Giro do Vale / Geral

Vítimas de violência doméstica podem registrar denúncia pela internet

Plataforma digital permite relatar as agressões sofridas e também facilita a solicitação de medidas protetivas de urgência

Foto: Divulgação / Ilustração

Uma forma rápida, simples e segura de denunciar os crimes envolvendo violência doméstica e familiar contra a mulher é registrar a ocorrência pela internet. A Delegacia Online é uma plataforma digital criada pela Polícia Civil gaúcha onde as vítimas podem relatar as agressões sofridas sem ter que ir até a delegacia de polícia e que também facilita a solicitação de medidas protetivas de urgência.

A juíza-corregedora Gioconda Fianco Pitt, que coordena a Coordenadoria Estadual das Mulheres em Situação de Violência Doméstica, ressaltou que a ferramenta é uma importante aliada, em tempos de pandemia. “O serviço está facilitando o acesso à vítima à busca de justiça, bem como a romper com o ciclo de violência que, infelizmente, se intensificou durante a pandemia da Covid-19, já que as relações familiares tornaram-se mais acirradas”, acrescentou.

 “É um serviço que confere uma maior praticidade na obtenção de medidas protetivas de urgência que serão encaminhadas de forma rápida ao Poder Judiciário. Certamente é uma inovação e um serviço essencial que deve perdurar e tem se mostrado eficiente no enfrentamento à violência doméstica”, explicou a magistrada. A Polícia Civil também criou uma cartilha através da qual orienta as mulheres a efetuarem o registro, através deste link.  

Pelo sétimo mês consecutivo, o Rio Grande do Sul teve menos mulheres assassinadas por motivos de gênero do que em igual período do ano passado. O número de feminicídios em novembro passou de 11, em 2019, para cinco – queda de 55% e o menor total para o intervalo desde 2013, quando houve duas vítimas. Os dados fazem parte dos indicadores criminais da Secretaria da Segurança Pública. Em 2019, foram 90 feminicídios nos 11 meses a partir de janeiro. Neste ano, a soma reduziu para 72, redução de 20%, para o menor total no período desde 2014, que teve 67 assassinatos motivados pelo gênero das vítimas.

Em 2020, segundo a Divisão de Proteção e Atendimento à Mulher (Dipam) da Polícia Civil, as 23 Delegacias Especializadas no Atendimento à Mulher (DEAMs) do Estado remeteram mais de 34 mil procedimentos de violência doméstica ao Poder Judiciário e efetuaram mais de 500 prisões de agressores. Pelas Patrulhas Maria da Penha da Brigada Militar, além da ampliação em 135% no número de municípios atendidos – de 46, no início de 2019, para os atuais 108 -, foram realizadas até o final do mês de novembro 39.654 visitas a mulheres amparadas por medidas protetivas de urgência, resultando em 144 prisões de agressores por descumprimento da ordem se manterem afastados.

Correio do Povo

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Homem de 83 anos conduzia um Fusca quando atropelou o jovem de 20 anos.

Apenas Caxias do Sul recebeu bandeira laranja na 37ª rodada do Distanciamento Controlado

Homem é apreendido com crack em Teutônia

Homem foi capturado em via pública pela BM. Contra ele, havia um mandado de prisão preventiva

Há risco de vento forte e granizo pelo Estado neste sábado