Giro do Vale / Entrelinhas

“Minha terra tem palmeiras onde cata o sabiá”?

Pode até ter, mas confesso que nunca vi sabiá cantando nas palmeiras de Bom Retiro do Sul. Mas outras coisas a gente vê. Coisas boas, coisas ruins, coisas rotineiras e também o ineditismo. E falemos do inédito então.

Nesta semana um fato inédito na história de vida desse município que se aproxima dos 60 anos. Pela primeira vez se viu e ouviu falar em contratar seguranças para garantirem a ordem na Câmara de Vereadores. E vamos além! Há quem diga que não há registro de atitude igual a essa em outra parte do Brasil. Vejam só, quanta honra para os bom-retirenses poderem ser pioneiros nesse tipo de situação.

Seria cômico se não fosse trágico.

A casa do povo, que só não teve boca a boca, mas já presenciou bate boca, soco na boca, e tantas outras desordens, e pior, isso tudo partindo daqueles que o povo escolheu para lhe representar, utiliza agora o artifício de contratar segurança para porem ordem na Casa.

Caros parlamentares, alguns inclusive amigos meus, isso não pegou nem um pouco bem para os senhores perante a comunidade. Dos comentários sobre o assunto as reações são das mais negativas possíveis, com poucas adesões apoiando esta ideia.

A ordem deve partir do comportamento dos senhores, se isso não ocorrer nada mudará. Pelo que acompanhei de perto durante os primeiros dois anos desta legislatura, não acredito que essa mudança aconteça. Continuarão os deboches, os blocos em confronto e a insistência de achar que este modo retrógrado de se comportar chama-se política. Há um tempo atrás sim, mas hoje as coisas mudaram.

Me perguntaram que está pagando os seguranças. Respondi que era a Câmara de Vereadores, e por consequência é lógico que o contribuinte. Bastou para o rapaz se indignar mais ainda com a situação. Por essas e outras que a população está cada vez com menos paciência para lidar sobre o tema política, e isso é uma pena, pois quando os bons se afastam acaba sobrando espaço para outros que talvez não tenham a melhor qualificação para fazerem o que a maioria espera.

Penso que ainda há tempo de mudar esse quadro. A explicação dos vereadores é de que a medida foi tomada pensando em preservar a segurança no local onde vereadores já teriam sofrido ameaça, o que até pode ter ocorrido, mas eu não presenciei, e até por isso a explicação não me convenceu totalmente. Ao meu entender isso se deva mais ao fato de que os próprios vereadores já demonstraram que não conseguem conter instintos primitivos e partem para os “afagos”.

Que utilize recurso próprio para sua proteção o parlamentar que esteja sentindo-se ameaçado. E que mudem as atitudes para que a população não siga com a ameaça de ficar mais dois anos refém de um Legislativo que já deu muitas demonstrações de atos que não condizem com a função que desempenham.

PARE E PENSE

“O homem superior atribui a culpa a si próprio; o homem comum aos outros. (Confúcio)

Ainda não há comentários

Envie-nos o seu comentário

Publicidade

Últimas Notícias

Nos sete meses deste ano foram criados 461.411 postos de trabalho

Ao chegar no estabelecimento, o policiamento constatou que o suspeito tinha um mandado de prisão em aberto

A casa foi arrombada entre a noite da última quinta e a manhã desta sexta-feira

Homem é encontrado morto em um dos quartos