Giro do Vale / Geral

Policial militar é suspeito de participar de assalto a banco no Vale dos Sinos

Duas pessoas foram presas nesta sexta-feira, dia 4, por suspeita de participação no crime ocorrido em Novo Hamburgo

Foto: Divulgação / Polícia Civil

Um policial militar está sendo investigado por suposto envolvimento em um assalto em uma agência do Itaú localizada no bairro Canudos, em Novo Hamburgo, no Vale do Sinos. Segundo a Brigada Militar, o homem que atua na cidade e não teve o nome revelado, teria trocado mensagens com autores do ataque. A principal hipótese é de que ele teria colaborado no planejamento da ação por meio de informações privilegiadas. 

Durante o cumprimento de mandados de busca foi encontrado um aparelho celular suspeito, que, segundo os agentes, seria utilizado para se comunicar com o líder da organização. Munições e armas de fogo também foram localizadas. Assim que foram identificados os objetos, a corregedoria da Brigada Militar solicitou o afastamento do policial e iniciou um inquérito para apurar sua conduta.

Segundo o corregedor-geral da BM, coronel Vladimir Luís Silva da Rosa, o homem é sargento do 3º BPM, em Novo Hamburgo, e atua no policiamento ostensivo. Um dos objetivos do inquérito é saber se ele estava trabalhando no dia do assalto, e qual o seu grau de envolvimento no caso.

“Ainda não temos condições de afirmar qual o nível de comprometimento dele no grupo criminal, mas já temos indícios de participação, mesmo que de forma colaborativa”, diz Rosa.

O caso ocorreu na manhã de 3 de novembro do ano passado. Três homens entraram no banco, renderam vigilantes e levaram uma quantidade dinheiro não revelada. 

Dois deles, que fugiram de carro após o furto, foram presos temporariamente em Canos na madrugada desta sexta-feira, dia 4, durante a Operação Bartolomeu, deflagrada pelo Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) da Polícia Civil em conjunto com a Brigada Militar. O nome da operação faz referência a Avenida Bartolomeu de Gusmão, onde fica a agência.  

Já o outro homem suspeito de integrar o ataque, de 56 anos, foi preso em flagrante no dia do crime. Conforme os policiais, ele também teria envolvimento em outros roubos a banco, como o ocorrido em Alvorada em uma agência do Santander no dia 9 de junho do ano passado. Além dele, outras seis pessoas foram detidas durante a Operação Recidiva. Segundo o delegado do Deic João Abreu, ao que tudo indica haveria relação direta entre as duas ocorrências, que teriam sido executadas por uma mesma organização criminosa.

Durante a operação, foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão em Canoas, Novo Hamburgo e Alvorada. Foram recolhidos objetos como celulares, veículos e vestimentas usadas nas ações criminosas, a exemplo de camisetas e bonés da Polícia Civil falsos. As roupas e assessórios seriam utilizadas como parte da estratégia para executar crimes, embora no caso de Novo Hamburgo eles não estivessem fardados. 

GZH

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Declaração ocorre após pressão feita por correligionários para que ex-governador desista de disputar cargo neste ano

Campo de futebol sete do Parque Pôr do Sol passa a levar o seu nome

Acidente ocorreu no km 34 da rodovia, na localidade de Linha Cordilheira

Três carros se envolveram na colisão que vitimou um jovem de 18 anos