quase 70%, obrigando o mandante a se defender. Novamente, apesar das oportunidades, o Galo não converteu o domínio em chances de gol e saiu derrotado.A próxima partida do Colorado é no dia 29 de agosto, contra o Botafogo. O jogo ocorre no Rio de Janeiro, a partir das 16h.

Gol rápido e mudança de estratégia

Até o início do confronto empatados em número de pontos e vitórias, as duas equipes começaram a partida com a mesma proposta de marcação ofensiva. O Inter armava sua estratégia pelas laterais, com troca de passes curtos, enquanto o adversário busca os longos e de velocidade. Nessa dinâmica logo aos três minutos, Réver afastou mal após cruzamento vindo da esquerda, e a bola sobrou para Edenílson na área. O camisa 8 recuou para Boschilia, que chutou por cima do gol. O Galo respondeu rápido, com um chute de Hyoran também de longe e que igualmente saiu pela linha de fundo.

Não demorou muito para o Colorado abrir o placar. Aos sete, Patrick encontrou espaço entre Réver e Junior Alonso e deu assistência para Galhardo, que infiltrava entre os zagueiros que tentavam fazer uma linha de impedimento. De frente para o gol, o atacante desviou com categoria do o goleiro Rafael e colocou com categoria para o fundo das redes.

Mas, se o início parecia promissor para os gaúchos, a equipe recuou, e o time Sampaoli cresceu e aumentou sua presença na partida: mais posse de bola e movimentação no campo de ataque. Apostando em Keno-Hyoran-Marrony, os mineiros, pressionados, erravam no toque final e chegavam sem levar perigo para Marcelo Lomba. Nas melhores chances, aos 30, Keno buscou Marrony na infiltração, mas a Zé Gabriel chegou. Aos 34, Hyoran driblou Zé Gabriel, mas na finalização de dentro da área foi barrado por Cuesta. Na sequência, fez falta em Saravia, que chegava para afastar.

A dinâmica seguiu até o fim do primeiro tempo. O Atlético com maior domínio de bola, mas apatia criativa diante de uma zaga bem armada comandada por Cuesta. O Inter parecia satisfeito com a vantagem e busca escapar nos contra-ataques. Assim, ninguém conseguiu balançar as redes novamente.

Domínio atleticano no segundo tempo

Pressionado a virar o placar para terminar o dia no topo da tabela, Sampaoli mexeu o time, colocando Sasha no lugar de Jair e Marquinhos na vaga de Marrony. Com as mudanças, o time começou forte e mais perigo do que os 45 minutos inicias. Aos cinco minutos, depois de três tentativas pela esquerda afastadas pela zaga, a bola sobrou para Sasha, que escorou para Mariano. Dentro da área, o atleta fez um corte para a esquerda e perdeu tempo, possibilitando que Patrick chegasse de carrinho para fazer a interceptação.

À vontade para fazer a bola rodar no começo da segunda parcial, o Atlético fez o Inter recuar e se fechar na defesa. A situação fez Coudet sacar Marcos Guilherme e lançar Musto maior efetividade e capacidade de marcação no meio campo. Diferentemente do que o torcedor está acostumado durante a temporada, o colorado apostava nos contra-ataques e resistia à pressão intensa mas pouco produtiva.

A melhor chance do Galo foi aos 24 minutos. Marquinhos arrancou pela esquerda e cruzou para a área. A defesa cortou mal e a bola sobrou nos pés de Hyoran. O atacante ainda quase perde o domínio, mas conseguiu chutar. Em cima da linha, Zé Gabril afastou. E, no rebote, Sasha chutou fora. Desperdiçando grande oportunidade de empatar.

Para segurar ainda mais o meio campo, Chaco apostou na experiência de D’Alessandro. E foram dos pés do ídolo colorado que saiu a melhor jogado o time na segunda parcial. O camisa 10 lançou Galhardo na velocidade pela esquerda. Ele driblou o lateral, entrou na área e cruzou para o meio, mas Réver afastou para escanteio.

Campeonato Brasileiro – 5ª Rodada 

Inter 1

Marcelo Lomba; Saravia, Zé Gabriel, Víctor Cuesta, Moisés; Rodrigo Lindoso, Edenílson, Boschilia (D’Alessandro), Patrick (Moledo); Marcos Guilherme (Musto) e Thiago Galhardo (Peglow)
Técnico: Eduardo Coudet

Atlético Mineiro 0

Rafael; Igor Rabello (Alan Franco), Réver, Junior Alonso, Mariano; Jair (Sasha), Allan, Guilherme Arana; Keno (Savarino), Hyoran (Bruno Silva) e Marrony (Marquinhos)
Técnico: Jorge Sampaoli

Gol: Thiago Galhardo (7’/1ºT)
Cartões Amarelos: Igor, Junior Alonso (Inter), Marcos Guilherme (Inter)

Correio do Povo

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Homem de 75 anos morava sozinho no local

Quina rendeu mais de R$ 71 mil a apostadores

No Vale do Taquari a temperatura deve variar entre 20ºC e 33ºC

Estado pode recorrer e deve analisar decisão nesta quinta-feira