Giro do Vale / Destaque / Saúde

Mês de março concentrou em 11 dias, mais de 10% do número de mortes por Covid-19 no Estado

Número de óbitos da última semana representa mais do que o dobro dos auges anteriores no Estado

Foto: Agência Brasil / Divulgação

O avanço desenfreado da Covid-19 no Rio Grande do Sul apresenta reflexos no número de mortes pelo coronavírus no território gaúcho. Somente no mês de março, o Estado já contabiliza mais de 10% do total de vítimas da pandemia, um ano após o primeiro diagnóstico de coronavírus no RS. Em 11 dias, foram 1.571 óbitos reportados pela Secretaria Estadual de Saúde (SES), o que elevou para 14.363 fatalidades. 

O momento atual e a situação grave do RS no combate à Covid-19, admitida pelo governador do Estado, Eduardo Leite, que promoveu medidas restritivas, não se compara aos piores momentos anteriores da doença em 2020. Conforme o acompanhamento semanal do painel SES, o número de mortes da última semana – 1.079 – representa mais que o dobro dos dois picos anteriores, reportados em agosto, 414, e novembro de 2020, 498. 

Também em nenhum desses outros momentos, o sistema de Saúde do Estado esteve tão pressionado. Já são dez dias seguidos com mais de 100% de ocupação. Atualmente, os hospitais gaúchos operam com 107% da capacidade preenchida, e cerca de sete em cada dez pacientes foram diagnosticados com o coronavírus. 

Este crescimento nos registros semanais resultou num novo patamar de óbitos diários pela doença. Só nessa semana, o Rio Grande do Sul renovou por duas vezes o seu recorde de mortes em 48h. Foram 275 vítimas na terça-feira e 276 nesta quinta-feira.

Correio do Povo

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Proposta que dá maior autonomia a municípios está sendo debatida com deputados, prefeitos, setores econômicos e especialistas da área de saúde

Esta é a ação com maior número de mortes desde o início dos registros, em 2016

De acordo com a Secretaria Estadual da Saúde, os imunizantes serão destinados para a primeira dose

Os corpos das três crianças e duas professoras mortas durante a invasão a creche, foram enterrados nesta quarta-feira, dia 5