Giro do Vale

Giro do Vale

sábado, 22 de junho de 2024

Liberação de 60% das horas extras para Bombeiros não define questão no interior

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Após cortar as horas extras de todos os bombeiros do estado neste mês, o Palácio Piratini decidiu nesta ontem, dia 16, retomar 60% dos horários além dos expedientes normais dos servidores, segundo o Comando do Corpo de Bombeiros.

O recuo do governo estadual ocorreu depois de um quartel foi fechado por falta de efetivo, em Canoas, Região Metropolitana de Porto Alegre. Pelo menos outras três unidades da corporação também corriam o risco de ter as atividades paralisadas.

A suspensão do pagamento de horas extras foi determinada pelo decreto do governador José Ivo Sartori (PMDB) dentro do pacote de medidas para conter os gastos públicas e amenizar a crise financeira do Estado.

O comandante dos bombeiros, coronel Evilton Diaz, disse descartar, neste momento, os fechamentos dos quartéis, mas ponderou que a realidade no interior ainda precisa ser analisada.

“Teremos uma reunião na próxima segunda-feira [19], quando será possível ter uma panorama. Mas neste momento posso dizer que quartéis não serão fechados”, afirmou Diaz.

Porém, conforme o coronel, a redução de 40% do total de horas extras que vinham sendo feitas até o início do ano para suprir a falta de efetivo trará ainda mais lentidão em inspeções e liberações de alvarás contra incêndio, por exemplo.
“Após o incêndio da Boate Kiss, os critérios ficaram mais rigorosos, mas passamos a demorar em média 30 dias para liberar um Plano de Prevenção Contra Incêndio (PPCI). Com as dificuldades de efetivo, essa demora atualmente é de 130 dias, em média. Agora, sem parte das horas extras, a espera deverá ser de 180 dias”, detalhou.

G1

Compartilhe:

Ainda não há comentários

Os comentários estão fechados no momento.

Leia também