Giro do Vale

Giro do Vale

domingo, 23 de junho de 2024

Aberto de Sup Race movimenta Parque da Lagoa, em Estrela

Foto: Paulo Schneider

Foto: Paulo Schneider

O 1º Circuito Aberto Amador de Sup Race movimentou o Parque da Lagoa, em Estrela, neste domingo (22) pela manhã. As provas de stand up paddle, disputadas no Rio Taquari, reuniram 21 competidores – 13 no masculino e 8 no feminino – de Estrela e outras cidades, como Charqueadas, Lajeado, Fazenda Vilanova, Ivoti e Porto Alegre. O evento foi organizado pela Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (Smel) e escola Guardiões do Taquari Stand Up Paddle e fez parte da programação do Multimulher.

As provas começaram às 9h30min, com a disputa de baterias conforme a categoria, com quatro participantes cada. Primeiro ocorreram as disputas femininas e depois as masculinas. Em cima de uma prancha, os competidores remaram por um percurso de 800 metros.

Por fim, ocorreu a prova final, que definiu os vencedores gerais do Circuito. No feminino a vencedora foi Letícia Birck, de Estrela, com o tempo de 6min 30seg e 92; em 2° lugar ficou Fernanda Souza, de Ivoti, com o tempo de 6min 56seg e 40, e em 3° Neusa Fell, de Fazenda Vilanova, com 8min 8seg e 50. No masculino o 1° colocado foi Maurício Souza, de Ivoti, que completou o percurso em 4min 49seg e 30. Em 2° ficou Arthur Sfoglia, de Estrela, com o tempo de 5min 26seg e 67 e em 3° lugar, Gilberto Lobo Virote, de Charqueadas, com 5min 36seg e32. Ao final ocorreu a entrega da premiação, com troféus e medalhas aos vencedores.

Adeptos do esporte

Neuza e Décio praticam o esporte há dois meses e participaram das disputas. (Foto: Paulo Schneider)

Neuza e Décio praticam o esporte há dois meses e participaram das disputas. (Foto: Paulo Schneider)

O casal Neusa Fell (55) e Décio Gauer (51), de Fazenda Vilanova, pratica o stand up paddle há cerca de dois meses e no domingo já participou do circuito, em Estrela. Praticantes também de corrida e ciclismo, eles se interessaram pelo esporte devido ao tipo de exercício que proporciona, sem grande impacto. Começaram a atividade numa viagem a Arambaré e depois, em Brasília, no início de fevereiro, voltaram a fazer stand up num clube da cidade. No retorno, buscaram informações na Secretaria de Esportes e Lazer (Smel), através da qual começaram as aulas na escola local. Para eles, a difusão deste esporte é também uma forma de valorizar o Rio Taquari e ao mesmo tempo, alertar para a necessidade de preservação dos mananciais.

 

Assessoria de Imprensa

Compartilhe:

Ainda não há comentários

Os comentários estão fechados no momento.

Leia também