Giro do Vale

Giro do Vale

domingo, 23 de junho de 2024

Contra o Aimoré, Diego Aguirre testa o Inter no 3-5-2

Foto: Alexandre Lops / Divulação

Foto: Alexandre Lops / Divulação

Não será por uma partida válida pelo Gauchão que o Inter entrará em campo nesta quarta-feira, a partir das 19h30min, no Beira-Rio. Estará em jogo contra o Aimoré um time desenhado em um inédito esquema tático para a temporada: o 3-5-2.

É a alternativa encontrada por Diego Aguirre para tentar minimizar os erros defensivos da equipe, aumentar a posse de bola e consolidar a principal virtude colorada na temporada: o ataque.

Juan será o líbero em meio aos zagueiros Ernando e Réver. Léo e Fabrício atuarão com maior liberdade. Serão alas, soltos para o ataque com Eduardo Sasha e Lisandro López. Para isso ocorrer, os volantes Nilton e Nico Freitas guardam a defesa. Com as lesões musculares de Aránguiz, Anderson e D’Alessandro, será de Alex a tarefa de criar. Pode parecer simples na leitura, mas a realidade se mostra bem diferente.

— O desafio é criar a alternativa para o lateral, o ala neste caso, entrar na diagonal pelo meio, abrir espaço para o zagueiro chegar de trás, projetar o volante por entre os zagueiros adversários. Vai depender da inteligência dos jogadores e daquilo que o Aguirre pediu — aponta Mário Sérgio, atualmente comentarista da Fox Sports.

Ex-técnico do Inter em um mandato-tampão ao final de 2009, Mário Sérgio utilizou-se do 3-5-2 herdado de Tite para encarar os 11 jogos em que foi contratado para liderar D’Alessandro, Taison, Andrezinho. Seis vitórias, três empates e duas derrotas garantiram ao Inter o vice-campeonato do Brasileirão e atuações que, segundo Mário, foram das melhores da história recente colorada.

— É um esquema que colocava os zagueiros quase no campo do adversário. Com o meio-campo povoado, a compactação empurra os meias para a frente, eles marcam a saída de bola ao lado dos atacantes e não ficam aqueles buracos — resume Mário Sérgio.

O ex-zagueiro Mauro Galvão tem uma leitura mais ampla sobre o esquema 3-5-2. Galvão concorda com Mário Sérgio ao falar sobre postura e tática de jogo. Mas acredita que a partida desta noite no Beira-Rio é o primeiro teste para o confronto diante do Emelec, válido pela Copa Libertadores, no meio da próxima semana.

Mauro Galvão fez parte de um primoroso 3-5-2 no Olímpico, vestindo as cores do Grêmio, quando Tite utilizou-o no trio defensivo ao lado do lateral esquerdo Roger e Anderson Polga. Naquele time, lembra Galvão, os gols saíam com naturalidade. Ainda que se aponte o 3-5-2 como um sistema prioritariamente defensivo.

— Aguirre vai jogar por uma bola no Equador. Me parece isso. O 3-5-2 te dá mais posse de bola, pois tem o meio-campo povoado. Os jogadores têm de se movimentar. Quando bem feito, o 3-5-2 complica qualquer adversário — aponta o zagueiro campeão brasileiro invicto com o Inter em 1979.

GAUCHÃO, 10ª RODADA, 11/3/2015

INTER

Alisson; Ernando, Juan e Réver; Léo, Nico Freitas, Nilton, Alex e Fabrício; Eduardo Sasha e Lisandro López.

Técnico: Diego Aguirre

AIMORÉ

Marcelo Pitol; Toto, Lacerda, Diego Rocha e Lucas; Álvaro, Faísca, Mikael e Rennan Oliveira; Diogo Pereira e Giovani.

Técnico: Paulo Porto

Início: 19h30min

Arbitragem: Leandro Vuaden, auxiliado por Jorge Eduardo Bernardi e Antônio João do Prado Lima Albornoz

Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre

 

ZH Esportes
Compartilhe:

Ainda não há comentários

Os comentários estão fechados no momento.

Leia também