Giro do Vale

Giro do Vale

domingo, 23 de junho de 2024

Praticantes de rapel morrem após ataque de abelhas no Litoral Norte do Estado

Foto: Cid Martins / Agência RBS

Foto: Cid Martins / Agência RBS

Dois homens morreram em um acidente enquanto praticavam rapel em Maquiné, no Litoral Norte. Segundo o Corpo de Bombeiros, um grupo de sete pessoas foi atacado por abelhas em uma região de mata fechada na localidade de Barra do Ouro.
Conforme o relato do advogado Gomercindo Daniel Filho, 61 anos, amigo de integrantes do grupo Schuster Adventures — que fazia o rapel —, eles se preparavam para descer uma cascata de 130 metros de altura quando as abelhas atacaram, por volta das 15 deste sábado.

Na tentativa de fugir do enxame, um deles teria cortado a corda do equipamento e o outro fez uma descida brusca e não acionou os freios. Os demais conseguiram descer, mas também ficaram feridos.

As vítimas foram identificadas como Ronei Marcelino Pinto, 48 anos, e Jean Carlos Machado Lopes, 41. Segundo Günter Ayala, médico socorrista do grupamento aeromédico do Samu, que participou do resgate, um dos homens caiu de cerca de 50 metros e morreu na hora, devido às fraturas decorrentes da queda. O outro, que teria tido a queda amortecida pela fricção da corda, permaneceu vivo por algumas horas, mas faleceu ainda na noite de sábado.

— Ambos tinham muita experiência, eram capacitados e treinados, mas o enxame tirou eles de uma situação de controle. Ainda que tivessem com picadas pelo corpo, a morte dos dois foi em decorrência dos traumas originados pela queda — explica Ayala.

Dentre os cinco sobreviventes, dois que estavam com o grupo, Maicon Silva da Silva, 31 anos, e Luciano de Souza, que ainda não teve a idade confirmada, caminharam por 15 horas no mato para pedir resgate.

— Eles deviam ter chegado às 22h (de sábado). Passamos a noite em claro esperando e, quando amanheceu, fomos atrás deles no mato — contou Priscila da Silva, que encontrou o marido, Maicon, e Luciano, por volta das 6h.

Acionada no início da manhã de domingo, a polícia montou uma base de gerenciamento de crise na localidade de Barra do Ouro. Os outros três sobreviventes, identificados como Flavio Rodrigo da Rosa Lopes, 37 anos, João Batista Moreira Dias, 42, e Roberto Schuster, 73, ficaram no local aguardando o resgate, que chegou por volta do meio-dia.

Conforme o médico-socorrista Ayala, Roberto Schuster apresentava uma fratura grave na região coxo-femoral (raiz da coxa) e estava consciente, mas bastante debilitado. João Batista Moreira Dias apresentava diversas picadas de abelha pelo corpo, e estava com um lado do rosto machucado. Ambos seguem iternados em hopitais da região do Litoral Norte. Os demais já receberam alta.

O grupo que foi para Barra do Ouro era formado por 12 pessoas — cinco casais e os dois homens que morreram. Só os sete homens, porém, foram até o local do rapel. O acidente ocorreu por volta das 15h.

Os corpos das duas vítimas estão sendo removidos pelo Batalhão de Aviação da Brigada Militar.

 

ZH

Compartilhe:

Ainda não há comentários

Os comentários estão fechados no momento.

Leia também