Giro do Vale / Destaque / Polícia

Mulher mata filho de 7 anos e joga o corpo no Rio Tramandaí, no litoral

Segundo a Polícia Civil, foi apurado que a criança sofria tortura, não recebia alimentação e dormia amarrada dentro de um armário

Foto: Divulgação / Corpo de Bombeiros

Um crime bárbaro ocorrido no litoral gaúcho, foi descoberto na noite desta quinta-feira, dia 29. Uma mulher matou o próprio filho, e jogou o corpo do menino de 7 anos, nas águas do Rio Tramandaí, na divisa entre os municípios de Imbé e Tramandaí.

A mãe com 26 anos, e sua companheira com 23, procuraram a Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) de Tramandaí para registrar o desaparecimento do filho. Segundo ela, a criança havia desaparecido há dois dias. Perguntada sobre o porquê da demora em registrara a ocorrência, ela teria dito que pesquisou no Google, onde constava que só poderia fazer após 48 horas.

A polícia desconfiou da versão apresentada e começou as investigações. Agentes foram até a pousada onde elas residem, e se depararam com situações estranhas, que somadas as contradições nos depoimentos, levaram a polícia a descobrir a autoria do crime.

A mulher teria dado medicamentos para o filho ingerir, e depois colocou o corpo em uma mala, e levou até o Rio Tramandaí, onde mesmo sem ter certeza se a criança ainda estava vida, jogou nas águas.

Segundo o delegado Antônio Ractz, titular da Delegacia de Polícia de Imbé, ainda há muito a ser apurado, mas preliminarmente já foi descoberto que a criança sofria tortura, não recebia alimentação adequada, e dormia amarrada dentro de um armário que ficava em uma peço nos fundos da residência onde moravam.

Em depoimento ao delegado, a mulher disse ter sido vítima de estupro e demonstrava muita frieza, afirmando que não amava seu filho, e não tinha qualquer tipo de sentimento pela criança.

O Corpo de Bombeiros e a Guarda Municipal realizam buscas no rio Tramandaí para tentar localizar o corpo do menino. A mala onde o corpo foi levado, foi encontrada às margens do rio. O Instituto Geral de Perícias (IGP) foi acionado para fazer levantamentos na casa onde a criança morava.

Comentários

  1. um aí disse:

    Eu não sei o que está acontecendo com o mundo, Jesus tem que voltar e começar tudo outra vez. Tantas mulheres querem ser mãe e não conseguem por um motivo ou outro, muitas estão a procura de uma criança para adotar, mas a burocracia dificulta. Sou filho adotivo e fui criado por minha mãe que era separada de meu pai (adotivo) que saiu de casa quando eu tinha 3 anos de idade, minha mãe foi quem me criou sozinha e nunca pensou em desistir de mim e nunca me deixou faltar nada, principalmente amor e carinho, ela viveu pra mim e por mim. Infelizmente não tenho mais minha mãe, mas hoje posso dizer que tudo que sou, devo a ela. Gratidão eterna, mãe!

    • sergio pires disse:

      nosso mundo esta perdido mesmo uma mae fazer isso com o proprio filho….por que quis engravidar entao??? mas nao acredito que ela tenha sido estrupada e engravidou….nao acredito mesmo

  2. Salete disse:

    Se era sabido que essa criança era vítima de tortura…porque nunca foi feito nada!? Que coisa mais triste!!!😥

  3. Jussara Goncalves disse:

    Nao tem explicações,ñ vem dizer que é uma psicopata,mata,filhos,mãe, pai avô, etc,mto facil dizer q é loko q é isto ou akilo,por favor isto é ruindade mesmo,gente cruel,malvada tem que trancafiar numa cela e jogar chave fora.

  4. Kleber José Dallagnol disse:

    Endereço desta animal teria que amarrar uma corda no pescoço e larga no Rio

  5. José Antonio Rocha Siqueira disse:

    Só existe uma resposta para uma situação dessas. Pena de morte para quem fez isso com essa criança. Sentir a mesma dor e o sofrimento que essa criança sentiu.

Publicidade

Últimas Notícias

Produtos estavam armazenados de forma irregular e fora da temperatura adequada, com prazos de validade vencidos ou sem prazos de validade, sem identificação e procedência, além de higiene precária

Os profissionais fizeram o combate das chamas e resfriamento da estrutura com o uso de aproximadamente mil litros de água

Foram cumpridas quatro ordens judiciais no Bairro Santo Antônio, em Lajeado. Também foram apreendidos bens como aparelhos eletrônicos e telefones celulares

Instabilidade atinge Planalto, Serra e Litoral Norte