Giro do Vale / Meio Ambiente

Pescador localiza piranhas no rio Taquari, em Bom Retiro do Sul

Presença dessa espécie no manancial pode causar desequilíbrio ambiental, e banhistas podem ser atacados

Foto: Divulgação

Após aparecerem nas águas do Rio Jacuí, piranhas agora também estão presentes no Rio Taquari. Os visitantes indesejados foram encontrados por um pescador, no local conhecido como São Miguel, na localidade de Beira do Rio, interior de Bom Retiro do Sul, na manhã da terça-feira, dia 13.

As palometas, como também são chamadas as piranhas, estavam presas a uma rede de pescas. Segundo o homem que as encontrou, elas medem entre 20 e 25 centímetros, cada.  Ainda de acordo com o pescador, havia outras espécies de peixes presas à rede, mas não haviam sido mordidas pelo predador, ao contrário do que foi registrado no Rio Jacuí recentemente, quando a cada rede tirada da água havia apenas as cabeças dos peixes, pois o restante do pescado havia sido devorado ainda preso às malhas.

As autoridades ambientais do Estado já identificaram o surgimento das chamadas palometas e agora estudam medidas para evitar uma infestação no sistema fluvial gaúcho, já que se trata de uma espécie muito voraz e adaptável, que causa inevitável desequilíbrio ambiental. 

Foto: Divulgação

A origem

Essas piranhas-vermelhas de água doce, tem origem na bacia do Rio Uruguai. É provável que esses peixes tenham ingressado no Estado pela confluência dos rios Vacacaí e Ibicuí, onde se encontram as bacias do Uruguai e do Jacuí. Há poucos dias houve o registro da presença de palometas nas cidades de Vale Verde, Cachoeira do Sul e Rio Pardo.

Além de consumir os demais peixes, pode inclusive atacar humanos, sobretudo se o banhista tiver algum ferimento no corpo.

Recentemente a Secretaria Estadual do Meio Ambiente se manifestou dizendo que estuda maneiras de evitar uma proliferação das palometas. No Paraná ocorreu algo semelhante, e por isso as autoridades locais conversam com autoridades do estado vizinho, além de solicitarem auxílio a órgãos federais como Ibama e ICMBio para tratar o problema. Uma das alternativas estudadas, é permitir a pesca de arrasto para tentar diminuir a presença desses peixes nos rios.

Veja mais imagens

Clique para ampliar

Clique para ampliar

Comentários

  1. Renan disse:

    Já peguei mais de 100 aqui no Rio Ijuí

Publicidade

Últimas Notícias

Este é o menor patamar desde 10 de fevereiro, quando havia 802 pessoas em estado grave no Estado

Geada ainda aparece na maior parte do Estado ao amanhecer

De acordo com o Governo do Estado, são 140.800 doses da Coronavac e 166.140 doses da Pfizer

Um carro da Brigada Militar capotou e policial ficou ferido na ação