Giro do Vale / Coluna do Chimarrão

O PT e o Palácio do Planalto iniciaram uma aproximação para tentar barrar a prisão após condenação em segunda instância no Supremo Tribunal Federal. Conversas preliminares ocorreram a algumas semanas, antes mesmo de a Corte negar o habeas corpus para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mas foram intensificadas depois da prisão do petista, condenado na Operação Lava Jato.

Um dos objetivos é pressionar o ministro Alexandre de Moraes, nomeado pelo presidente Michel Temer para o Supremo e que já se manifestou a favor do início da execução penal após a segunda instância. A investida está vinculada à incerteza envolvendo o voto da ministra Rosa Weber. A expectativa é se ela manteria, numa nova análise do assunto, a posição pessoal contra a prisão após segundo grau.

Nessa quarta-feira, 11, o presidente do PT-SP, Luiz Marinho, pré-candidato ao governo paulista, e o ex-ministro Gilberto Carvalho – ambos do círculo mais próximo a Lula – estiveram com os ministros Alexandre de Moraes e Gilmar Mendes para falar sobre o julgamento das ações que tratam do tema no Supremo. Sobre isso uma reflexão que não quer se calar. Para onde caminha o país com esse vírus que está disseminado (vírus do poder que vai nos destruir)?

Na mira da Operação Lava Jato, os ex-ministros Guido Mantega (PT) e Marcos Antônio Pereira (PRB) entraram com recurso no Supremo Tribunal Federal (STF) para que seja encaminhada à Justiça Eleitoral uma investigação instaurada contra eles no âmbito da delação da Odebrecht. Os dois são alvo de inquérito que apura a suposta compra de apoio político de R$ 7 milhões para garantir a adesão do PRB à campanha de Dilma Rousseff à Presidência da República em 2014.

A ministra Nancy Andrei, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), decidiu encaminhar à Justiça Eleitoral de São Paulo outro inquérito instaurado com base na delação da Odebrecht que investiga o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) por suspeita de caixa dois, o que livrou o tucano, por ora, da rota da Lava Jato.

Integrantes do Ministério Público Federal consideram “lamentáveis” a saída encontrada por políticos para se livrar da Lava Jato e das investigações na Justiça Federal, já que afirmam que o caminho natural seria uma investigação prévia de crime comum. Também destacam que a Justiça Eleitoral possui punições mais brandas e não tem vocação nem tempo para apurar crimes dessa natureza.

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Carmen Lúcia, vai assumiu a presidência do Brasil de hoje até sábado. Os homens que estão a sua frente na linha sucessória vão viajar: o presidente da República, Michel Temer, vai para Lima, no Peru, participar da 8ª Cúpula das Américas; o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, viaja ao Panamá; e o presidente do Senado, Munício Oliveira, vai para o Japão.

Tanto Maia quanto Munício têm justificativas oficiais para suas ausências, mas, na verdade, terão que sair do Brasil em todas as ausências de Michel Temer se não quiserem ficar inelegíveis. Isso porque a legislação eleitoral brasileira proíbe os políticos que são candidatos de assumirem outras funções públicas a menos de seis meses da eleição.

Maia é, por enquanto, pré-candidato à Presidência, e Munício quer se reeleger ao Senado. A viagem do presidente da Câmara dura só até o domingo, mas Munício deve ficar no Japão até o dia 22. Temer está com o retorno marcado para a noite do sábado (14).

Carmen Lúcia deve assumir a Presidência do Brasil novamente em maio, quando o presidente Temer tem uma viagem marcada para o Sudoeste Asiático que deve durar onze dias – de 5 a 16 de maio.

Deixo aqui meu agradecimento ao prefeito Edmilson Busto, o qual em recente entrevista na Rádio Eclusa FM ouviu meu pedido e nessa semana houve o atendimento de parte da secretaria de obras. Refiro-me a uma constatação que já fizera há algum tempo sem que providência alguma ocorresse no tocante a problemas em algumas ruas.

Eis que tem se tornado comum, pelo menos aqui no município, a realização de melhorias em ruas com pavimentação de paralelepípedos, onde há o asfaltamento (e também na confluência com ruas não pavimentadas). Pois o prefeito entendeu e o serviço acabou sendo executado e minha reclamação foi na Rua Waldemar Arno, cujos trabalhos feitos no dia de ontem já mereceram elogios.

É por isso que eu sempre afirmei em meus espaços nesta coluna de que um governo nem sempre se notabiliza pelas obras faraônicas, mas também pelos pequenos detalhes, trabalhos pequenos, mas que têm grande importância no dia a dia da comunidade. Portanto fica aqui o registro e agradecimento ao prefeito pela atenção dispensada e o trabalho, que atenderá a todos que usam ruas que até então apresentavam esse adensamento entre o asfalto e o paralelepípedo.

Reflita: Se todo poder emana do povo, porque esse mesmo povo não tem poder e sim só alguns poucos por ele eleitos?

Ainda não há comentários

Envie-nos o seu comentário

Publicidade

Últimas Notícias

Aposentados por invalidez ou beneficiados por auxílio-doença não foram localizados anteriormente.

Dia começa com marcas abaixo de 5ºC na maior parte dos municípios.

Quina foi marcada por 93 apostas que poderão receber mais de R$ 45,6 mil.

Rua Roberto J. Herber, no Bairro São Francisco, está isolada a espera de uma equipe da RGE Sul.