Giro do Vale / Tecnologia

Começa a valer nova política de privacidade do WhatsApp

Em atualização que entrou em vigor neste sábado, dia 15, aplicativo passará a compartilhar informações de contas de negócios com o Facebook

Foto: Divulgação

Passou a vigorar neste sábado, dia 15, a nova política de dados do WhatsApp. O aplicativo passará a compartilhar informações de contas de negócios (a modalidade WhatsApp Business) com o Facebook, plataforma central da empresa de mesmo nome que controla o app de mensagem.

A mudança ocorre sob protestos de órgãos reguladores brasileiros. Na semana passada, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), a Secretaria Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça (Senacom) e o Ministério Público Federal (MPF) emitiram recomendações apontando problemas nas novas políticas.

No documento conjunto, os órgãos avaliam que as mudanças podem trazer riscos à proteção de dados dos usuários do aplicativo, além de impactar negativamente nas relações de consumo estabelecidas entre os usuários e a empresa. No âmbito concorrencial, as novas regras podem impactar negativamente a competição no mercado. Por isso, os órgãos solicitaram o adiamento do início da vigência das normas.

Na sexta-feira, dia 14, o Cade divulgou nota na qual diz que o WhatsApp “se comprometeu a colaborar” com os órgãos reguladores que enviaram a recomendação. No prazo de três meses a partir de hoje as autoridades farão novas análises e questionamentos à empresa, que manifestou disposição em dialogar.

“No documento enviado às autoridades, o WhatsApp informa que não encerrará nenhuma conta, e que nenhum usuário no Brasil perderá acesso aos recursos do aplicativo nos 90 dias posteriores ao dia 15 de maio como resultado da entrada em vigor da nova política de privacidade e dos novos termos de serviço nesta data”, diz o texto.

O escritório do WhatsApp no Brasil confirmou o acordo divulgado pelo Cade. Com isso, restrições antes anunciadas foram suspensas por 90 dias. Entre elas estavam a impossibilidade de acessar a lista de conversas e a suspensão do envio de mensagens e chamadas para o celular algumas semanas depois, caso o usuário não aceitasse a nova política.  

Confira os principais pontos da nova política de privacidade do WhatsApp

O que muda se o usuário não aceitar os novos termos

Ele não terá sua conta excluída, mas quem não aceitar os novos termos passará a receber lembretes constantes do aplicativo por tempo indeterminado. Gradativamente, terá as funções do app limitadas até que concorde com a atualização.

Como seria a limitação

O usuário não conseguirá acessar a lista de conversas, mas ainda poderá atender chamadas de voz e de vídeo. Se as notificações estiverem habilitadas, ainda será possível clicar para ler ou responder a uma mensagem ou retornar uma ligação após uma chamada perdida de voz ou de vídeo. Após algumas semanas, o usuário não poderá mais receber chamadas ou notificações. Ainda, o app irá parar de enviar mensagens e chamadas para o telefone.

O que acontece se a conta ficar inativa por muito tempo

Com base em uma política do app, o WhatsApp poderá excluí-la. Segundo o texto, o WhatsApp “apaga contas que permanecem inativas por mais de 120 dias. Isso acontece quando o usuário não se conecta ao WhatsApp por esse período”. A justificativa do app é que esta ação serve para “manter a segurança, limitar a retenção de dados e proteger a privacidade dos nossos usuários”.

Para que serve a mudança no aplicativo

Conforme a empresa, serve para melhorar “a experiência de mais de 175 milhões de pessoas que usam o WhatsApp diariamente para enviar mensagens a empresas. As atualizações relacionadas aos recursos comerciais e opcionais são parte das nossas iniciativas para garantir que a comunicação com empresas seja cada vez melhor, mais segura e mais simples”.

