Giro do Vale / Esporte / Grêmio

Grêmio perde para a Chapecoense na Arena pela segunda rodada da Série B

Diante de sua torcida, Tricolor foi superado por 1 a 0 em atuação nada inspirada e com vaias e protestos dos torcedores após apito final

Foto: Lucas Uebel / Grêmio / Divulgação

O Grêmio segue sem vencer e marcar gols na Série B. Diante de seu torcedor, Tricolor foi derrotado pela Chapecoense por 1 a 0 na noite deste feriado de Sexta-Feira Santa, na Arena, em jogo válido pela segunda rodada da Série B. Após dois jogos, o time gremista soma um ponto somente e está na 15ª colocação, distante do principal objetivo da temporada, o acesso. Precisando somar três pontos na próxima rodada, novamente em seus domínios, o time de Roger Machado recebe o Guarani, na quinta-feira, às 16h30min. 

O técnico Gilson Kleina, sua estratégia e seus comandados levaram a melhor sobre a equipe gremista. Depois de um primeiro tempo sem pouca inspiração e posse dos donos da casa, os visitantes abriram o placar em lindo gol do volante Bianqui na segunda etapa aos 29 minutos. A desvantagem só fez com que torcida e time gremista ficassem nervosos. Nos acréscimos, o atacante Ricardinho foi atingido pelo lateral Ronei dentro da área, com o cotovelo, ficou sangrando e pedindo pênalti. A árbitra Edina nada marcou e não foi chamada pelo VAR. 

Antes da estreia na segunda divisão, a direção gremista preparou uma série de ações para aproximar torcedor e time. Hoje, com a atuação ruim, os 23 mil gremistas nas arquibancadas vaiaram e protestaram perante o resultado e desempenho insuficientes. 

Controle gremista, mas pouco perigo

Diante de sua torcida, o Grêmio dominou a Chapecoense na primeira metade de jogo na Arena. No entanto, a posse de bola não significou necessariamente chances claras de gol. Montada para contragolpear, a equipe do técnico Gilson Kleina foi quem deu o primeiro susto. Aos 2 minutos, o atacante Maranhão avançou com liberdade pela esquerda e chutou por cima da meta do goleiro Brenno. A resposta gremista chegou aos 9. O meia Campaz bateu escanteio fechado e a bola sobrou limpa para o zagueiro Bruno Alves dentro da área. Na confusão, ele não conseguiu tocar e a zaga catarinense conseguiu afastar para longe. 

O Tricolor teve Ferreira mais “aceso” que nas últimas partidas. O camisa 10 entrou a dribles na área e ajeitou para trás. Ninguém conseguiu tocar e a defesa tirou novamente. Novamente com ele, o time de Roger Machado assustou na chance mais clara da partida. O volante Bitello ajeitou de calcanhar lindamente para Ferreira entrar livre na direita da área. De chapa, o atacante finalizou e goleiro Vagner fez grande defesa para salvar a Chape aos 14 minutos. O jogo foi movimentado em todos momentos, com cada uma das equipes obedecendo seu modelo tático.

Em alguns momentos, especialmente a partir dos 25 minutos. O duelo se concentrou em choques no meio de campo, com escapadas dos ataques e finalizações de fora da área. Por duas vezes, Ferreira testou Vagner, que não deu chances para o azar e agarrou firme. Aos 34 minutos, Diogo Barbosa cruzou na medida para Elias dentro da área, que desviou de cabeça a direita da meta adversária. O Grêmio teve dificuldades para avançar pelo lado direito, onde Campaz e Rodrigues se concentram. Improvisado, o zagueiro não repetiu seus bons momentos ofensivos na posição nesta primeira etapa e pouco se somou aos colegas de frente.

Golaço visitante e desespero tricolor

Sem trocas, o Grêmio voltou apostando numa melhora da atuação com as mesmas peças para melhorar a produção ofensiva. Aos 5 minutos, quase o gol gremista. Campaz cobrou falta da direita da área e obrigou Vagner a fazer grande defesa no ângulo. O lance aumentou o som das arquibancadas, que sentiram o começo ruim na segunda etapa. Aos 12 minutos, Roger Machado chamou Edilson – que fez sua reestreia – e Ricardinho para entrar no campo nas vagas de Rodrigues e Elias. 

Os primeiros minutos dos dois em campo não significou chances para o Grêmio. Com isso, aos 21 minutos, o treinador colocou o atacante Biel e o meia Gabriel Silva nos lugares de Lucas Silva e Campaz, visando maior agressividade no ataque e mobilidade no meio. A Chape, por sua vez, respondeu com Derick e Claudinho na frente, querendo mais velocidade. Aos 26, Ricardinho brigou na área e no rebote Gabriel Silva chutou torto pela linha de fundo. 

Gilson Kleina viu suas mudanças serem mais efetivas que as de Roger Machado. Derick “fez o que quis” com o lateral Diogo Barbosa na esquerda, ajeitou para trás e o volante Bianchi bateu de lado de pé e fez um golaço sem chances para Brenno. O gol fez o time gremista ficar mais nervoso em campo. Roger colocou Quejada na busca ao menos pelo empate no lugar de Bitello. A única chance de “perigo” veio através de reclamação de Ricardinho, que se chocou com Ronei na área e ficou pedindo penalidade. O centroavante gremista chegou a sangrar depois do lance. Edina nada marcou e nem foi chamada pelo VAR aos 45 minutos. No apito final, vaias de um desapontado torcedor e protestos. 

Campeonato Brasileiro Série B – 2ª rodada 

Grêmio 0

Brenno; Rodrigues (Edilson), Geromel, Bruno Alves e Diogo Barbosa; Villasanti, Lucas Silva (Gabriel Silva) e Bitello (Quejada); Campaz (Biel), Elias (Ricardinho) e Ferreira. Técnico: Roger Machado.

Chapecoense 1

Vagner; Ronei, Léo, Victor Ramos e Fernando; Betinho (Bianqui) e Marcelo Freitas; Luizinho (Orejuela), Lima (Claudinho) e Maranhão (Derick); Perotti (Xandão). Técnico: Gilson Kleina.

Gols: Bianqui (29min/2°T)
Cartões amarelos: Luizinho, Bianqui e Victor Ramos (Chapecoense)
Árbitro: Edina Alves Batista (SP)
Assistentes: Marcelo Van Gasse e Alex Ang Ribeiro (SP)
VAR: José Cláudio Rocha Filho (SP)
Data e Hora: 15 de abril, sexta-feira, às 19h.
Local: Arena do Grêmio, Porto Alegre (RS)
Público: 23.500 pessoas

Correio do Povo

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Declaração ocorre após pressão feita por correligionários para que ex-governador desista de disputar cargo neste ano

Campo de futebol sete do Parque Pôr do Sol passa a levar o seu nome

Acidente ocorreu no km 34 da rodovia, na localidade de Linha Cordilheira

Três carros se envolveram na colisão que vitimou um jovem de 18 anos