Giro do Vale / Coluna do Chimarrão

Chimarrão_cabeçalho

== Vereador Silvio Portz, líder do governo, voltou a se referir sobre a crise do leite e a importação de leite em pó do Uruguai cujo produto está entrando como alternativa e isso estão aumentando os problemas para os produtores em especial do Vale do Taquari, como de resto as demais bacias de leite do RS.

== Para o parlamentar, que é ligado ao setor rural, o produtor ainda trabalha de teimoso, pois não vê retorno ou incentivo à categoria que com sua atividade ininterrupta. Para ele essa ação do governo é danosa à categoria. E explica: “o leite importado tem como finalidade baixar a cesta básica e assim o governo argumenta que a inflação está controlada”.

== Essa é para grego ver, pois nem as criancinhas do pré-escolar acreditam e enquanto isso as informações inverídicas, como são oficiais, são tidas como verdadeiras. O problema são os furos a mais que o trabalhador brasileiro, o produtor, enfim quem gera a riqueza nacional, têm que fazer no cinto para fazer frente a esse desgoverno.

== Enfim, nem o vereador, que é do PMDB, tem coragem de defender as ações de um governo que se instalou e hoje é tido como um dos piores da história nacional e mesmo assim se mantêm no poder, quem sabe até outubro próximo, ou seja, mais um ano de instabilidade institucional, econômica e enfim insegurança sem prazo para acabar.

== Na manhã de hoje no Programa Ponto de Vista da Rádio Eclusa FM, os entrevistados foram o prefeito Edmilson Buzatto e o secretário da Administração e Planejamento, Claudio dos Santos e o tema foi quase que único, a polêmica instalada no município a respeito da atualização da planta de imóveis que há 15 anos está defasada e o município acabou sendo apontado pelo Tribunal de Contas do Estado – TCE.

== Vários pontos foram discutidos pelo Executivo que vê a necessidade de se promover a justiça tributária, pois enquanto uns pagam mais, outros estão pagando menos em função justamente desses anos em que os governos que o antecederam, não terem promovido uma atualização.

== No entanto muitas informações foram passadas extraoficialmente e acabaram confundindo a opinião pública, pois alguns têm em mente que deverá haver um acréscimo que pode chegar à casa dos 700% em relação ao último imposto pago e o governo disse que isso não espelha a realidade.

== Vários pontos foram explicados e os ouvintes que prestigiaram esse momento de esclarecimentos oficiais, poderão tirar pelo menos um parâmetro do que irá efetivamente ocorrer e foi deixado claro que nada é definitivo e quem se achar prejudicado poderá, como é direito de todo cidadão, contestar os lançamentos e discutir.

== As alíquotas também mereceram estudo e o governo está baixando os índices até então vigentes para também diminuir a incidência sobre a atualização, como também pensa em promover estudo breve para aumentar o número de parcelas a fim de fracionar o valor e ainda promover desconto para quem saldar seu débito à vista. Enfim foi um momento importante sobre essa questão que vem preocupando os contribuintes proprietários de imóveis no município e em cuja oportunidade alguns tiveram, no programa, de encaminhar suas dúvidas, que foram respondidas pelos entrevistados.

== Após a entrada em vigor da reforma trabalhista, o governo vai cumprir sua promessa e encaminhar ao Congresso na segunda-feira (13) ajustes na nova legislação. Entre eles, o que impede empresas de demitir trabalhadores para recontratá-los por contrato de trabalho intermitente num prazo de 18 meses. Outra alteração busca proteger grávidas e lactantes de trabalharem em ambientes que ofereçam risco à saúde das mulheres e bebês.

== Os ajustes serão feitos depois de entrarem em vigor, neste sábado (11), as mudanças promovidas pela reforma trabalhista aprovadas pelo Congresso e sancionadas pelo presidente Michel Temer. Entre as principais mudanças da nova legislação está a autorização para que acordos coletivos se sobreponham sobre a lei, em temas como jornada de trabalho, banco de horas e intervalo intrajornada.

== O líder do governo na Câmara, deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), afirmou nesta sexta-feira que a nova proposta da reforma da Previdência só será apresentada na semana do dia 20 de novembro. Devido ao feriado do dia 15 de novembro, na próxima semana, os deputados terão um “folgão”, e as votações só serão retomadas no dia 21. — Parecer só depois do feriado — disse Aguinaldo.

== O líder do governo ressaltou que o importante é “conceituar” a nova proposta de reforma, ou seja, definir politicamente os termos e o apoio dos partidos. Aguinaldo Ribeiro disse ainda que será preciso uma campanha melhor, porque o projeto inicial foi entendido como “um monstrengo”.

Reflita: Perder tempo em aprender coisas que não interessam, priva-nos de descobrir coisas interessantes. (Carlos Drummond de Andrade)

Ainda não há comentários

Envie-nos o seu comentário

Publicidade

Últimas Notícias

Foto: Divulgação

Diesel teve queda de 0,30% no preço e deve valer a partir desta sexta-feira

Foto: Brigada Militar / Divulgação

Ocorrência foi registrada no bairro dos Estados

Foto: Divulgação

Nos aspirantes Rudibar e Rui Barbosa se enfrentam, e nos titulares o confronto será entre Palanque e Flor de Maio.

Foto: Divulgação

Fluxo no local foi normalizado após duas horas