Giro do Vale / Saúde

Brasil contrata a compra de mais 100 milhões de doses de vacina contra a covid-19 da Pfizer

Previsão é de que o carregamento seja entregue entre setembro e dezembro deste ano

Foto Divulgação

O Ministério da Saúde e a Pfizer/BioNTech assinaram um contrato que garante mais 100 milhões de doses desse imunizante para o Brasil. A previsão é de que cheguem ao país entre setembro e dezembro de 2021. Em março, o governo federal contratualizou a aquisição de 100 milhões de doses do laboratório, que começaram a chegar ao país no final de abril. Com a nova aquisição, anunciada nesta sexta-feira, dia 14, pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, devem ser entregues até o final do ano 200 milhões de doses da vacina da Pfizer/BioNTech, conforme projeção do Ministério da Saúde.

“O Ministério da Saúde tem feito um esforço para obter mais doses e assim imunizar a população brasileira. O objetivo do ministério é, até o final do ano, ter esse público todo vacinado. Hoje assinamos o contrato com a Pfizer de mais 100 milhões de doses de vacina. Com esse esforço, temos a confiança de que vamos conseguir atingir essa meta”, disse Queiroga.

De acordo com o Ministério da Saúde, o cronograma junto à fabricante prevê que 2,5 milhões de doses sejam entregues ainda este mês e outros 12 milhões, em junho. O restante será entregue de forma escalonada até setembro. A previsão é de que, a partir de setembro, as 100 milhões de doses garantidas hoje comecem a chegar ao país. 

“Estamos muito felizes em celebrar esse acordo adicional e, assim, ampliar nosso apoio à imunização de milhões de brasileiros” afirmou a presidente da Pfizer Brasil, Marta Díez.

GZH

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Corpo que estava em avançado estado de decomposição, foi encontrado por um pescador.

Secretaria Estadual de Saúde (SES) confirmou relatos de falta do imunizante em prefeituras gaúchas

No Vale do Taquari, a mínima será de 13°C e a máxima chega aos 32°C

Sexta oportunidade de deixar o Z4 foi desperdiçada com derrota por 2 a 0, em jogo com pênalti e expulsão do zagueiro Paulo Miranda