Giro do Vale / Saúde

OMS diz que não há sinais de que nova cepa de coronavírus cause doença mais severa

Cientistas da Organização Mundial da Saúde estão trabalhando para entender as mutações do vírus

Foto: Divulgação

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, afirmou nesta segunda-feira que não há indícios de que as variantes de coronavírus identificadas no Reino Unido e na África do Sul causem doença mais severa. “Vírus mudam o tempo todo, isso é normal”, comentou, se referindo às mutações. 

Durante coletiva de imprensa, a epidemiologista Maria Van Kerkhove esclareceu que as mutações identificadas nos vírus no Reino Unido são diferentes daquelas vistas na África do Sul. “A boa notícia é que o Reino Unido tem reportado que essa variante do coronavírus não afeta a eficácia da vacina”, pontuou.

Michael Ryan, responsável pelas situações de emergência de saúde da OMS, alertou que a nova variante “não está fora de controle” e pediu a aplicação das medidas de saúde comprovadas. “Tivemos uma R0 (taxa de reprodução do vírus, ndlr) muito superior a 1,5 em diferentes momentos da pandemia e conseguimos controlá-la. Portanto, essa situação não está, neste sentido, fora de controle”, declarou.

De acordo com Tedros, a OMS está trabalhando com cientistas para entender como as mutações afetam o vírus. Ele voltou a destacar que as vacinas dão esperança, mas não podem ser desculpa para que as pessoas se exponham ao perigo. As medidas de contenção, como uso de máscara e distanciamento social, continuam sendo recomendas pela OMS.

Correio do Povo

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Em Estrela o sinistro ocorreu no Bairro Pinheiros, e em Marques de Souza, em uma área às margens da BR-386

Teste do etilômetro acusou 0,49 miligramas de álcool por litro de ar expelido

Vítima estava amarrada no sofá da sala quando a polícia chegou em sua residência

Caso que ocorreu em Erechim, no Norte do Estado, é apurado pela Polícia Civil e pelo Ministério Público