Giro do Vale / Esporte / Inter

Inter luta até o fim, mas empata e termina o Brasileirão em segundo

Time chega a marcar duas vezes, mas VAR e o goleiro Cássio impedem a glória colorada

Foto: Ricardo Duarte / Inter / Divulgação

Escapou. Por um gol, um mísero gol, o Inter viu o tetracampeonato do Brasileirão se esvair entre os dedos, na noite desta quinta-feira. Contando com a derrota do Flamengo no Morumbi, os comandados de Abel Braga lutaram além do minuto final, acréscimos adentro, mas não conseguiram sair do 0 a 0 com o Corinthians no Beira-Rio. Com isso, o time acaba com a indesejada segunda colocação. 

VAR frustra a alegria colorada no primeiro tempo

O jogo começou com o time nervoso. Podendo conquistar o título, os jogadores colorados não conseguiam superar a marcação corintiana. Em paralelo, o Flamengo pressionando o São Paulo no Morumbi. Tanto que, precisando vencer, foi o Inter que levou o primeiro susto do jogo, quando a bola sobrou para Ramiro e ele acertou a rede do lado de fora da goleira defendida por Marcelo Lomba. Um susto. 

As coisas, porém, começaram a mudar no terço final do primeiro tempo. Aos 30, após bobeada da defesa corintiana, Moisés levou o ataque à ponta esquerda e cruzou. Ramiro vinha na marcação e conseguiu cortar, mas com o braço. O árbitro Wilton Pereira Sampaio marcou pênalti na hora, fazendo a expectativa ir às alturas na beira do Guaíba. Só que aí começou aquela demora e após longos quatro minutos, o juiz foi ao VAR e voltou da tela decidido a anular o pênalti. 

Apesar do banho de água fria, o Inter seguiu mais disposto na partida, ainda que as chances claras teimavam em não aparecer. Para complicar as coisas, o capitão Rodrigo Dourado desabou no gramado aos 41 e precisou ser substituído por Rodrigo Lindoso. 

Em meio a um confronto equilibrado Patrick, então, resolveu brilhar. Aos 43, ele recuperou a bola na intermediária e foi deixando a marcação para trás. Levando para o meio, deu o toque para Yuri, que fintou a marcação e, na sequência, tirou de Cássio para marcar um golaço. Mas ele estava em impedimento e o que era festa virou frustração outra vez. Frustração e reclamação – bastante – por meio de gritos do presidente Alessandro Barcellos à arbitragem no momento da descida ao vestiário. 

Crueldade no fim

Ainda nos movimentos iniciais do segundo tempo, Heitor fez grande jogada pela direita e cruzou na medida para Edenilson, na pequena área. O camisa 8 testou certo, mas Cássio fez um milagre para manter o placar fechado. Se os gols teimavam em não sair no Beira-Rio, Bruno Henrique deixou tudo igual quase no minuto seguinte, no Morumbi, elevando a tensão da noite. 

Pouco a pouco, o Inter foi martelando, a partir de uma atuação melhor no segundo tempo. Como injeção de ânimo, Pablo recolou o São Paulo à frente aos 13. Cinco minutos depois, Caio Vidal recebeu na intermediária, clareou a marcação e chutou firme, porém na trave. 

O tempo foi passando, e o nervosismo crescendo. Abel, pouco a pouco, foi arriscando. Thiago Galhardo, Abel Hernández, Lucas Mazetti e Peglow entraram, avançando as linhas da equipe, quando, a partir da metade do segundo tempo, por vezes o jogo foi ataque contra defesa. Só que o time paulista também dava suas estocadas. Aos 31, por questão de centímetros Jô não completou para o gol livre, depois que a bola já tinha passado por Marcelo Lomba. 

Aos 35, depois de escanteio, Lucas Ribeiro testou firme, a centímetros da trave defendida por Cássio. Daí em diante, o nervosismo e o cansaço passaram a pesar, e o Inter, apesar da presença no campo ofensivo, não conseguia criar as chances. 

Ainda assim, a equipe lutou até o fim e chegou a vislumbrar o brilho da taça novamente, só para o VAR, de novo, encerrar com tudo. No último minuto, aos 52 do segundo tempo, Edenilson chegou a marcar. Mas ele estava em impedimento, confirmado pelo árbitro de vídeo. Na sequência, a bola ficou viva no escanteio. Edenilson teve nova chance, mas passou por cima, indo embora com o título nacional. 

Brasileirão – 38ªrodada

Inter 0
Marcelo Lomba; Heitor (Lucas Mazetti), Lucas Ribeiro, Victor Cuesta e Moisés; Rodrigo Dourado (Rodrigo Lindoso), Praxedes (Thiago Galhardo) Edenilson, Patrick e Caio Vidal (Peglow); Yuri Alberto (Abel Hernández). Técnico: Abel Braga

Corinthians 0
Cássio; Bruno Mendez (Marlon), Jemerson, Gil e Fabio Santos; Cantillo (Xavier), Ramiro (Camacho), Roni (Léo Natel), Cazares e Otero (Matheus Vital); Jô. Técnico: Vagner Mancini.

Cartões amarelos: Cantillo e Fabio Santos
Árbitro: Wilton Pereira
Local: Estádio Beira-Rio

Correio do Povo

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Ele era fundador e diretor do jornal O Informativo do Vale

Área precisou ser isolada junto a RS-118 em Viamão na manhã desta segunda-feira, deixando o trânsito interrompido

Previsão faz parte de um total de 18,4 milhões de doses da Oxford/AstraZeneca previsto para até o dia 1º de maio

Os homens que atiraram a droga para o interior da casa prisional não foram localizados

error: Content is protected !!