Giro do Vale / Coluna do Chimarrão

== Às vésperas do provável desembarque do PSDB do governo, o presidente Michel Temer começou a articular a criação de uma frente partidária para lançar um candidato para sucedê-lo na corrida ao Palácio do Planalto em 2018, segundo uma fonte palaciana.

== Um importante passo nesse sentido foi dado no domingo, em almoço promovido por Temer no Palácio da Alvorada com representantes e presidentes de seis partidos da base – PR, PRB, PSD, DEM, PTB e PP.

== A intenção do presidente é construir, a partir desse arco de legendas, uma candidatura ao Planalto que defenda o legado reformista do governo dele em outubro do próximo ano. Se vingar, essa aliança contaria com um importante ativo: um grande tempo de propaganda eleitoral no rádio e na de televisão e forte estrutura partidária nos estados.

== Sem os 308 votos necessários para aprovar a matéria, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), não incluiu a reforma da Previdência na pauta de votações do plenário nesta semana. Governistas trabalham agora para que a proposta seja votada na Casa na semana de 13 de dezembro.

== A Petrobrás reajustará os preços do gás liquefeito de petróleo para uso residencial, envasado pelas distribuidoras em botijões de até 13 kg (GLP P-13) – mais conhecido como gás de cozinha -, em 8,9%, em média. O reajuste entra em vigor nesta terça-feira, 5.

== Segundo a estatal, o reajuste foi causado principalmente pela alta das cotações do produto nos mercados internacionais, que acompanharam a alta do barril de petróleo do tipo Brent.

== Assim, sobe para cerca de 68% a alta acumulada do preço do GLP às distribuidoras desde o início de junho, quando a estatal anunciou uma nova política de preços dos produtos com reajustes mais frequentes.

== O ajuste anunciado foi aplicado sobre os preços praticados sem incidência de tributos. Se for integralmente repassado aos preços ao consumidor, a companhia estima que o preço do botijão de gás de cozinha pode ser reajustado, em média, em 4,0% ou cerca de R$ 2,53 por botijão – isso se for mantidas as margens de distribuição e de revenda e as alíquotas de tributos.

== “Como a lei brasileira garante liberdade de preços no mercado de combustíveis e derivados, as revisões feitas nas refinarias podem ou não se refletir no preço final ao consumidor. Isso dependerá de repasses feitos especialmente por distribuidoras e revendedores”, diz a estatal, assim como havia feito na ocasião do último reajuste, em 5 de novembro.

== A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu nessa segunda-feira (4) ao Supremo Tribunal Federal (STF) que restabeleça a prisão do empresário Jacob Barata Filho. A informação foi divulgada pela assessoria da PGR. Barata Filho havia sido preso novamente no mês passado, no âmbito da Operação Cadeia Velha, mas a defesa dele recorreu ao STF, e o ministro Gilmar Mendes mandou soltá-lo.

== A operação apura os crimes de corrupção, associação criminosa, lavagem de dinheiro e evasão de divisas na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). Questionado sobre o assunto nesta segunda, Gilmar Mendes respondeu: “Essas conversas só se dão nos autos. Vamos discutir isso nos autos. Está bem?”

== No esforço para votar ainda em dezembro a reforma da Previdência, o governo vai distribuir aos deputados um material mostrando que votar a proposta não tira votos. Com o mote “Votar certo, deu certo”, a ofensiva mira os parlamentares da base ainda relutantes em votar a matéria por medo de perderem votos nas eleições de 2018, quando boa parte deles tentará a reeleição à Câmara ou outros cargos eletivos.

== “Vote a favor da reforma da Previdência. Foi o certo em 1998. É o certo a se fazer hoje”, diz a peça do governo, lembrando os parlamentares que a votação da Previdência no governo do então presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) ocorreu perto das eleições.

== O material que O GLOBO teve acesso apresenta dados sobre os deputados que votaram a proposta no governo tucano. Segundo o documento elaborado pela equipe do presidente Michel Temer, 69% dos que votaram a favor do substitutivo do Senado à proposta naquele ano, que foi aprovada, conseguiram se reeleger, enquanto que, dos deputados que foram contrários à proposta naquele momento, apenas 50% se reelegeram.

== E as redes sociais já estão repercutindo a sessão da câmara de vereadores de ontem que votou projeto do Executivo que propões a atualização cadastral dos imóveis. Não tenho o teor da matéria, mas pela estrondosa rejeição é possível perceber que a maciça maioria dos vereadores não está de acordo com a proposta original.

== Dos oito vereadores, pelo que se sabe (pois não estive na sessão) apenas Felipe Turati votou a favor do projeto que modifica o IPTU para 2018, ou seja, os outros três vereadores da base aliada foram contrários a matéria, incluindo o próprio líder do governo, Silvio Portz, além dos quatro da oposição, pois o que repercutiu nas redes sociais é de que a votação foi de 7 contra e um a favor, não necessitando do voto do presidente.

== Como já afirmávamos em outras colunas, os boatos davam conta de que isso efetivamente iria ocorrer, visto que não havia sintonia entre Executivo e Legislativo e sem apoio da base, a matéria acabou rejeitada. Cabe saber agora como ficará o aumento do IPTU que passa a vigorar em janeiro próximo.

Reflita: O bom combate é aquele que é travado em nome dos nossos sonhos; foi transportado dos campos de batalha para dentro de nós mesmos. (Paulo Coelho)

Ainda não há comentários

Envie-nos o seu comentário

Publicidade

Últimas Notícias

Homem é apreendido com crack em Teutônia

Próximo a ele, enterrado em um monte de saibro, foram localizadas 21g de cocaína e 221g de maconha

Motoqueiro colidiu na lateral do automóvel na Avenida Benjamin Constant

Apostas podem ser feitas até às 19h

Escolas, creches e postos de saúde permanecerão com expediente normal