Giro do Vale / Destaque / Economia

Desemprego atinge 14 milhões, maior nível desde início da pandemia, diz IBGE

No mês, 28,6 milhões de pessoas fizeram algum teste para saber se estavam infectadas pelo coronavírus

A taxa de desemprego chegou a 14,2%, atingindo 14 milhões de brasileiros em outubro, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Covid (Pnad Covid), divulgada nesta quarta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). É o maior valor absoluto desde o início da série, com um aumento de 2% frente a outubro e de 38,6% desde o início da pesquisa (maio).

Conforme o IBGE, a população ocupada (84,7 milhões em novembro) cresceu 0,6% em relação a outubro e, pela primeira vez desde o início da pesquisa, teve alta (0,3%) frente a maio (84,4 milhões de pessoas).

A pesquisa aponta ainda que o Amapá apresentou a maior proporção (6,9%) de pessoas ocupadas afastadas do trabalho que tinham devido ao distanciamento social. Segundo o instituto, o percentual de pessoas nesta situação caiu em 11 das 27 unidades da federação. Nas demais, houve estabilidade.

Entre os 4,4 milhões de trabalhadores afastados do trabalho que tinham na semana de referência, 879 mil (ou 19,8%) estavam sem a remuneração do trabalho. Norte e Nordeste foram as regiões com os maiores percentuais de domicílios recebendo auxílio emergencial: 57% e 55,3%, respectivamente.

Conforme o IBGE, os cinco estados com os maiores percentuais foram Amapá (70,1%), Pará (61,1%), Maranhão (60,2%), Alagoas (58,4%) e Piauí (57,5%).

Correio do Povo

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Nas próximas semanas, devem ser abertos, no mínimo, mais 40 leitos de UTI Covid no Estado

Governador havia antecipado que alta ocupação de leitos acionaria salvaguarda responsável por nível mais alto de restrição

Esse é o terceiro caso desse tipo registrado no Estado de São Paulo em menos de um mês

Indivíduo furtou dinheiro do caixa pela manhã e à tarde voltou para tentar novo furto