Giro do Vale / Esporte / Inter

Tiago Nunes é apresentado no Grêmio e fala em continuar legado de Renato

Técnico disse que vai observar primeiro o grupo antes de pedir reforços

Foto: Lucas Uebel / Grêmio / Divulgação

A tarefa de comandar o Grêmio na era pós-Renato Portaluppi foi confiada nesta sexta-feira a Tiago Nunes, de 41 anos, oficialmente apresentado como o novo treinador da equipe. Em seu retorno ao Tricolor, onde trabalhou entre 2013 e 2015 nas categorias no sub-20, disse que esse é o momento de “consagração de sua carreira, consolidação de muitos anos de esforço”. Ele agradeceu a confiança de voltar ao clube, falou em valorizar nomes vindos das categorias e base, e afirmou que não tem a mínima intenção de substituir seu antecessor, mas “dar continuidade ao belo trabalho desenvolvido e ao legado deixado” por Renato.

“O Renato é insubstituível por toda a representatividade e história que tem. Temos que ter equilíbrio e a sabedoria de tomar as decisões necessárias para que possamos dar sequência a esses anos bons e competitivos que o Grêmio tem tido nas últimas décadas. Conversei com Renato via telefone. Foi muito receptivo, não entramos em detalhes técnicos ou táticos”, disse em suas primeiras palavras após posar para fotos com o presidente Romildo Bolzan Jr. e o vice de futebol Marcos Hermann.

Tiago Nunes ponderou que o Grêmio, como essência, criou uma característica “muito própria”. Não tenho o direito de vir aqui e desmontar isso.” “Tenho que tentar dar continuidade ao que foi construído. Algumas questões pontuais, de acordo com as características dos jogadores e dos adversários, vamos construindo jogo a jogo. O time tem uma característica e uma identidade”, avaliou, ponderando que seu papel é tentar encontrar qualidades complementares nos atletas para gerar “uma equipe competitiva e que seja ofensiva, que represente a história do Grêmio de luta, bravura, de nunca desistir”.

Apesar de reconhecer que ainda é “um profissional jovem no mercado” e tem “uma estrada longa no futebol pela frente”, avaliou que tem rodagem o suficiente para encarar o desafio de treinar uma das maiores instituições esportivas do Brasil. “Costumo dizer que os clubes menores e do interior foram uma grande universidade. Tenho me preparado para isso constantemente e me sinto apto. Peço a confiança de todos nesse processo”.

“O primeiro mercado de qualquer clube tem que ser o próprio clube”

Questionado sobre reforços para a temporada, o técnico foi enfático e afirmou que “o primeiro mercado de qualquer clube tem que ser o próprio clube”. “Temos que ter um olhar carinhoso com os atletas que aqui estão, olhar os potenciais que temos. Vamos conversando e, dentro das circunstâncias de mercado que forem favoráveis a direção e as situações pontuais que podem surgir após esse diagnóstico, vamos elencar alguma situação de contratação”, comentou.

Para Tiago Nunes, a maturidade de jogadores como Diego Souza, Walter Kannemann, Maicon e Pedro Geromel são fundamentais para o aproveitamento dos mais novos. “A transição depende de jogadores mais experientes, que tenham a capacidade de dar suporte dentro de campo a esses atletas. Estamos bem servidos. Temos jogadores experientes que entendem isso e meu papel é ser um facilitador para que todos tenham as condições de jogarem bem”, disse, mencionando que o clube tem um grupo de grande qualidade.

Correio do Povo

Ainda não há comentários

Publicidade

Últimas Notícias

Temperatura fica amena na maioria das regiões ao longo do dia

Jean Pyerre marcou de pênalti o único gol do jogo diante do Vitória da Bahia

Restos mortais estavam às margens do rio, na localidade de Chafariz