Giro do Vale / Cotidiano

CONFIRA 8 DICAS DE COMO CUIDAR DA SUA SAÚDE MENTAL

Virou o ano, já estamos no final de janeiro, mês que além de acender a esperança de um novo ciclo e o desejo de renovação, também é palco para uma campanha fundamental, o Janeiro Branco, mês de cuidado à saúde mental. Não é à toa que essa campanha acontece em janeiro, pois é uma época em que costumamos refletir sobre nossos objetivos e nos preparamos para iniciar um novo ano em busca de uma vida mais feliz. A esperança e a vontade de mudar fazem desse mês um momento propício para falarmos da importância de cuidarmos de nós mesmos, da nossa saúde mental e bem-estar.

O que lhe vem à mente quando se fala em saúde mental? Muito mais do que ausência de doenças ou transtornos mentais, estar mentalmente saudável é conseguir lidar com as inquietudes da vida sem sair dos eixos e sem perder as estribeiras. É claro que momentos ruins sempre existirão, por isso a grande questão é ser capaz de enfrentar desafios e mudanças com equilíbrio emocional. Isso é possível quando estamos em dia com nossa saúde mental.

E se você não estiver conseguindo lidar com a angústia, a ansiedade, a perda do sono ou o pânico? Isso quer dizer que está na hora de você procurar ajuda de um profissional. Você não consulta o dentista quando tem dor de dente? Não vai ao cardiologista quando tem problema de coração? Ou então ao dermatologista quando percebe algum problema de pele? Então porque não consultar um psicólogo para entender o que está acontecendo com suas emoções, como o choro desenfreado, o desânimo e o medo de enfrentar certas situações? Por que não procurar um psicólogo para ajudar a entender sua ansiedade, a frustração da vida ou o porquê de sempre repetir relacionamentos abusivos? Diante de uma dificuldade emocional, há um profissional especialista para te ajudar, mas dar a devida importância a isso depende só de você. Depressão não é frescura, ansiedade não é falta do que fazer, pânico não é bobagem.

A minha intenção nesse artigo não é discutir as doenças em si, mas abordar a importância de nos cuidarmos antes que os problemas cheguem. Você sabia que é possível cuidar da sua saúde mental com hábitos simples no seu dia a dia? Basta você se organizar e se priorizar. Vou te passar 8 DICAS DE COMO CUIDAR DA SUA SAÚDE MENTAL.

  1. Cuide da sua alimentação. Se não nos alimentarmos bem, também não nos sentiremos bem, logo o nosso emocional poderá ser afetado.
  2. Pratique atividade física. Corpo em movimento nos faz sentir mais satisfeitos, alegres, saudáveis e bem dispostos, isso só contribui para o nosso bem-estar.
  3. Priorize o bom sono. Transtornos mentais por si só já são complicados de lidar, noites mal dormidas podem agravar ainda mais a situação.
  4. Viva momentos bons com pessoas queridas. É muito bom estar na companhia de pessoas que gostamos, então viva momentos de alegria com quem te faz bem.
  5. Reserve tempo para um esporte ou lazer. Faça algo que lhe dê prazer e satisfação. Você já tentou um esporte diferente? Um acampamento? Permita-se viver.
  6. Esteja em contato com a natureza. A rotina é importante, mas também cansa. Procure se conectar com a natureza, aprecie os sons, a paisagem. Relaxe.
  7. Conheça a si mesmo. Ao se conhecer melhor você também reconhece seus gatilhos, limitações e potencialidades. Busque ajuda profissional para o autoconhecimento.
  8. Ajude o próximo. Faça o bem sem olhar a quem. Ajudar outras pessoas rende uma boa dose de satisfação e bem-estar. Não espere pelo outro, comece por você.

Com essas dicas eu te convido a aproveitar o clima de janeiro e rever a sua rotina de cuidados e prioridade consigo mesmo. Lembre-se, cuidar da saúde mental é cuidar da vida.

Ainda não há comentários

Envie-nos o seu comentário

Publicidade

Últimas Notícias

Neste período, apenas a cidade de Novo Tiradentes não registrou mortes por conta da doença

O suspeito tem 29 anos e estava com mandado de prisão preventiva expedido

Temperaturas ficam agradáveis ao longo de todo o dia

Produtos estavam armazenados de forma irregular e fora da temperatura adequada, com prazos de validade vencidos ou sem prazos de validade, sem identificação e procedência, além de higiene precária