Segundo o aplicativo, cada vez mais pessoas também confiam no WhatsApp para fazer negócios. “A pandemia global provou que as empresas precisam de meios rápidos e eficientes para atender aos clientes e fechar vendas. Durante esse período, o WhatsApp se tornou um recurso ainda mais simples e útil para todos, e mais de 175 milhões de pessoas enviam mensagens a contas do WhatsApp Business diariamente. Os resultados de uma de nossas pesquisas mostraram que as pessoas preferem enviar mensagens a empresas para obter ajuda e que a probabilidade de fechar compras é muito maior quando a opção de enviar mensagens está disponível”, garante a companhia em seu site oficial.

Interação com as empresas

Com a atualização, o usuário poderá realizar perguntas sobre produtos, compras e obter até recibos de compras. “Algumas empresas precisam de serviços de hospedagem seguros para responder a clientes, e esse serviço poderá ser oferecido pelo Facebook. Caso uma empresa use esse serviço, exibiremos um aviso na conversa para que você decida se deseja ou não continuar a conversa”, diz o aplicativo.

Informações pessoais

A empresa informa que as informações da interação do usuário com os anúncios poderão ser usadas para personalizar aquilo que ele verá no Facebook. Contudo, o WhatsApp e o Facebook não poderão ver o conteúdo das mensagens protegidas por criptografia. 

Tanto WhatsApp quanto Facebook garantem que não podem ler nem ouvir as mensagens que os usuários trocam entre si. “Isso inclui suas mensagens e chamadas pessoais, os anexos e as localizações que você compartilha”, diz o WhatsApp. “Não mantemos o registro das pessoas para as quais você ligou ou enviou mensagens e não compartilhamos seus contatos com o Facebook”, atesta a empresa. Aliás, as conversas em grupo seguem privadas, conforme a empresa.

Uso de dados

O WhatsApp assegura que a atualização não amplia a capacidade do app de compartilhar dados com o Facebook. Também não impacta na forma privada como as pessoas se comunicam com amigos e familiares. O app garante que as mudanças na política estão relacionadas a conversas opcionais com empresas.

Segundo a companhia,  os “Termos de Serviço e a Política de Privacidade atualizados terão ainda mais detalhes sobre como gerenciamos seus dados”.  O aplicativo acrescenta: “Adicionamos novas seções e mais informações a seções específicas da nossa Política de Privacidade. Além disso, simplificamos a estrutura da nossa Política de Privacidade para tornar a navegação mais fácil”.

Compras pelo WhatsApp

Quem tem uma loja no Facebook ou no Instagram (outra empresa pertencente ao Facebook) também poderá adicionar essa loja ao perfil comercial no WhatsApp.

Interação com empresas

O usuário poderá escolher conversar ou não com empresas no WhatsApp. Caso queira, poderá bloquear ou removê-las da lista de contatos.

Número de telefone

O usuário decidirá se compartilha ou não o número de telefone com as empresas. Também pode bloqueá-las a qualquer momento. O WhatsApp assegura que não irá compartilhar número de telefone com empresas. “Nossas políticas proíbem empresas de entrarem em contato com você no WhatsApp sem sua autorização”, pontua.

Integração com Facebook

Segundo o WhatsApp, o aplicativo não compartilhará os contatos do usuário com o Facebook. “Quando você nos dá permissão, nós acessamos somente os números de telefone da sua agenda para tornar a troca de mensagens mais rápida e confiável. Não compartilhamos sua lista de contatos com os outros apps do Facebook”, diz a empresa.

Mais privacidade

De acordo com o WhatsApp, as mensagens temporárias são o melhor caminho para o usuário ter mais privacidade no aplicativo. São mensagens que desaparecem das conversas após sete dias da data do envio.

Agência Brasil

Comentários

  1. Ilacia ruwer disse:

    Como as outras pessoas podem entram em suas contas ou raquear celular ninguém pode faser isso .É crime minha opinião. É fora outras coisas que conseguem fazer eu acho que não podem faser essas coisas

Publicidade

Últimas Notícias

Crime ocorreu no Bairro Santo Antônio, e autor fugiu após o crime

Carro foi removido ao depósito e a mulher foi conduzida à DPPA de Lajeado

Receita já informou os contribuintes sobre pendências

No Vale do Taquari, o sol aparece entre nuvens